03

Lorde Lobo é arte educador e jornalista ilustrador, grande figura no cenário dos quadrinhos nacionais, entre as suas criações encontram-se Penitente, Topman, Lipe e também foi editor do fanzine Areia Hostil.

Durante a entrevista Lorde Lobo fala sobre as suas criações, seus personagens de HQB preferidos, e como ele reage as críticas que recebe em fóruns de discutem HQs e como anda o sucesso de seu personagem Penitente.

Entrevista:

Rod Gonzalez: Como despertou o seu interesse pelo quadrinho nacional?
Lorde Lobo:
Na verdade, foi quando passei a produzi-los, isso só lá em 1995, quando entrei pra faculdade de Artes. Um colega meu era zineiro e me presenteou com vários zines, entre eles os Historietas, um verdadeiro clássico!

Me apaixonei pela diversidade do material nacional! Antes disso, eu era mais um destes preconceituosos idiotas em relação aos quadrinhos nacionais! É por isso que eu digo: ignorância tem cura!

R.G.: Quais os seus super-herói brasileiros clássicos preferidos e por quê?
L.L.:
O que mais curto é o Judoka. É uma mescla de conceito e visual muito legal! Funciona muito! Li algumas Hqs do Homem-Justo e também é outro herói BR clássico que gosto, principalmente pela originalidade do visual, que é apenas uma silhueta humana brilhosa!

05

R.G.: E dos novos, quais os seus prediletos (não vale um dos seus)?
L.L.:
Claro que eu não citaria um dos meus! Há! Há! Há! Seria muita prepotência! Bem, tenho acompanhado bem de perto a atual produção de super-heróis nacionais! E são, em sua maioria, personagens com muito potencial!

Vou destacar alguns: Cometa (Samicler Gonçalves), Nova (Emir Ribeiro), Tristão (Estevão Ribeiro), Crânio (Francinildo Sena), Noturnos (Nel Angeiras), Lagarto Negro (Gabriel Rocha), entre outros…

R.G.: Quando criou seus primeiros personagens?
L.L.:
Putz… na verdade, não lembro ao certo, mas eu era muito pequeno, criança mesmo!

R.G.: Quantos trabalhos seus já foram publicados? (vale fanzine, jornal e independente, menos internet).
L.L.:
Quantos ao certo, impossível dizer! Só pra teres uma ideia, publico minhas charges em jornal diário desde 1992. Em 1995 passei a publicar em zines. Internet só veio bem depois!

07

R.G.: Você foi durante muitos anos editor do famoso e premiado fanzine Areia-Hostil. Fale sobre esse período e essa publicação.
L.L.:
Eu era o editor e o Law Tissot era o co-editor. Este zine foi muito legal e ensinou muito a todos nós! Lançamos vários artistas e personagens, que hoje já são conhecidos de quem curte Hqs nacionais.

R.G.: E o Areia-Hostil acabou mesmo?
L.L.:
Claro que a Areia Hostil não acabou! Muito pelo contrário, está apenas adormecida, mas pode voltar a qualquer momento…

R.G.: O Topman foi muito criticado por usar as cores da bandeira do Brasil em seu uniforme, mas ter seu nome em inglês. O que você tem a dizer sobre isso?
L.L.:
Que atingi o meu objetivo! Era esta a exata proposta! Basta pensar que o Topman é um super-herói de humor, que satiriza o cenário dos super-heróis sérios! E, de tabela, debocha deste preconceito bobo dos leitores nacionais no que se refere aos supers brasileiros!

Isso foi explicado em sua primeira tira, onde o próprio personagem explica que adotou um nome gringo pra ver se fica mais fácil de ser aceito, apesar de se vestir com a bandeira brasileira! Só quem é muito tapado pra não perceber isso! Pensam que estão me criticando, mas estão é assinando seus atestados de burrice!

08

R.G.: Como surgiu seu mais recente personagem, o Penitente?
L.L.:
Ele simplesmente surgiu em minha mente, enquanto eu estava voltando para casa e passava em frente ao cemitério… veio imagem,conceito, nome… só tive que chegar em  casa e anotar tudo!

R.G.: Depois que você inventou o Penitente não tive mais notícias do Topman. Ele morreu?
L.L.:
Não! Claro que não! E em 2008 ele completou 10 anos de sua estréia em tiras de jornal! Tenho planos para uma revista só dele, como fiz com o Penitente. Mas todos sabem o quão difícil é editar uma revista, o que dirá duas!

04

R.G.: O Penitente também foi criticado, acusado de ser plágio do Spawn. O que você tem a dizer sobre isso?
L.L.:
Já me incomodou isso, mas hoje não me importo mais! Tenho a consciência bem tranquila em relação a isso! Tem algumas coisas em comum, tem, mas hoje em dia, muitos personagens têm aspectos em comum!

O que posso dizer é que, para ajustar o conceito do Penitente (depois que ele surgiu de supetão em minha mente), me inspirei única e exclusivamente em um outro personagem, que nem pertence ao mundo dos quadrinhos: James Bond! Pensei assim: “Como seria se um cara como o 007 fosse do mal, um terrorista, o melhor deles! … E se, ao morrer, ele tivesse a chance de se redimir, o que faria?”

R.G.: Mesmo assim o Penitente em pouco tempo conquistou muitos admiradores, a que você atribui o sucesso instantâneo do personagem?
L.L.:
Primeiramente atribuo aos amigos que têm me ajudado muito, principalmente ao Nel, que foi o primeiro a se juntar a mim neste projeto! Depois vieram muito outros, como Edvanio Pontes, Rafael Tavares, Mauro Barbieri, Israel Gusmão, só para citar alguns pouquíssimos!

E, por incrível que pareça, aos tolos que tentam avacalhar o meu trabalho e meu personagem! Estes caras fazem uma propaganda e tanta!

São tão tolos que ficam fazendo tanto barulho para destruir algo que acaba propagado o trabalho de quem tenta destruir! As pessoas devem pensar: “Será que é tão ruim assim, ou não passa de inveja deste cara?” E aí, resolvem comprar e conferir!

06

R.G.: Você lançou a revista do Penitente de maneira independente, essa pergunta que eu vou fazer interessa para muitos artistas que também querem lançar revistas com seus personagens, Lorde Lobo, como estão as vendas do Penitente? A revista já se pagou?
L.L.:
Olha, isso infelizmente ainda não poderei responder, pois não fiz o recolhimento das bancas… a edição 1 continua em venda! A meta era fazer com que a periodicidade fosse quadrimestral, mas acabei optando pela semestral (neste ano) para que as edições pudessem ficar mais tempo nos pontos de venda.

R.G.: Você foi alvo desses anônimos que atacam artistas e fazem uma bagunça danada na cabeça de todo mundo, às vezes conseguindo colocar uns contra os outros. O que você tem a dizer sobre esses caras?
L.L.:
Nada! Anônimos merecem o anonimato!

R.G.: O fórum MBB também lhe escolheu pra alvo de críticas. Qual a sua opinião sobre os usuários desse fórum que “discute” o quadrinho nacional e gostam de pregar peças e fazer campanhas contra alguns artistas brasileiros?
L.L.:
Críticas vazias ou provocativas… não perco mais meu tempo com isso… E como falei, eles fazem propaganda!

01
R.G.: Você costuma ser direto nas suas participações na internet, e, ainda que educadamente, fala o que pensa mesmo que isso possa não agradar alguém. Já teve algum problema na sua vida pessoal por causa da sua franqueza?
L.L.:
Sim! Até em relação a outros quadrinhistas… Mas nunca faço por mal! Mas da mesma maneira que falei algo que uma pessoa não gostou, sou humilde o suficiente para me desculpar! Não sou dono da verdade e nem estou aí para magoar ninguém! Se magoei, ainda que buscando ajudar, peço desculpas mesmo!

R.G.: Esse seu jeito de dizer o que pensa, sem medo das represálias, também lhe conferiu uma posição de liderança no meio independente dos quadrinhos nacionais, principalmente entre os criadores de super-heróis brasileiros. Você se sente um pouco responsável pelo crescimento do segmento?
L.L.:
Não… Sou apenas mais um… Na verdade, sou mais dependente dos outros do que eles de mim! Principalmente em relação ao penitente, por exemplo! Faz anos que parei de desenhar em estilo “super-heróico”, por causa do meu trabalho com humor e charges… hoje, dependo de caras que desenhem para poder tocar a revista do Penitente!

Sem eles, a revista não estaria aí, nas bancas!

Na verdade, se comparado a caras como Samicler, Emir e tantos outros, sou apenas um novato! Tenho muito a aprender ainda! Hoje, minha maior preocupação e buscar o melhor a cada edição que lanço! Só por isso me sinto responsável, nada mais!

02

R.G.: Os fotologues hoje são uma das potências da HQ nacional, e o seu fotologue é um dos responsáveis por esse poder. O que você tem a dizer a respeito dessa comunidade de artistas de quadrinhos que se juntou ao redor do portal Terra?
L.L.:
Que nada! Novamente neste ponto, fui um dos que só aderiu aos flogs bem depois! Quem começou a empolgar o pessoal foi a Michelle Ramos (criadora do personagem “Brasileiro”).

Ela foi à primeira! Depois vieram os outros! E, depois eu! Claro que hoje, tem caras por lá que estão entrando nessa só agora! E para estes, só posso dizer que vale a pena! E é muito legal a interatividade proporcionada por lá!
Basta ser humilde para se aprender muito!

R.G.: Você acredita que o Penitente e outros bons personagens que temos no Brasil vão chegar nas bancas?
L.L.:
Claro! E isso já acontece! Só pra exemplificar: Cometa e Penitente, entre muitos outros títulos, fazem parte da lista de publicações que são vendidas nos pontos de venda da Comix.

R.G.: Deixe uma mensagem para seus fãs.
L.L.:
Fãs? Tenho algum? Hê! Hê! Hê! Sei lá! Deixa eu ver…

Já sei: Comprem Penitente! Comprem Penitente! Comprem Penitente (espero que funcione! Há! Há! Há!)! Valeu pela divulgação, Rod! E vivas aos quadrinhos nacionais!

Recebi o exemplar da revista do Blenq! Parabéns por esta conquista! Sucesso!
___________________________
Para conferir mais sobre Lorde Lobo e seus personagens confira o site www.lordelobo.com.br.

O Impulso HQ agradece mais uma vez a Rod Gonzalez por sua gentileza em enviar a entrevista e permitir que ela seja publicada.

Renato LebeauquadrinhosAreia Hostil,Edvanio Pontes,Emir Ribeiro,Estevão Ribeiro,fanzine,Francinildo Sena,Gabriel Rocha,Homem-Justo,HQB,Hqs nacionais,Israel Gusmão,Judoka,Law Tissot,Lipe,Lorde Lobo,Mauro Barbieri,Nel Angeiras,Penitente,Rafael Tavares,Rod Gonzalez,Samicler Gonçalves,TopmanLorde Lobo é arte educador e jornalista ilustrador, grande figura no cenário dos quadrinhos nacionais, entre as suas criações encontram-se Penitente, Topman, Lipe e também foi editor do fanzine Areia Hostil. Durante a entrevista Lorde Lobo fala sobre as suas criações, seus personagens de HQB preferidos, e como ele reage...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe