A seguir a segunda parte da entrevista.
Como eu disse no primeiro post referente a entrevista, a cada dia eu colocarei uma parte.
Mais uma vez, agradecimentos a Joaquim Ghirotti.

Entrevista – Segunda Parte

A obra mais célebre de Druillet provavelmente é La Nuit, uma espécie de saga punk, sobre um grupo de motociclistas violentos em um futuro apocalíptico, feita nos anos 70.

O álbum começa festivo, mostrando que o grupo é de personagens excessivos e hedonistas; eles se drogam, tem tatuagens e cabelos compridos, dançam e cantam ao som de “Brown Sugar” dos Rolling Stones e vivem em um mundo que lembra muito os cenários da série de filmes Mad Max.

A violenta celebração das personagens gradualmente chega ao fim quando Druillet começa a matar eles, um por um, de forma cada vez mais violenta, fazendo com que a narrativa culmine em uma catarse apocalíptica e destruidora na qual o próprio universo se desintegra, destruindo a tudo e a todos; sua esposa na época, Nicole, sofria de câncer.

A doença a consumiu gradualmente enquanto Philippe fazia o álbum, desenhando à noite. No final, sua sanidade já estava no limiar da razão: ele colou fotos da esposa nas páginas, muitas delas nus delicados, enquanto desintegrava o mundo de seus personagens e os matava um a um, até implodir tudo e dissolver seu último e desesperado personagem em traços que evanescem, no último quadrinho, tentando assim, claro, matar também sua própria dor.

Trata-se de uma das obras de quadrinhos mais pessoais, épicas, dolorosas e experimentais já feitas. Um trabalho de arte inigualável, grandioso e extremamente sincero. Algo jamais feito antes ou desde então.
A obra virou um filme underground, nos anos 80.

Jamais foi publicada no Brasil. Assim como toda obra de Druillet.

O único material de Druillet que encontrei publicado no Brasil foi uma reprodução pirata, em uma revista chamada DejaVú, dos anos 80.

Mais uma tentativa dos quadrinhos Brasileiros de lançar uma espécie de “Metal Hurlant” nacional. Mesmo que ilegalmente.

Sua outra grande obra é Salammbô, um álbum de quadrinhos enorme baseado no livro de Gustave Flaubert, o autor de Madame Bovary.

A obra original de Flaubert era um romance histórico, misturando personagens reais com ficcionais e retratando a revolta mercenária contra Cartago e a relação entre a personagem central, Salammbôe o mercenário Matho.

Alterando o original, Druillet transformou o livro do autor realista numa grotesca e violenta ópera espacial, tomada por alienígenas, máquinas futuristas e criaturas monstruosas.

Em um dia frio de Janeiro de 2008 eu chego no ateliê de Philippe Druillet, hoje em dia um senhor de 63 anos que não parece em nada com alguém que sonha e desenha as aventuras do guerreiro Vuzz, cria as viagens intergalácticas de LoneSloane, uma espécie de pirata espacial que luta contra deuses negros, robôs malignos e alienígenas obscenos, e que transformou o clássico Salammbô em algo muito diferente do original.

Druillet abre a porta de ferro e me recebe com sorriso caloroso, faz piadas, me mostra a mesa onde desenha; uma pintura descansa em um cavalete, aguardando o retorno do artista; observo a boca interminada da figura, que me passa uma expressão ressentida e melancólica, talvez por eu ter interrompido o trabalho de seu autor.

A sala é tomada por luminárias que ele mesmo desenhou, assim como esculturas. No canto direito, estátuas em tamanho natural de guerreiros, utilizadas na série de TV Le RoisMaudits, ocupam a parede.

Druillet aperta minha mão: seus dedos estão cobertos por anéis com as tradicionais carrancas que ele utiliza para assinar seus trabalhos.

Ele vai à cozinha, trás uma garrafa de vinho branco, enche meu copo, e o dele, e começamos a entrevista.

Renato LebeauentrevistasquadrinhosHeavy Metal,Joaquim Ghirotti,METAL HURLANT,Philippe DruilletA seguir a segunda parte da entrevista. Como eu disse no primeiro post referente a entrevista, a cada dia eu colocarei uma parte. Mais uma vez, agradecimentos a Joaquim Ghirotti. Entrevista – Segunda Parte A obra mais célebre de Druillet provavelmente é La Nuit, uma espécie de saga punk, sobre um grupo de...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe