Editor fala sobre o novo selo editorial, a volta da editora aos quadrinhos e o futuro da série Bone

O Impulso HQ durante o lançamento do livro GIBI, que aconteceu no último sábado, dia 14 de abril, conversou com Roberto Gobatto, editor da Via Lettera que recentemente lançou o livro GIBI, que marca a estreia de um novo selo da editora, o Sobre HQ. Entre muitas coisas Gobatto, que é responsável pelo selo de público jovem, nos conta sobre os planos da Via Lettera, que segundo suas próprias palavras “está começando a voltar ao mercado de HQ”.

Impulso HQ: Quais as novidades da Via Lettera para 2012?
Roberto Gobatto:
Além so novo selo que tem a sua estreia com a publicação de GIBI, dentro dessa linha de público jovem vamos resgatar outro selo que é o HQ Express que era editado pelo JP. O primeiro título a ser lançado é o Fade out, dos autores Beto Skubs, Rafael de Latorre e Marcelo Maiolo que foram contemplados pelo Proac. O livro terá 64 páginas coloridas em papel especial e está em fase de finalização. Provavelmente o lançamento será no dia 10 de maio, só não decidimos o local: São Paulo ou Piracibada, cidade dos autores que já publicam no mercado estrangeiro.

IHQ: O que podemos esperar do novo selo editorial da Via Lettera?
R.G.:
O novo selo “Sobre HQ” irá agregar o nosso material técnico de HQ, anime e mangá, portanto títulos que já são da casa como Ebal, Tico Tico, Traços Ideogramáticos e Almanaque Pop da Cultura Japonesa serão relançados com esse novo selo e com novo acabamento.

IHQ: O mercado está preparado para um selo editorial de livros técnicos sobre HQs?
R.G.:
O mercado não está preparado pra nada, mas temos que fazer, temos que publicar. Se o mercado tivesse o mínimo de preparação nós não lançaríamos um livro por ano que é a nossa programação, lançaríamos um por mês, porque material não falta. Eu recebo material semanalmente de pessoas que escrevem teses, sobre algum quadrinho especifico ou sobre uma fase histórica dos quadrinhos, mas não tem vazão. Não sei te dizer se está ou não preparado, mas isso precisa existir.

IHQ: Então o novo selo é uma aposta sem perspectiva?
R.G.:
Tudo tem perspectiva ou senão não lançaríamos um livro nesses moldes. Na verdade não nos prendemos a isso, do mesmo jeito que não temos selos por faixa etária, não temos a preocupação do mercado. A nossa preocupação é com o leitor. É necessário ter essa publicação no mercado. O GIBI, por exemplo, foi um calvário para publicar, ele ficou anos na gaveta, primeiro foi anunciado para 2010 e depois em 2011, e só agora antes do mundo acabar é que conseguimos tirar ele da gaveta.


IHQ: Por que lançar GIBI nesse momento?
R.G.:
Por se tratar de uma editora multifocada, a gente trabalha com a oportunidade, então não era a oportunidade do livro sair nos anos anteriores. Lançar agora é redondo, pois a revista GIBI teve a sua estreia em abril de 1939.

Não saiu antes também por questões administrativas, tivemos muitas perdas em 2009 e 2010, tanto de funcionários e material. Perdemos a Front e perdemos a equipe que era focada em quadrinhos e isso foi um baque grande. Tenho títulos que foram prometidos e que estão atrasados até hoje e outros que estão caminhando lentamente e quase não saem, que é o caso de Bone, que vem se arrastando para a sua conclusão, quase dez anos.

A gente vive para colocar um material no mercado com menos danos possível para uma editora que hoje é uma empresa de pequeno porte. A Via Lettera já teve V de Vingança, Watchmen, Estrada da Perdição, tivemos um dos editores mais importantes de história em quadrinhos desse país que é o JP Martins, e hoje é uma realidade completamente diferente.

A Via Lettera é uma das poucas editoras no mercado que não foram compradas. Se você fizer uma análise das editoras que surgiram na mesma época, há quinze anos, a maioria já foram agregadas por outras maiores, e a Via Lettera está se segurando. Já teve proposta? Sim, mas a gente se segura.

IHQ: Um assunto que não podemos deixar de falar é sobre Bone. Quais são os planos para o título?
R.G.:
Bone está nos planos da editora, agora a questão de previsão, estamos com uma dificuldade muito grande na questão de vazão de livros. Temos um estoque gigantesco de edições de Bone, que é mais procurado por jornalistas e profissionais de quadrinhos, agora o público geral não tem tanto interesse.

Agora, talvez quem sabe, com o filme do Bone chegando a gente possa finalizar a saga que está há dez anos no mercado nacional. Temos todos os direitos de Bone até o ultimo número e a edição especial, já estão traduzidas e estão prontas. Tenho dois números que já estão diagramados, mas agora pra sair é preciso de algumas decisões internas que já estão acima da minha cabeça.

IHQ: Quais títulos de quadrinhos que estão programados?
R.G.:
Em quadrinhos, até dezembro de 2012, o que temos de certo é Fade Out – Suicídio sem Dor, que é a estreia do selo HQ Express. Para 2013 temos um quadrinho novo que é na mesma linha do A História dos Judeus, que foi um quadrinho que lançamos em 2009 e fez um sucesso enorme, e é direcionado para o público que geralmente não lê quadrinhos, e na mesma linha editorial teremos outro título. Os dois estão programados para o primeiro semestre do ano que vem.

Renato LebeauentrevistasBeto Skubs,Bone,Fade out,gibi,Marcelo Maiolo,Rafael de Latorre,Roberto Gobatto,Via LetteraEditor fala sobre o novo selo editorial, a volta da editora aos quadrinhos e o futuro da série Bone O Impulso HQ durante o lançamento do livro GIBI, que aconteceu no último sábado, dia 14 de abril, conversou com Roberto Gobatto, editor da Via Lettera que recentemente lançou o livro...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe