“Tem um cara tocando num bar que é conhecido seu. Ele te chama pra tocar e vocês, no improviso, fazem uma Jam”.

Entendeu? Não?

Essa frase é a chamada para a revista independente JAM, que foi lançada no dia 20 de março, que conta com as participações dos artistas Edu Mendes, Will, Marlon Tenório, Jozz, Daniel Esteves e Gil Tokio.

Para você ficar mais interado, a revista JAM tem como proposta explorar a linguagem das HQs partindo de tema e formato propostos pelo artista responsável pela edição.

A cada número muda o formato e o tema da revista, como se os artistas fossem uma banda que faz uma jam-session a partir da ideia proposta por um dos músicos.

Para saber mais sobre esse interessante projeto o Impulso HQ conversou com Edu Mendes, editor dessa primeira edição, que fala da onde surgiu a ideia da publicação, a abordagem gráfica diferenciada, como funciona essa relação jam-session na hora de se produzir e muito mais.

Entrevista Edu Mendes:

Impulso HQ: Sobre o que se trata o projeto Jam e da onde surgiu a ideia?
Edu Mendes:
O projeto JAM surgiu da vontade de reunir novos artistas que além de serem amigos, admiravam muito o trabalho um do outro.

Pensando sobre a ideia, percebemos que além de podermos trabalhar juntos, teríamos como resultado uma revista bem diferente de tudo o que se lê por aí, de autores que tem propostas muito particulares, mas ao mesmo tempo extremamente afinadas.

Lançamento da revista JAM em São Paulo

IHQ: A obra se diferencia de outras HQs pela sua proposta de a cada edição ter um editor que propõe tema e formato. Por que esse tipo de abordagem?
E.M.:
A vontade desde o início do projeto era produzir uma revista com uma cara e um conteúdo diferente do que vemos em geral. Como resposta a essa vontade, bolamos uma revista cuja proposta base é explorar a linguagem das HQs a partir de uma ideia dada pelo editor e tentar descobrir a partir da exploração dessa ideia quais os limites da linguagem Quadrinhos.

Tem muitas obras nacionais boas saindo, mas poucas se propoem a investigar o que é uma HQ e o que ela tem de único.

Lançamento da revista JAM na Bolivia

IHQ: O tema proposto por Edu Mendes nessa primeira edição é “Reflexos e Reflexões”, como foi para os desenhistas encararem esse assunto e como foi o processo criativo?
E.M.:
O tema não surgiu fechado logo de início. Escolhemos um formato de revista e à medida que o projeto ia avançando íamos trocando ideias, e eu como editor fui refinando o tema a cada esboço de HQ que os autores me mandavam.

Aos poucos, fui percebendo que todos tinham um discurso muito afinado e que existia uma linha que unia todas as histórias, mesmo sem que os autores tivessem buscado isso. Acredito que isso aconteceu por sermos da mesma geração e estarmos inseridos numa cena cultural onde somos influenciados por autores e questões parecidas.

Arte de Gil Tókio para a revista JAM

Cheguei a cogitar chamar outros amigos, mas percebi que não se afinariam tão bem com o grupo por terem propostas narrativas muito diferentes e escolhi fechar o grupo nos seis artistas que fizeram a revista : Will, Marlon Tenório, Gil Tokio, Daniel Esteves, Jozz e eu (Edu Mendes).

Uma vez que o grupo se definiu e o formato foi passado, cada autor foi me informando da sua proposta e eu fui direcionando, sempre tentando não influenciar demais, uma vez que desde o começou eu queria ter como resultado HQ bem autorais.
Foi um processo lento que levou quase um ano, mas que fluiu de forma bem natural.

IHQ: O que os leitores irão encontrar a cada edição da JAM?
E.M.:
Algo diferente do que esperam de qualquer outra revista.

Arte de Will para a revista JAM

IHQ: Percebe-se na HQ todo um cuidado gráfico não só nas artes como também de projeto editorial que chega a quase interagir com o leitor. Qual foi a maior dificuldade do projeto?
E.M.:
Gastamos muito tempo pensando em medidas, dobras, tipos de papel e por conta disso fomos obrigados e consultar diversas gráficas, sendo que algumas nem tinham equipamento pra fazer o que queríamos.

Eu tentei “brincar” com as dobras e suas possibilidades de influenciar a leitura na capa, no encarte e no mini-comic que encartei na revista. Tudo isso tomou muito tempo e exigiu vários testes.

Cada arte foi trabalhada durante o tratamento de imagens e a diagramação de forma a valorizar ao máximo a técnica em que foi elaborada. É possível, por exemplo, identificar o tipo de lápis que o Jozz usou e a fibra de algodão do papel em que eu pintei as aquarelas.
Queríamos uma revista que o leitor tivesse vontade de voltar e folhear com mais calma após ter lido uma primeira vez.

Arte de Marlom Tenório para a revista JAM

O interessante desse projeto é perceber que existe uma unidade nas propostas, por mais diferentes que sejam os materiais escolhidos para concretizá-las. Eu quis evidenciar visualmente essa diferença afim de reforçar a afinidade temática entre os autores.

A maior dificuldade foi elaborar a diagramação e encontrar uma gráfica que executasse a contento o trabalho. Prova disso é que mesmo gráfica em que mais confiávamos teve problemas e atrasou a entrega por dificuldades com o encarte.

Arte de Jozz para a revista JAM

IHQ: Cada autor tem a liberdade de interferir na HQ do outro? Como funciona essa relação JAM?
E.M.:
Cada autor teve liberdade para opinar nos trabalhos dos outros. Principalmente eu,  como editor, fiz várias sugestões, mas a palavra final era sempre de quem assinava cada trabalho.

O único trabalho feito de forma completamente coletiva foi a ilustração da página de abertura da revista em que cada um desenhou uma parte.

IHQ: Sempre o editor da cada edição fará a capa e terá um encarte especial?
E.M.:
A proposta é a cada número o editor fazer a capa e ter um destaque na edição que pode ser  com um encarte ou como o editor achar melhor.

Arte de Edu Mendes para a revista JAM

IHQ: A JAM é um grupo fechado ou nas próximas edições novos colaboradores poderão aparecer?
E.M.:
A JAM começou como um grupo fechado de cinco autores, mas a entrada do Daniel Esteves no meio do projeto, mostrou que isso incorporou muita coisa positiva no resultado final. Apesar de já existir um grupo coeso, sempre existe a possibilidade de novas cabeças trazerem novas ideias se isso for interessante para o projeto.

Lançamento da revista JAM em São Paulo: Edu Mendes, Lídia Basoli (Café Espacial) e Daniel Esteves

IHQ: Vocês não ficam preocupados em cada edição ser um editor com uma proposta diferente tanto gráfica como editorial, faça a revista Jam não ter uma identidade definida? Ou isso é que seria a identidade dela?
E.M.:
Ajudar na produção da revista Garagem Hermética por cinco números e editar o Informativo Quarto Mundo e mais duas coletâneas no Quarto Mundo (Prática de Escrita e Página por Página) me ajudou a perceber o que funciona e o que não funciona em publicações coletivas.

Na JAM, queremos sempre explorar a linguagem e encontrar algo que foi pouco explorado em HQ. Através da sinergia entre autores que são amigos, e tem propostas semelhantes, acredito que se definirá uma identidade que não será pautada por temas ou formatos.

Isso já aconteceu em outras publicações que tinham muitos autores como Circo ou RAW, mas que nem por isso não mantinham uma forte unidade. Na verdade, o que fez o sucesso dessas revistas foi o conjunto dos trabalhos, orquestrado por bons editores.

Lançamento da revista JAM em São Paulo: Marlon Tenório, Will e Daniel Esteves

IHQ: Vocês já têm algo definido para a segunda edição que poderiam adiantar para os leitores do Impulso HQ?
E.M.:
Ainda estamos trabalhando na divulgação da JAM 1, por isso nem paramos pra conversar sobre a 2.
_____________________________________

O Impulso HQ agradece a Edu Mendes, e a todos os integrantes da revista JAm pela entrevista concedida e pelas imagens que ilustram este post.

Fiquem com mais dados sobre a publicação:

JAM
Editor: Edu Mendes
Periodicidade: anual
Formato: 20 x 17 cm
Número de páginas: (cor ou pb) 36 pb/cor
Capa: (pb cor) cor
Preço: R$8
Distribuição: Quarto Mundo
Contato: [email protected]

Renato LebeauentrevistasDaniel Esteves,Edu Mendes,Gil Tokio,JAM,Jam Session,Jozz,Marlon Tenório,Will“Tem um cara tocando num bar que é conhecido seu. Ele te chama pra tocar e vocês, no improviso, fazem uma Jam”. Entendeu? Não? Essa frase é a chamada para a revista independente JAM, que foi lançada no dia 20 de março, que conta com as participações dos artistas Edu Mendes,...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe