Trabalhando com ilustração há 3 anos, Luciano Tasso, acaba de lançar o álbum AK47, pelo Selo [e]  da editora Annablume, coleção Royale, com coordenação do Jozz.

Luciano já publicou em outras coletâneas, inclusive o Zine Royale, mas essa é a primeira vez que ele desenvolve um projeto de HQ somente sua. Formado em publicidade pela USP, o quadrinhista se define como um apaixonado por HQs desde sempre, e procura se dedicar a projetos menores, como uma coletânea, para sempre se manter em produção.

Automatic Kalashnikov 47 é o segundo álbum de HQ da editora Annablume, e tem o prefácio escrito por Marcelo Campos. A obra é uma comédia urbana surreal, e teve o seu lançamento realizado na HQMix Livraria no ultimo dia 29 de abril . O Impulso HQ esteve lá para conhecer o autor e saber um pouco mais sobre a produção da HQ. Confira:

Impulso HQ: Você já participou de outras publicações em quadrinhos como o Zine Royale. Como é agora publicar o seu filho? Como está sendo todo esse processo?
Luciano Tasso:
È um trabalho cansativo. Você tem q se dedicar a longo prazo. Exige bastante força de vontade. O Jozz me deu uma grande força, porque foi ele quem me incentivou para finalizar o projeto. Daí eu corri atrás e fui finalizando nas horas livres até conseguir concluir o trabalho.

IHQ: Qual foi a maior diferença que você sentiu em participar de uma publicação coletiva e uma somente sua?
L.T.:
Acredito que você tenha uma maior responsabilidade. Você está se expondo totalmente pelado. É o que você fez, é aquilo que você pensa. A crítica vem toda para você. Não tem como dividir isso com outros autores. Mas é assim, você tem que produzir e expor os seus pensamentos.

IHQ: A história é uma comédia diferenciada com um tom não muito comum. Esse é o seu gênero, ou foi a escolha para uma primeira publicação?
L.T.:
A história tem um quê de anarquismo. Ele é anárquico. Acho que no fundo é a única solução para as coisas.  A gente vê a sociedade em que vivemos e só posso chegar nessa conclusão. Na verdade esse álbum é o fruto de várias conversas em boteco de coisas que você vai recolhendo ao longo da vida. Quem gosta de tomar uma cachaça no boteco de vez em quando é o parâmetro que tem para enxergar as coisas. É a vida na vista de quem bebe e se reuni com os amigos em um bar para tirar os estresses da vida.

IHQ: Então podemos considerar isso como um estilo seu de narrativa? Outros projetos também seguem essa linha?
L.T.:
Não sei. Tenho um estilo muito variado. Acho assim, de uma forma ou de outra sempre vai ter essa coisa de questionar o que a gente vive, isso é o principal. Tenho outros projetos que eu já desenvolvi que são um pouco mais sérios, se é que podemos chamar assim. Mas no fundo no fundo, você nunca perde esse espírito de ver as coisas de formas diferentes que não cai na alucinação de que quando a gente vê já se perdeu e viramos um bando de doidos fazendo sempre a mesma coisa.

IHQ: Sendo um álbum anárquico, você sentiu alguma relutância na hora da edição, ou teve algum problema de entendimento com a editora?
L.T.:
Não. Os editores formam super legais, super abertos e livres. Deixaram eu fazer a publicação do jeito que eu queria. Foi até espantoso pra mim, mas eu acho que foi um pouco a linha editorial que eles querem seguir. Pra mim foi muito bom. Não esperava mesmo, me espantou em certo aspecto.

IHQ: Vamos falar dos próximos projetos. Você tem algo em mente?Após finalizar o AK47 você pretende dar uma pausa e ver os resultados? Quais são os seus planos?
L.T.:
Não sei se estou preocupado com o resultado. Quadrinhos é algo que você faz por tesão. Tenho outros projetos, mas eu gostaria de me dedicar a finalizá-los. É como você comentou, é um filho que a gente faz. Tem uma gratificação muito grande. Agora talvez eu comece a fazer independentemente a fazer outra publicação. Vai ser conforme o tempo permitir, e os caminhos que eu puder trilhar.

IHQ: Para finalizar. Você já tem algo em mente ou em produção?
L.T.:
Produzindo não. Eu tenho um roteiro de uma outra HQ finalizada. Só preciso ver se é algo que a editora se interessa. Se eles derem o empurrão ai é lascar brasa. Isso ai talvez nas melhores expectativas é para o ano que vem. Como eu te falei é algo que você faz no tempo livre.
_________________________________________________

O Impulso HQ agradece Luciano Tasso pela entrevista. Para conhecer mais sobre o trabalho do quadrinhsita, clique aqui.

Renato LebeauentrevistasAK47,Annablume,Luciano Tasso,zine RoyaleTrabalhando com ilustração há 3 anos, Luciano Tasso, acaba de lançar o álbum AK47, pelo Selo   da editora Annablume, coleção Royale, com coordenação do Jozz. Luciano já publicou em outras coletâneas, inclusive o Zine Royale, mas essa é a primeira vez que ele desenvolve um projeto de HQ somente...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe