claudia_gomes

foto registrada na Radio Rio de Janeiro, em uma entrevista com Claudia Gomes

O Impulso HQ entrevistou Claudia Gomes, roteirista de Mariazinha Verso & Prosa, que teve o seu lançamento no Rio de Janeiro essa semana.

Durante a entrevista a roteirista revela um pouco mais quem é Mariazinha e como surgiu à personagem e o seu processo de produção com Fábio Turbay, a emoção de ter o seu livro em bibliotecas, os seus planos para as próximas publicações e o lançamento de Mariazinha em São Paulo.

A equipe do Impulso HQ agradece a Claudia Gomes pelas respostas e colaboração.

________________________________________

Entrevista Claudia Gomes:

Impulso HQ: Pela sua trajetória, percebe-se que você tem uma grande relação com o público infantil e com a poesia, como isso facilita para a criação dos roteiros para Mariazinha?
Cláudia Gomes: Claro que sim, pensar como uma criança é o fundamental para se entender com elas, rs. E as crianças hoje não são bobas. São muito inteligentes e questionadoras.
Quanto a poesia, eu fui uma criança que gostava muito de ler. Na verdade era minha maior diversão. É só juntar minhas experiências em escolas (sou contadora de historias) com a criança que fui e pronto: temos Mariazinha.

IHQ: Misturar poesia e prosa para um público infantil, de onde surgiu a idéia?
C.G.: Mariazinha surgiu com a idéia quase pronta. Não pensei muito, a idéia veio e resolvemos produzir (eu e o Fabio).

mariazinha_capa

IHQ: O nascimento de Mariazinha foi em parceria com Fábio Turbay, mas como se deu o processo de se concretizar em forma o que nasceu em poesia? O quanto teve de poesia e o quanto teve discussão para se chegar a um resultado final? Mariazinha mudou muito da sua concepção original?
C.G.: Pois eu posso contar como foi que a Mariazinha nasceu. Um belo dia de sol, eu e o Fabio conversávamos indo para a padaria. A gente viu alguma coisa e eu devo ter falado que era fofinho, falado alguma poesia… Sei lá. Eu tenho mania de chamar as coisas de fofinhas. :p O fato é que foi uma deixa para um de nós sugerir uma personagem poeta. Primeiro a Maria era grande, sabe?

Inicialmente, Mariazinha era Maria, uma mulher solteirona que gostava de poesias e vivia com a avó e o cachorro. A idéia era um pouco trash, mas bem humorada, já que ela vendia os livros na rua, de mão em mão, e ninguém gostava de seus escritos, as vezes simplesmente porque não os entendia.

Fomos imaginando como ela se comportaria, sentamos para discutir como seria a sua aparência física. As idéias vinham aos jorros. E um de nos questionou: “E se Maria fosse uma criança?”

Clic. Deu um estalo nas nossas cabeças. Se ela fosse criança seria muito mais legal! Ficamos a sonhar. Depois eu tive um trabalhão pra pôr o sonho no papel, em forma de roteiro. Porque é com o roteiro que o Fabio desenha essas imagens lindas que a gente vê e se apaixona. Ė ele que dá vida a Mariazinha.
Mas aí a gente teve que sentar de novo e ficar quase que brincando de boneca. Daquelas que a gente monta o cabelo e desmonta e coloca outro e por ai vai. O Fabio desenhava e perguntava:
Ele – Tá bom?
Eu – Não… O cabelo tem que ser maior…
Ele – Assim?
Eu – Não, mais encaracolado…
E a gente vai discutindo e chegando a um consenso. Mas pra inicio de conversa, e de blog, foi assim que a Mariazinha nasceu. Indo para a padaria numa manhã de sol.

As idéias começaram a ficar muito mais claras e aí sim, estavam prontas. A coisa começou a ficar intensa porque riamos das situações que criávamos para a personagem.  A idéia do nome veio porque é popular, fácil de gravar.
Depois vieram mil e uma dificuldades, uma verdadeira novela até o livro aparecer em nossas mãos. E quando apareceu, eu não sabia que ia ter uma critica tão positiva, não sabia que homens iam colocar meu livro pra discutir na roda de bebida e nem que tantas crianças iriam se vestir de Baleia e Mariazinha.

mariazinha_quadro

IHQ: O quanto de você tem Mariazinha? Quem é Claudia Gomes, além da poetisa?
C.G.: Eu sou toda Mariazinha. No fundo, sou uma menininha a procura da poesia. Mas não é autobiográfico, nunca tive um cachorro e nem nunca morei com minhas avos (rs).

Sou roteirista, poetisa (http://poesiaaosgritos.blogspot.com), produtora, contadora de histórias, oficineira, atriz, enfim; artista multimídia: pau pra toda obra. Este é meu primeiro livro publicado. Ganhei dois premios literarios em 2006: medalha de prata no Concurso Internacional de Poesia do ABEPL-RJ e ganhei o Historias do Trabalho de Porto Alegre.

IHQ: Inicialmente o publico alvo de Mariazinha é infanto juvenil, mas muitos leitores adultos apreciam as histórias dessa menina apaixonada por poesia. Essa abrangência nos leitores foi uma surpresa para você ou alguns textos foram pensados nesse tipo de público?
C.G.: Não. A idéia era um livro infantil de uma menina que gostava de poesia, inclusive para suprir algumas necessidades dos livros escolares (eu queria que as escolas apoiassem a personagem). Mas me surpreendi quando a classificação foi infanto-juvenil pela Biblioteca Nacional e escolas começaram a adotar para alunos do primeiro ano do ensino médio. Daí eu comecei a saber que o livro estava sendo discutido em rodas de adultos amantes de quadrinhos entre uma cerveja e outra. Comecei a me surpreender: o livro estava tomando uma proporção que eu não imaginava. Foi divertido.

IHQ: Recentemente a publicação foi lançada no Rio de Janeiro com uma ação social, o Corujão da poesia, na Livraria Diversos. Como foi a experiência de participar do movimento e ainda saber que algumas edições Mariazinha Verso & Prosa, foram parar nas bibliotecas cariocas?
C.G.: Foi muito bom, eu já participo do corujão a algum tempo. O projeto é muito interessante e esta ganhando o Rio, com a força e apoio de gente famosa. O lançamento foi muito bom, com participação de amigos músicos (Leão Leibovich, Mombaça – parceiro da MartNalia -, Glad Azevedo, Juliana Perez, Joel Ferreira e meu amado Omar Marzagão) de poetas renomados como Ana Maria Carvalho e Mano Melo, e outras figuras carimbadas dos Corujões como os amigos: Nathalie Bernier, o ator e apresentador Igor Cotrim, Ticiana, Nathalia Parreiras, Hellen, Marcelo Mello, Danny Borges, a produtora de cinema Virginia Corsini e Marcio Bragança.

IHQ: Já foi noticiado que o cartunista Fabio Turbay pretende lançar Mariazinha Verso & Prosa aqui em São Paulo, você tem planos de vir também e fazer uma noite de poesia em alguma livraria?
C.G.: Sim. É provável que seja na HQ Mix e com a presença do Fabio Turbay. Aguardem… (rs)

IHQ: Falando sobre planos, quais são os seus para um futuro próximo? Mais publicações envolvendo Mariazinha ou o público irá ler histórias e personagens totalmente diferentes?
C.G.: Mariazinha vai continuar, claro!! Penso ate que a minha menina se daria muito bem em desenhos animados! Mas isso é um futuro… Lá pra frente, (rs). Agora vai sair o Sarau da mariazinha, livro de poesias infantis com ilustrações da personagem. E tem já pronto o roteiro de Mariazinha: Menina Poesia. Quem sabe, pro futuro, desenho animado.

mariazinha_tira
IHQ: Mariazinha Verso & Prosa é o seu primeiro livro, foi publicado ano passado no Espírito Santo com apoio da Prefeitura da Serra/ES na Lei Cultural Chico Prego, e concorreu ao 25º Prêmio Angelo Agostini 2008, e varias escolas já adotaram o livro também. Toda essa trajetória, mais os prêmios literários que você já ganhou, aumentam as expectativas ou responsabilidades para as próximas publicações de Mariazinha?

C.G.: Não. Eu acho que as coisas fluem. Eu sempre tento fazer o meu melhor. Costumo dizer que Mariazinha é minha filha, de modo que assim ela passa a existir, ter vida própria, suas ações passam a acontecer realmente em algum lugar.  No dia que as idéias falharem, eu vou entender que a menina cresceu e deve estar fazendo coisas de adolescentes.
Mas paralelo a isso, sempre estou produzindo, inclusive, material adulto (http://poesiaaosgritos.blogspot.com).
IHQ: Para finalizar Mariazinha, uma menina que gosta de várias coisas, de borboletas à cachorro quente com molho shoyo, é uma poetiza ou uma aspirante, e o que se pode esperar dela?

C.G.: Mariazinha é uma poetisa precoce, muito precoce! Da pra ver pela forma como ela produz, os processos criativos dela são repentinos, já estão nela, ela flui poesia o tempo todo. É claro que ela precisa amadurecer, mas ela tem tudo para ser uma poetisa brilhante!! Alias, poetisa ou poeta: tem gente que costuma dizer que poeta é igual anjo, sem sexo!
Recadinho: se alguém quiser mais informações sobre o livro, pode escrever pra mim ou para o Fabio: [email protected] e [email protected]

Renato LebeauClaudia Gomes,Corujão da poesia,fabio turbay,Livraria Diversos,Mariazinha Verso & Prosafoto registrada na Radio Rio de Janeiro, em uma entrevista com Claudia Gomes O Impulso HQ entrevistou Claudia Gomes, roteirista de Mariazinha Verso & Prosa, que teve o seu lançamento no Rio de Janeiro essa semana. Durante a entrevista a roteirista revela um pouco mais quem é Mariazinha e como surgiu...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe