Lançado durante a 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, o álbum “O Turno da noite – Escuridão Eterna” é uma parceria entre o quadrinhista Santtos e o escritor André Vianco. A publicação é um lançamento da editora Novo Século e durante o lançamento na Bienal muitos fãs de Vianco e de quadrinhos fizeram fila, chegando a esperar quatro horas na fila para garantir o seu autógrafo.

O Impulso HQ conversou com o quadrinhista Santtos, 26 anos, que por alguns anos foi “preparado ou lapidado” pela agência Art&Comics, segundo ele, onde adquiriu uma boa experiência do mercado internacional. Santtos leciona pintura, desenho e quadrinhos há seis anos na Escola Arte São Paulo e também participa das reuniões no Observatório de Historias em Quadrinhos da USP. Alguns dos seus trabalhos podem ser conferidos no site www.santtos.com.br.

Santtos falou sobre o processo de produção do álbum “O Turno da noite – Escuridão Eterna” e revelou que o volume dois está a caminho e também de como os fãs de Vianco reagiram a adaptação do livro. Confira:

Impulso HQ: O que os leitores podem esperar da HQ “O Turno da Noite”?
Santtos:
A HQ é dividida em dois volumes. No vol. 1 concentramos em apresentar e situar o leitor ao universo dos livros do André Vianco. A história traz muita ação, suspense e mistério, numa atmosfera que mistura vampiros, lobisomens e anjos.

IHQ: De onde surgiu a ideia de transportar os personagens de André Vianco para os quadrinhos?
Santtos:
Acredito que aproximando os autores de literatura, músicos e de outros segmentos, e realizando um bom planejamento de marketing possa vir a fortalecer e contribuir para o crescimento do mercado de quadrinhos no Brasil. Com esse principio resolvi formar uma parceria com André Vianco.

IHQ: Há alguma intenção de continuar o projeto “O Turno da Noite”?
Santtos:
Sim. Como disse na resposta anterior, tem o volume dois, já estou produzindo. E quem sabe, outros não podem vir.

IHQ: Sendo baseado em personagens que nasceram nos livros, você teme alguma comparação entre os dois produtos como a que geralmente sofrem as adaptações para filmes, por exemplo?
Santtos:
As comparações são inevitáveis, principalmente do público do Vianco. Alguns falam que os personagens estão do jeito que imaginaram outros dizem que estão bem diferentes, mas a maioria está respeitando a linguagens dos quadrinhos. O que muitas vezes não acontecem nas adaptações de filmes para quadrinhos e vice versa.

IHQ: André Vianco participou do processo de produção da caracterização dos personagens? Qual foi a participação dele?
Santtos:
Sim. Ele acompanhou todo processo, desde a caracterização até adaptação do roteiro do livro para quadrinhos. Mas ele nos deixou muito a vontade para contar a história na nossa visão.

IHQ: Falando em processo de produção, qual foi a etapa mais difícil de adaptar para as HQs?
Santtos:
Acho que a maior dificuldade é condensar grande quantidade de texto e detalhes que tem nos livros para pouco espaço que temos nos quadrinhos. No “O turno da noite” existem muitos personagens, isso também dificulta em criar uma identidade visual para HQ. E acontece em vários lugares do Brasil ao mesmo tempo, a pesquisa “geográfica” foi intensa, tive que tomar muito cuidado tentando ser o mais fiel os lugares citados. Mas o mais importante é não perder o conceito central da obra escrita.

Estande da editora Novo Século durante o lançamento de “O Turno da noite – Escuridão Eterna”

IHQ: O projeto finalizado ficou de acordo com o que você idealizou inicialmente, ou durante o processo de produção você teve alguma surpresa? Se sim, qual?
Santtos:
Tive algumas sim. A primeira seria um único livro de 220 páginas aproximadamente, mas pela questão de mercado, um livro todo colorido com essa quantidade de páginas, tamanho e tipo de papel sairia muito caro, então resolvemos dividir em dois volumes. A outra foi no cronograma, achei que levaria de 8 meses a 1 ano, mas acabei levando 2 anos e meio para finalizá-lo.

IHQ: Você já teve alguma resposta dos leitores de André Vianco sobre a HQ?
Santtos:
Tive sim, embora só tenha um pouco mais de um mês que foi lançado, até agora são muito positivas e animadoras. Até ser lançado não tinha a mínima ideia como eles reagiriam a HQ. Mas o público dele é muito receptivo a esse tipo de obra.

IHQ: Outros personagens de André Vianco que habitam as páginas dos livros podem ser adaptados no futuro?
Santtos:
Quem sabe no futuro… (risos), Gosto do “Bento”. Acho o universo desse livro visualmente muito interessante, mas daria umas 10 HQs (risos). Mas dou preferência para algo inédito que me traga novos desafios e novos universos.

IHQ: Para finalizar, quais são os seus próximos projetos?
Santtos:
Por enquanto estou trabalhando no vol. 2 de “O turno da noite – escuridão eterna” junto com o pessoal que ajudou a produzir o vol. 1. Tenho outros projetos pessoais e também com o André Vianco. Espero logo ter mais notícias pra contar.

Renato LebeauentrevistasAndré Vianco,Novo Século,Santtos,Turno da noiteLançado durante a 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, o álbum “O Turno da noite – Escuridão Eterna” é uma parceria entre o quadrinhista Santtos e o escritor André Vianco. A publicação é um lançamento da editora Novo Século e durante o lançamento na Bienal muitos fãs...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe