Com apenas 19 anos, o paulista Wagner Ramari, atualmente trabalha nos estúdios Maurício de Sousa, mas ele também divide o seu tempo em uma banda e sua paixão pelas tatuagens. Sem curso de desenho, Wagner assume que pegou gosto por desenhar quando tinha 5 anos, mas acredita que toda criança começa a desenhar a partir do dia em que pega um lápis ou um giz de cera na mão.

No bate-papo feito com Rod Gonzalez, o jovem ilustrador revela suas influências, quando decidiu encarar os desenhos como profissão e é claro, como é a sua rotina de trabalho em um dos maiores estúdios de desenho do Brasil. Confira:

Rod Gonzalez: Quando você decidiu transformar seu talento pelo desenho em profissão?
Wagner Ramari:
Nunca pensei em fazer disso profissão, eu me sentia bem desenhando, aí conheci o graffiti, que me abriu muito a cabeça e eu consegui aproveitar mais minhas ideias. Então comecei a trabalhar com graffiti comercial, fazendo interiores de lojas e etc..

R.G.: Durante um tempo você estava inclinado a se tornar também um tatuador. Você levou adiante essa ideia?
W.R.:
Já tatuei sim, e a tattoo foi outra ferramenta que abriu muito minha cabeça e me ajudou a desenvolver muito algumas técnicas.

R.G.: Você fazia parte de uma banda. E aí continua tocando?
W.R.:
Sempre gostei de música e ter uma banda sempre foi bom pra mim. Continuo com minha banda tocando de vez em quando, fazendo uma zuerinha…

R.G.: Quais seus desenhistas preferidos?
W.R.:
Gosto de muitos. Jim Lee, Roger Cruz, Ivan Reis, Adam Hughes, J. Scott Campbell, Robb Vision, entre vários outros …

R.G.: E no universo do quadrinho nacional, alguma preferência?
W.R.
: Os grandes mestres, Laerte, Angeli, Glauco, Mauricio de Sousa e Henfil.

R.G.: Como surgiu o convite para você trabalhar nos Estúdios do Maurício de Sousa?
W.R.:
Amigos meus trabalhavam lá, ai pintou uma vaga na Xerox e me indicaram.

R.G.: Como é o ambiente de trabalho lá?
W.R.:
É uma empresa como todas. Tem o RH, o Financeiro, o Estoque, etc, etc. Mas é um lugar bem divertido, todo mundo se fala, o pessoal é super unido. Gosto muito de lá.

R.G.: E o “chefão”, é verdade que é ele que até hoje faz a supervisão de cada HQ publicada pelo seu estúdio?
W.R.:
Isso realmente, eu não sei. Mas ele está sempre presente em tudo no estúdio, pode ter certeza.

R.G.: O Estúdio Maurício de Sousa é considerado o principal produtor de quadrinhos do país, (e um dos maiores do mundo), têm alguma dica para quem deseja entrar pra equipe?
W.R.:
Gostem do que fazem e gostem da turminha. A gente tem que trabalhar com o que gosta, não tem outro jeito.

R.G.: Qual é exatamente seu trabalho atualmente dentro do Estúdio Maurício de Sousa?
W.R.:
Eu trabalho na parte de eventos e parques. Junto com a equipe nós elaboramos os eventos, criamos cenários, etc. Como estudo publicidade, esse setor na empresa é muito bacana, envolve arte também, então me sinto em casa.

R.G.: Qual seu personagem da Turma da Mônica favorito?
W.R.:
O Chico Bento é íncrivel, mas eu gosto dos secundários também. O Astronauta, o Nico Demo.

R.G.: Fora esse seu trabalho, possui outros projetos na área de quadrinhos?
W.R.:
Eu adoro quadrinhos, mas no momento penso mais na área de ilustração.

__________________________________

O Impulso HQ agradece a Rod Gozanlez por ter enviado a entrevista. Para os interessados no trabalho de Wagner Ramari, vejam mais do trabalho dele no Deviant Art, clicando aqui, ou siga-o no Twitter, clicando aqui.

Renato LebeauentrevistasMauricio de Sousa,Rod Gozanlez,Wagner RamariCom apenas 19 anos, o paulista Wagner Ramari, atualmente trabalha nos estúdios Maurício de Sousa, mas ele também divide o seu tempo em uma banda e sua paixão pelas tatuagens. Sem curso de desenho, Wagner assume que pegou gosto por desenhar quando tinha 5 anos, mas acredita que toda...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe