avatar_abertura

O filme foi idealizado 15 anos atrás por James Cameron, quando ainda não existiam os meios para tornar suas ideias realidade

Após quatro anos em produção, AVATAR, é uma produção que usa uma nova geração de efeitos especiais, que nos proporciona uma experiência inovadora de imersão no cinema, com a tecnologia revolucionária que foi inventada para realizar o filme.

O diretor vencedor do Oscar, James Cameron, não estava interessado em usar maquiagem para criar a espécie alienígena. Cansado das limitadas técnicas tradicionais para se recriar extraterrestres humanóides, onde o tamanho e o espaço entre os olhos não podem ser alterados e as proporções do corpo não podem ser modificadas, nem o tamanho do personagem, a produção usou o método de captura de performance onde nenhum resultado negativo acontece.

Cameron buscava um modo de levar a criação de personagens alienígenas para o século XXI. Em 1995, ele testemunhou os rápidos avanços dos personagens em computação gráfica, e imaginou que o filme dos seus sonhos ambientado em outro mundo poderia se tornar realidade. Depois de criar personagens que foram marcos da CG em “O Segredo do Abismo” e “O Exterminador do Futuro 2 – O Julgamento Final”.

avatar_1

No entanto, ao pedir aos especialistas em CG os testes, Cameron verificou que a tecnologia necessária para o fotorrealismo ainda estava a anos de distância, e por isso o projeto foi engavetado e só foi retomado em 2005. A equipe de Cameron esforçou-se para assegurar que os personagens fossem completamente realísticos.

Para tanto, desenvolveram um novo sistema de “captura de performance facial baseada na imagem”, usando uma câmera posicionada na cabeça para gravar com precisão as mínimas nuances do desempenho facial dos atores. No lugar de usar a técnica de aplicar marcos refletores no rosto do ator para captar suas expressões, cada ator usou um equipamento especial na cabeça, semelhante a um capacete de futebol americano, no qual era afixada uma minúscula câmera.

O aparelho ficava voltado para o rosto do ator, e a câmera filmava as expressões faciais e os movimentos dos músculos num nível que jamais havia sido possível. E o mais importante é que a câmera filmava o movimento dos olhos, o que não ocorria nos sistemas anteriores.

O sistema permitiu a captura com clareza e precisão inéditas. Como o sistema não dependia das câmeras do passado, que capturavam movimentos, essas câmeras agora estão servindo apenas para captar o movimento do corpo, podendo ser comandadas a uma distância maior dos atores. Isso permitiu que a equipe de filmagem usasse um ambiente de captação muito maior, ou “Volume”, do que jamais fora feito. Sendo seis vezes os volumes de captação anteriores, o Volume de AVATAR foi usado para filmar cavalos verdadeiros galopando, dublês com complicados efeitos com cabos, e até cenas de lutas aéreas entre aeronaves e criaturas aladas.

avatar_2

Assim, a revolucionária câmera na cabeça foi a chave para captar nuances sutis das emoções dos personagens, além ser o maior espetáculo do filme.

Outra inovação criada especialmente para AVATAR foi a Câmera Virtual, que permitiu a Cameron filmar cenas dentro de seu mundo gerado pelo computador, como se estivesse em um estúdio de Hollywood.

Depois de elaborar os detalhes de como realmente capturar as atuações, o próximo passo foi contar com a ajuda da empresa do vencedor do Oscar de efeitos visuais Peter Jackson, a WETA Digital, na Nova Zelândia. A WETA foi responsável pela aparência quase real de personagens como Gollum em “Senhor dos Anéis”, e pelo incrível King Kong, e levou Cameron a acreditar que eles poderiam injetar vida em seus personagens.

avatar_4

Animação?

Os animadores da WETA afirmam que os avatares e os habitantes Na’vi são fruto de animação, Jim Cameron, afirma que os personagens foram realizados pelos atores, com quem está a verdade?

A verdade é que os dois estão certos. Foi necessária uma grande perícia em animação para assegurar que os personagens atuassem exatamente como os atores. Ao mesmo tempo, não se tomaram liberdades com as atuações.

Elas não foram melhoradas ou exageradas. Os animadores procuraram ser fiéis ao trabalho dos atores, sem fazer nada a mais ou a menos que Sam, Zoë ou Sigourney fizeram no Volume. Naturalmente, alguns detalhes foram acrescentados, como o movimento das caudas e das orelhas, o que era impossível os atores fazerem. Mas, mesmo ali, o objetivo era manter a coerência com as emoções criadas pelos atores na hora da filmagem. Assim, quando a cauda de Neytiri balança e suas orelhas se abaixam em fúria, estão apenas expressando um pouco além a raiva criada por Zoë Saldana no momento da cena.

avatar_5

Cameron comenta: “Os atores me perguntaram se estávamos tentando substituí-los. Ao contrário, estamos tentando dar a eles mais poderes, novos métodos de expressão para criar personagens, sem limitações. Não quero substituir atores, adoro trabalhar com eles. Isso é o que eu faço como diretor. O que estamos tentando é substituir as cinco horas na cadeira de maquiagem, que é como se criam personagens como extraterrestres, lobisomens, bruxas, demônios etc. Agora você pode ser quem ou o quê quiser, ter qualquer idade, até mudar de sexo, sem o tempo e o desconforto da maquiagem complicada”.

Os personagens em computação gráfica de AVATAR seriam, diz Landau, “reais, teriam alma e emoções”. Cameron completa: “Cada detalhe de atuação foi criado pelos atores, que fazem todas as coisas que você vê e seus personagens em CG, até o menor movimento da mão. Os personagens são exatamente e apenas o que os atores criaram”.

avatar_9

AVATAR vai um passo além, colocando esses personagens fotorrealistas em um mundo e também é gerado por computador, mas parece completamente real. Cada planta, cada árvore, cada pedra é criada e renderizada no computador da WETA Digital, na Nova Zelândia.

Uma grande inovação está na iluminação, no sombreamento e na renderização, que permitiram à WETA criar um mundo fotorrealista que era visto em seus detalhes, mas que parece inteiramente natural aos olhos.
Foi necessário mais de um petabyte (mil terabytes) de material digital para a WETA fazer toda a computação gráfica do filme: o infindável número de plantas e animais, insetos, rochas, montanhas e nuvens. Para dar uma idéia, “Titanic” exigiu dois terabytes para criar (e afundar) o navio e seus milhares de passageiros, cerca de 1/500 do usado em AVATAR.

avatar_6

Além de toda essa complexidade, o filme foi feito em 3-D estereoscópico. Então, além de a WETA precisar trabalhar em 3-D ao criar as cenas em computação gráfica (como fizeram os outros produtores de efeitos visuais, como a ILM), as cenas ao vivo precisariam ser filmadas em 3-D.

Cameron então usou o sistema Fusion Camera, que desenvolveu com Vince Pace. Foram sete anos de trabalho para criar o sistema de câmera estereoscópica mais avançado do mundo. As câmeras funcionaram à perfeição no set de AVATAR, permitindo que as cenas se fundissem suavemente com as imagens em CG, num processo uniforme.

Por causa das muitas camadas de tecnologia desenvolvidas especialmente para o projeto, AVATAR foi seguramente o filme mais desafiador de Cameron. Os realizadores se encontravam em território inexplorado, descobrindo as respostas ao longo do caminho. Foram necessários dezoito meses para desenvolver a captura de performance antes de se fazer qualquer cena com o elenco. Cameron admite: “Sempre procurei romper limites. Mas desta vez foi duro, foi necessário insistir. Comparo a experiência de realizar AVATAR como pular de um despenhadeiro costurando o paraquedas no meio da descida”.

Mas essas tecnologias revolucionárias apenas estão na “caixa de ferramentas” dos realizadores, e estão sempre a serviço da história, da emoção e dos personagens. O produtor Jon Landau pondera: “No fim das contas, a reação do público a AVATAR não será em relação à tecnologia, e sim aos personagens e à história criada por Jim. A tecnologia permite que ele conte uma história que não seria possível sem ela”.

avatar_3

Cameron relata: “Sempre acabamos fazendo a pergunta: a história é boa? No final, a discussão será a respeito dos personagens – extraterrestres e humanos – e suas trajetórias”.

Landau compara o uso por Cameron dessas ferramentas revolucionárias em AVATAR à maneira como ele usou os avanços de última geração no seu “Titanic”, vencedor do Oscar de Melhor Filme: “Em ‘Titanic’, Jim usou efeitos visuais para que as pessoas se sentissem parte da história; em AVATAR, ele usa uma nova tecnologia para transportar as pessoas para o futuro, para outro mundo”.

E Cameron diz: “A tecnologia está a tal ponto que ela desaparece, deixando apenas a magia, a sensação de que você está ali realmente, e que a história, os personagens e as emoções são reais”.

avatar_10

Outra ferramenta inovadora da “caixa de ferramentas” de Cameron foi a Simul-Cam, que integrava, em tempo real, personagens e ambientes em CG ao que fora filmado – ao vivo – pela câmera Fusion. A tecnologia essencialmente trata uma câmera fotgráfica como câmera virtual, usando a caixa de ferramentas de produção virtual e sobrepondo-a à produção física. “A capacidade de filmar em um set normal e ver no visor de sua câmera personagens e ambientes em CG que não estavam ali, permitiram a Jim filmar aquela cena com a mesma sensibilidade que ele teria em uma cena real”, enfatiza Landau.

“James Cameron não apenas criou e realizou um filme ambientado num mundo distante; foi como se ele realmente tivesse viajado para lá, tivesse feitos milhões de anotações, e depois tivesse voltado e posto cada detalhe que absorveu no papel, e em seguida transmitisse para o filme”, diz o desenhista de produção Rick Carter.

avatar_12

A complexidade de se fotografar ação ao vivo

O trabalho do diretor de fotografia Mauro Fiore foi centrado na criação do visual árido do complexo industrial do Portão do Inferno. “Era preciso que o que estava sendo captado na captura de performance, e o que eu estava criando nas sequências de ação ao vivo, existisse de forma coesa no filme”, ressalta Fiore, que também cuidou da fotografia de “O Reino” e “A Última Cartada”.

Fiore adotou o sistema de câmeras 3-D Fusion, e após muitos testes, deu à filmagem de ação ao vivo estilo e precisão. As imagens resultantes mesclam-se com perfeição com a computação gráfica da WETA Digital e da ILM.

avatar_8

A maioria das cenas de ação ao vivo de AVATAR foi filmada em Wellington, na Nova Zelândia, onde foram construídos cenários imensos. Foi uma tarefa e tanto, a produção formou uma enorme estrutura de mais de 150 empreiteiros para construir os cenários.

Quando desenvolvia AVATAR, Cameron começou a trabalhar num novo sistema de câmera digital 3-D, que ele desenvolveu juntamente com Vince Pace, da Pace Technologies, usando tecnologia da Sony e da Fujinon HD. Mas antes de AVATAR se tornar realidade, o objetivo de Cameron com a nova câmera digital 3-D era retomar a experiência de exploração do oceano profundo com nitidez sem precedentes, para um público internacional. Sua histórica exploração do interior do navio Titanic foi o tema de seu filme em 3-D IMAX, “Ghosts of the Abyss”, seguido de “Aliens of the Deep”.

avatar_11

Trilha esperada

Os fãs de cinema e de música aguardaram ansiosamente esta nova parceria de Cameron e Horner. O trabalho de Horner em “Alien – O Resgate”, de 1979, foi uma das melhores trilhas de filmes de ação do cinema, e “Titanic”, de 1997, fez história no cinema e na criação de trilhas sonoras.

Para realizar AVATAR, Horner se uniu a seu colaborador na canção “My Heart Will Go On”, do filme “Titanic”, Simon Franglen, para criar uma nova canção. “I See You” (Vejo você) é interpretada pela sensação internacional Leon Lewis, e é ouvida nos créditos finais do filme. A canção expressa a ideia dos Na’vi do que é “ver”, quando uma pessoa compreende com o coração e a alma, e não apenas com a mente.

avatar_13

O que é 3-D RealD?

O 3-D da RealD consiste em uma nova geração de entretenimento, com imagens de alta definição e luminosidade, ultra-realísticas, tão parecidas com a vida real que você tem a sensação de ter entrado no filme.

O 3-D RealD acrescenta uma profundidade que nos coloca no centro da ação, seja se unindo aos seus personagens favoritos num novo mundo, ou atirando objetos que parecem voar para dentro do cinema.

A RealD foi pioneira da atual tecnologia digital 3-D e é a tecnologia de cinema 3-D mais usada no mundo inteiro, tendo mais de nove mil telas contratadas. A RealD terá mais de 4.500 telas instaladas em 48 países quando AVATAR for lançado.

Nada de óculos de papel; os óculos para 3-D da RealD parecem óculos escuros, são recicláveis e desenhados para se adequar confortavelmente a todo tipo de público, podendo ser usados sobre óculos de grau. Não assista a um filme simplesmente, vivencie uma nova dimensão de entretenimento com o 3-D RealD. (www.RealD.com)

avatar_7

A direção, roteiro e a produção são assinados por James Cameron e o filme conta no elenco os atores Sam Worthington, Zoë Saldana, Sigourney Weaver, Stephen Lang, Michelle Rodriguez, Giovanni Ribisi, Joel David Moore, Cch Pounder, Wes Studi e Laz Alonso

Trailer:

As informações do texto foram todas retiradas do presskit enviado para o Impulso HQ

Renato LebeauquadrinhosAvatar,James CameronO filme foi idealizado 15 anos atrás por James Cameron, quando ainda não existiam os meios para tornar suas ideias realidade Após quatro anos em produção, AVATAR, é uma produção que usa uma nova geração de efeitos especiais, que nos proporciona uma experiência inovadora de imersão no cinema, com a...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe