Mauricio Roselli Augusto é professor de desenho, e nas horas vagas trabalha histórias em quadrinhos. Atualmente se dedica a sua personagem Águia Dourada e seu universo, e luta para lançar suas HQs.

O quadrinhista que desde os 9 anos de idade, se interessa por HQs e começou a desenhar e criar suas histórias aos 10 anos, tentando desenhar o Pato Donald e criou o seu primeiro personagem, o “Juca” um menino levado igual ao personagem “Chaves” , que vivia aprontando junto com seus amigos.

Mauricio Roselli fala de quando começou o seu primeiro fanzine, como surgiu a ideia de criar a sua personagem mais famosa e como ele reagiu quando o acusaram de plagiar uma personagem da DC Comics, e quais são os planos futuros para Águia Dourada e uma equipe de super-heróis brasileiros. Confira:

Rod Gonzalez: Quando lançou seu 1º fanzine?
Mauricio Roselli:
Criei e lancei o meu primeiro fanzine em 1999 aos 22 anos, junto com o meu amigo Ricardo Kenji. O nome da publicação era “Tupiniquim” e foram lançados no total de cinco numeros. Antes de 1999 eu só participei de outros fanzines como colaborador e desenhista.

R.G.: Qual foi sua inspiração para criar a Águia Dourada? Em que ano ela surgiu e onde já foi publicada?
M.R.:
Em 1993 entrei no fanzine Fusão Comics, e lancei o personagem Caçador, que foi rejeitado pelo pessoal do zine. Porém em uma reunião com o grupo, os responsáveis me deram a terceira edição da Fusão inteirinha só pra mim, mas que eu tinha que lançar algo novo.

Voltei pra mesa de desenho para criar um novo personagem, mas a idéia não vinha e para relaxar peguei as HQs do Super-homem para ler as aventuras da Mulher-maravilha, e foi ai que tive a ideia de criar não um herói e sim uma heroína inspirado na Mulher-maravilha. Depois de milhões de esboços nada saía, e ao ver uma matéria de uma ave chamada águia dourada, ai finalmente tinha nascido uma heroína brasileira.

Ela surgiu em 1994, e saiu no fanzine Fusão Comics nº3 no formato impresso.

R.G.: As HQs da águia dourada estavam sendo publicadas em uma revista virtual no site QG do Homem-escudo, mas em 2010 você decidiu lançar em edição impressa mantendo a numeração, o que o motivou a publicar nesse formato?
M.R.:
Lancei a edição 1 e 2 da Águia Dourada no site e o meu objetivo era lançar a edição 3 lá também, mas por causa do sumiço do Bruno Sauerbronn, junto com a minha vontade de lançar uma HQ da Águia Dourada impressa, saiu a revista. Mantive a numeração porque as HQs anteriores tem uma ligação com a edição número 3.

R.G.: Quais suas expectativas com o lançamento?
M.R.:
Estou bastante animado com esse lançamento porque a historia é boa e o meu objetivo é atingir antigos e principalmente novos leitores que querem conhecer e ter uma HQ da personagem nas mãos.

R.G.: Tempos atrás você promoveu no seu fotolog uma votação em que os leitores escolheriam um novo uniforme para a personagem. Você já chegou a alguma decisão?
M.R.:
Sim. Já tenho um uniforme que pretendo lançá-lo à partir da edição nº4 e que já divulguei em meu fotolog. A mudança de uniforme vai ocorrer aos poucos e vai acrescentando um detalhe de cada vez até ficar totalmente mudada, mas ainda estou meio em duvida com relação ao novo uniforme, e pretendo mudar alguma coisa nele.

R.G.: Águia Dourada sofreu uma certa polêmica quando foi acusada de plágio da personagem Vésper da DC Comics. O que você poderia nos dizer para se defender dessas acusações?
M.R.:
Pessoas anônimas acusaram a Águia Dourada de ser plágio da Vésper da Legião dos Super-heróis da DC no blog dela e no meu e-mail. Não sei o por que comparam tanto as duas, porque o histórico e os poderes são completamente diferente uma da outra. Só o uniforme que é bastante parecido com o da Vésper e foi por isso que eu decidi mudar, para por um fim nessa polêmica.

R.G.: Foi divulgado que a personagem, junto com outros super-heróis nacionais, seria publicada pela NHQ em revista própria e em uma edição especial junto com o Raio Esmeralda. O que aconteceu?
M.R.:
Sim, vai sair uma revista que vai unir bastantes super-heróis nacionais e em breve. Também estava previsto para lançar em março do ano passado uma edição especial da Águia Dourada junto com o Raio Esmeralda na revista “Grandes Encontro” do Samicler Gonçalves, mas por causa dos problemas de saúde que o Samicler teve a revista foi adiada, mas segundo ele o lançamento está confirmado.

R.G.: No começo do ano o Bruno Sauerbronn (criador do Homem-escudo) me disse que seria lançada uma revista dos Patriotas, grupo de super-heróis brasileiros do qual sua personagem Águia Dourada faz parte. Como anda esse projeto?
M.R.:
Até o começo do ano de 2010 o Bruno estava mandando e-mails falando sobre esse projeto, mas ele sumiu e não retornou mais os meus e-mails.

R.G.: Você divulga seu trabalho em um Fotolog que durante um tempo foi bem badalado. Ainda acredita na comunidade de quadrinhos que se reuniu nesse provedor?
M.R.:
A comunidade que está nesse provedor atualmente não é mais a mesma que nem antes. Tenho a impressão que cada um ali só tem visão para os seus projetos e não ligam para os trabalhos dos outros. Estou bem desanimado com essa comunidade e eu não sei se vou continuar ali.

R.G.: O que acha desses leitores de HQs que têm preconceito contra os super-heróis brasileiros?
M.R.:
Não tenho palavras para com esses leitores. Às vezes eles nem leram uma HQ brasileira e já falam que é ruim ou porcaria, é puro preconceito de quem acha que só no Brasil tem trabalhos ruins.

R.G.: Na sua opinião, o que falta para os super-heróis brasileiros deslancharem?
M.R.:
Originalidade e bons trabalhos.

R.G.: Deixe escrito aqui um bom motivo para que os leitores adquiram a edição nº 3 da revista Águia Dourada.
M.R.:
“Águia Dourada nº3 – Fim”, é o inicio de uma nova saga que promete mudar a vida da heroína completamente. Essa revista tem a participação especial da vilã Gaia, personagem fundamental dessa saga, e o encontro entrem a Águia Dourada e a misteriosa Karina.

Escolhi esse título porque muita coisa vai mudar, e acabar também. Muitos personagens vão desaparecer e outros novos vão entrar no lugar, essa é uma das mudanças que ocorrem nessa saga. A própria Águia Dourada vai mudar depois de receber uma notícia.

Outra mudança na personagem é no visual que vai mudar. A mudança do uniforme vai ocorrer aos poucos e vai acrescentando um detalhe de cada vez. A mudança também é no estilo de desenho, que vai ser totalmente “cartoon”. Adquira a HQ Águia Dourada nº3, porque vale a pena!

__________________________________________________

O Impulso HQ agradece a Rod Gozanlez por ter enviado a entrevista. E lembramos que para os interessados em adquirir a revista Águia Dourada nº3 a publicação tem as seguintes características:

12 páginas (capa colorida + miolo p&b)
Tamanho formatinho (estilo encadernado)
Ilustração da capa: Airton Marcelino
R$ 3,00
Não é cobrada taxa de envio

Para garantir a sua edição o interessado deve enviar o dinheiro em carta (o quadrinhista ainda não disponibiliza de conta bancária para depósito, mas em breve pretende resolver isso) para o seguinte endereço:

A/c Mauricio Roselli Augusto
Av. Engenheiro Pinto Martins – entrada particular 210
Casa 1 – Vila Rica
São Paulo / SP
CEP: 03911-010

Para saber mais sobre Mauricio Roselli Augusto, acesse o seu fotolog, clicando aqui, e para saber mais sobre a personagem Águia Dourada, clique aqui.

Renato LebeauentrevistasÁguia Dourada,Mauricio Roselli Augusto,Rod GonzalezMauricio Roselli Augusto é professor de desenho, e nas horas vagas trabalha histórias em quadrinhos. Atualmente se dedica a sua personagem Águia Dourada e seu universo, e luta para lançar suas HQs. O quadrinhista que desde os 9 anos de idade, se interessa por HQs e começou a desenhar e...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe