Obra do francês Killoffer traz para o Brasil o auge da experimentação francesa em graphic novel autobiográfica

Lançado durante o Rio Comicon 2010, foi o terceiro livro mais vendido do evento, agora “676 aparições de Killoffer” chega às livrarias. A graphic novel do artista plástico, ilustrador e quadrinista francês Patrice Killoffer, é um lançamento da Editora Barba Negra e Leya Cult.

Considerado um dos artistas mais ousados de sua geração, Killoffer exercita seu estilo nesta elogiada obra, indicada por diversos veículos como uma das melhores graphic novels do ano na época de seu lançamento (em 2002 na França).

Todo em preto e branco, “676 aparições de Killoffer” tem início com a narrativa do autor sobre sua mudança para Montreal e a inusitada preocupação com a pia de louças sujas que deixou para trás em Paris. Após essa estadia – real, pois o autor recebeu uma bolsa para viver no Canadá e escrever um livro sobre a experiência -, Killoffer acaba se deparando com várias versões de si mesmo, nas mais diversas e estranhas situações, num ritmo vertiginoso e intenso.

Enquanto escreve uma aprimorada reflexão sobre a função real da humanidade – de não passar, talvez, de um húmus do porvir –, Killoffer experimenta a página inteira e retira as molduras dos quadros, elementos definidores do que é “história em quadrinhos”. Este livro, publicado no âmbito do programa de participação à publicação Carlos Drummond de Andrade da Mediateca da Maison de France, contou com o apoio do Ministério francês das Relações Exteriores e Européias.

“Patrice Killoffer criou um dos meus álbuns de HQ preferidos. […] Ele experimenta tirar por completo a divisão de quadros na página, resultando numa narrativa totalmente original, sem falar que é uma das sequências de páginas mais lindas que já vi.” Rafael Grampá

“É uma obra-prima de horror de autocomiseração, impressionante e magnificamente criado. Por que criar monstros, zumbis e alienígenas quando o verdadeiro horror está sob a sua pele?” Charles Burns

“Killoffer tem algo muito novo a dizer. Algo que apodreceu em sua geladeira, algo feio e degradante, que diz respeito a todos nós. Seu desenho é elegante e preciso, mescla qualidades do novo design e ilustração a uma inovação marcante na forma de se contar histórias. Envolvido com a fundação da editora francesa L’Association e com a celebração de um quadrinho experimental que renovou a linguagem da mídia no país e no mundo, Killoffer desponta como um dos principais expoentes de sua geração. Ele explora a página inteira, te diz: “olhe pra isso, saboreie, deixe seu olho gostar disso, porque eu vou te contar uma história nojenta sobre mim”. É um autor auto-referente e egocêntrico, concentrado em sua própria decadência, seu caráter duvidoso e seus desejos destrutivos. Pra quem se impressionou com Crumb durante três décadas, ele representa o novo, a evolução da maravilhosa tradição auto-depreciativa dos quadrinhos. Feio e mal e muito bem vestido.” Rafael Coutinho

676 aparições de Killoffer
Autor: Patrice Killoffer
Brochura
25 x 37 cm
48 páginas
R$ 39,30

Renato Lebeauquadrinhos676 aparições de Killoffer,Barba Negra,LeYa Cult,Patrice KillofferObra do francês Killoffer traz para o Brasil o auge da experimentação francesa em graphic novel autobiográfica Lançado durante o Rio Comicon 2010, foi o terceiro livro mais vendido do evento, agora “676 aparições de Killoffer” chega às livrarias. A graphic novel do artista plástico, ilustrador e quadrinista francês Patrice...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe