Demétrio Alexandre Guimarães é escritor e o criador do super-herói brasileiro Rudamon, que é famoso na Internet e já têm um livro escrito. Esse ano também vai fazer sua estréia nos quadrinhos em uma HQ ao lado do super-herói Blenq, criação de Rod Gonzalez.

Saiba mais um pouco sobre o Rudamon, super-herói brasileiro criado pelo Demétrio nessa entrevista concedida a Rod Gonzalez.

R.G.: Como foi a criação desse personagem? Qual foi a sua inspiração, sua concepção e seu desenvolvimento?
D.A.:
Criar o Rudamon, não foi um trabalho fácil. É muito difícil você criar um super-herói, pois já existem centenas criados e a dificuldade maior é a de colocar os poderes e habilidades, bem como as características físicas e psicológicas, sem escapar de alguns clichês.

Sempre fui fascinado por mitologia egípcia, então parti do pressuposto que o meu super herói seria um brasileiro descendente de egípcios, e que a origem dos seus poderes viria dos deuses. Como eu sou do signo de escorpião, e sou daqueles escorpiões fanáticos, resolvi que os poderes seriam transmitidos ao personagem através do ataque de escorpiões sobrenaturais que estavam aprisionados, sendo que estes continham um antigo poder originado pelos deuses.

Fiz um estudo sobre escorpiões, história do Egito, mitologia egípcia e Egito Contemporâneo para escrever a trama. Osorkon, o superego de Rudamon, é um biólogo especialista no estudo de escorpiões. Biologia nunca foi o meu forte, tanto que eu sou geógrafo (rsrsr). Mas não deu pra escapar disso, pois a única forma que encontrei para que o personagem tivesse um contato com os escorpiões, foi essa.

A escolha do nome do super-herói é que foi algo interessante. Eu imprimi vários nomes egípcios e analisei um por um. Achei que “Rudamon” teria um forte impacto, e que as pessoas memorizariam facilmente. Esse foi o nome escolhido. Depois, por curiosidade, fui pesquisar o seu significado, e fiquei boquiaberto, pois o nome significa “Servidor de Deus na Terra”, ou seja, intuitivamente, acertei o nome em cheio!

R.G.: Por que lançar o livro antes das HQs?
D.A.:
Desenhar nunca foi o meu forte, eu sempre gostei de escrever histórias. Achei que seria melhor apresentar o meu super-herói através da literatura. Apesar de ser um péssimo desenhista, comprei alguns métodos de desenho, e fiz um pouco de aula, a fim de pelo menos colocar os personagens no papel.

R.G.: O livro teve uma boa repercussão na Internet, sendo muito divulgado. Isso ajuda? Como estão as vendas?
D.A.:
Ajuda no sentido do seu trabalho ficar conhecido, já em termos de vendas, as coisas não são tão fáceis assim, creio eu que por dois motivos: 1) A grande maioria dos brasileiros não gosta de livros; 2) Geralmente quem gosta de super-heróis, prefere ler HQs.

Em relação às vendas, dos 1000 exemplares que foram publicados, já foram vendidos 300. O preço de capa do meu livro foi estipulado em 30 reais + 10 reais de despesas de correios.
Esse ano eu resolvi fazer uma mega-promoção: o livro sai apenas 18 reais (incluindo as despesas postais), e o leitor ainda concorrerá a um prêmio de 500 reais em Dezembro deste ano.

Ao vender o livro por esse preço e oferecer o prêmio, estou praticamente abrindo mão do meu lucro, pois a minha intenção é tornar o meu trabalho conhecido. O livro só pode ser adquirido através do meu blog.

R.G.: Como reagiu perante as críticas negativas?
D.A.:
Num primeiro momento, fiquei muito magoado. Ninguém gosta de receber críticas, mas quem se expõe igual eu fiz, tem que estar pronto pra qualquer coisa. Eu sou uma pessoa que não me incomodo muito com críticas, pois eu acredito que elas servem para nos aprimorar.

No entanto, essas críticas que eu recebi no fórum MBB, foram ofensivas, de baixo calão e até mesmo inescrupulosas. Fiquei com muita raiva a princípio, depois cheguei à conclusão de que algumas coisas que me disseram naquele fórum me tornaram mais forte, outras até serviram para me dar novas idéias.

R.G.: Quando vão sair os novos livros?
D.A.:
Fica muito difícil estipular uma data. Se o meu plano para este ano der certo, e eu consegui tirar da estante os 700 exemplares que faltam ser vendidos, eu acredito que em meados de março de 2012, eu já faça o lançamento do livro “Rudamon II- O Filho”.

R.G.: E a HQ, tem previsão?
D.A.:
Em relação às HQs, eu suspendi o projeto por tempo indeterminado. Vou trabalhar com força total através dos livros, e deixarei a proposta no ar. Se de repente aparecer alguém que acredite no potencial do meu trabalho, que queira fazer uma parceria, que consiga bons desenhistas e invista no projeto, os roteiros ficarão por minha conta e o trabalho poderá sair do sonho e se transformar em realidade.

R.G.: Acredita no futuro do mercado de entretenimento com o super-herói brasileiro?
D.A.:
Nós temos que acreditar, no entanto, algumas estratégias precisam ser mudadas. Nosso povo é muito “americanizado” (basta você conferir os comentários que os membros do MBB fazem dos heróis brasileiros).

Infelizmente o que chama a atenção do nosso povo é o “Brasil Urgente” e outras coisas do gênero. Mas também temos que ver que quando sai um filme da algum super herói da Marvel ou DC Comics, nossos cinemas ficam lotados. Ou seja, existe um público, existe um mercado consumidor.

Acredito que falta uma estratégia e um planejamento bem formulado pelos criadores de super-heróis brasileiros, a fim de acertar em cheio o público alvo. Infelizmente o cinema nacional e a televisão brasileira não se interessam pelo tema, o que poderia ser uma arma bem poderosa para que os super-heróis brasileiros ganhassem mais admiradores. O problema é descobrir qual a “fórmula” para chamar a atenção.

R.G.: Topa um encontro do Blenq com o Rudamon?
D.A.:
Sim. Será um prazer escrever esse roteiro, principalmente porque eu acredito que se criarmos uma “Liga Brasileira de Super-Heróis” e unirmos nossas forças como criadores de super-heróis, nosso poder de fogo aumentará muito.

Meu sonho não se limita só ao Rudamon, eu torço por todos os super-heróis nacionais. Essa proposta é muito interessante, e pode ter certeza que esse roteiro será benéfico tanto para o Blenq como para o Rudamon.

R.G.: Qual desenhista nacional você gostaria que desenhasse o Rudamon?
D.A.:
Temos muitos desenhistas excelentes aqui no Brasil. Prefiro devolver a pergunta dizendo: Qual deles gostaria de desenhar o Rudamon? Rsrsrsrs

R.G.: O que podemos esperar pro futuro do Rudamon?
D.A.:
O Futuro do Rudamon é incerto, como qualquer futuro. Posso resumir que Rudamon é uma esperança, um sonho que de repente surgiu em minha mente. Torço pelo herói, e pretendo trabalhar muito com ele, no entanto, ele precisará de um público que o admire, e que o adote como um de seus heróis prediletos. Esse objetivo até pode ser alcançado um dia, mas tenho que trabalhar muito para que isso aconteça.
____________________________________________________________

O Impulso Hq agradece a Rod Gozanlez por ter enviado a entrevista. Para saber mais sobre Rudamon, acesse: www.rudamon.blogspot.com , e veja a resenha HQB de Rudamon: o novo herói, clicando aqui.

Renato LebeauentrevistasDemétrio Alexandre,Rod Gonzalez,RudamonDemétrio Alexandre Guimarães é escritor e o criador do super-herói brasileiro Rudamon, que é famoso na Internet e já têm um livro escrito. Esse ano também vai fazer sua estréia nos quadrinhos em uma HQ ao lado do super-herói Blenq, criação de Rod Gonzalez. Saiba mais um pouco sobre o...IMPULSO HQ é um site que se propõe a discutir histórias em quadrinhos e assuntos derivados como cinema, games e cultura pop em geral.