Quem gosta de quadrinhos sabe a importância e a influência dessa obra literária que nos apresenta um mito, e o herói, que já foi representado em mangá, animes, comix, filmes e por várias linguagens visuais.

Para os 10 anos de Musashi no Brasil, e comemorando 100 mil exemplares vendidos, a Estação Liberdade lança caixa com nova edição em 3 volumes, mais suplemento, que é um livro ilustrado.

A data do lançamento comercial é para o dia 3 de dezembro de 2008.

Enredo

Este romance épico baseado diretamente na história japonesa narra um período da vida do mais famoso samurai do Japão, que viveu presumivelmente entre 1584 e 1645. O início é antológico: Musashi recupera os sentidos em meio a pilhas de cadáveres do lado dos vencidos na famosa batalha de Sekigahara, em 1600.

Perambula a seguir em meio a um Japão em crise onde samurais condenados por senhores feudais ao desemprego e à miséria (os rounin), desbaratados, semeiam a vilania ditando a lei do mais forte.

Musashi será mais um dentre estes pequenos tiranos, derrotando impiedosamente quem encontra pela frente até que um monge armado apenas de sua ma¬lícia e de alguns preceitos filosóficos zen-budistas consegue capturá-lo e pô-lo rudemente à prova.

Musashi foge graças a uma jovem admiradora, para ser novamente capturado, e agora fica três anos confinado numa masmorra onde uma longa penitência toda feita de leituras e reflexões o fará ver um novo sentido para a vida, assim como novos usos para sua força e habilidade descomunais.

Os caminhos rumo à plenitude do ser jamais são fáceis, e em seus anos de peregrinação em busca da perfeição tanto espiritual quanto guerreira enfrentará os mais diversos adversários. É numa dessas situações que, totalmente acuado, usará pela primeira vez, em meio ao calor da luta e quase inconscientemente de início, a surpreendente técnica das duas espadas, o estilo Niten ichi, que o tornaria famoso pelo resto dos tempos.

O leitor poderá assistir a seu amadurecimento, acompanhando o percurso que o levou a transformar-se de garoto selvagem e sanguinário no maior e mais sábio dos samurais, capaz de entender e amar tanto a esgrima quanto as artes. Paralelamente, a trama caminha para o esperado e inevitável duelo na ilha de Funashima com Sasaki Kojiro, o outro grande espadachim da época e rival de Musashi em habilidade, tenacidade e sabedoria guerreira.

Esse surpreendente combate, que encerra a obra, se firmou por meio da literatura (em adaptações de todo tipo e por suas várias versões cinematográficas) no ideário coletivo da nação japonesa, e não há quem não comente seus lances nos mínimos detalhes.

Musashi também traça um painel do Japão em sua encruzilhada na época da unificação nacional sob a linhagem dos Tokugawas, numa longa transição que o viu passar de constantes lutas armadas entre pequenos suseranos (daimyo) ao domínio de uma classe de “burocratas do papel e do pincel” (nas palavras do especialista Edwin Reischauer, que assina o prefácio), que fariam o país se desenvolver isoladamente do resto do mundo por dois séculos e meio.

A obra também será marcada pelos acontecimentos em Edo, a futura Tóquio, então em frenético desenvolvimento, cujo palpitante submundo deixa antever a metrópole que mais tarde viria a ser, e que constituem a incursão urbana desta obra predominantemente bucólica e com forte presença de um feudalismo em sofrida modernização.

A obra

Eiji Yoshikawa dividiu sua obra em sete livros: A Terra, A Água, O Fogo, O Vento, O Céu, As Duas Forças e A Harmonia Final.

Destes, os cinco pri¬meiros são uma referência ao gorin, os cinco elementos básicos de que se compõe, segundo o Budismo, toda e qualquer matéria, ou ainda os ciclos pelos quais passa o espírito humano para alcançar a perfeição, começando pela terra impura até atingir o estágio mais alto, o céu, ou segundo a concepção budista, a paz do nada, o nirvana.

Yoshikawa compõe portanto ao longo dessa extensa obra uma magistral metáfora dos duros estágios pelos quais tem de passar um guerreiro para alcançar a perfeição técnica que lhe permite lutar com uma espada em cada mão.

Musashi é a obra literária mais vendida da história do Japão — mais de 130 milhões de exemplares em suas diversas edições, além de cerca de 15 versões cinematográficas ou televisivas. Seus principais personagens passaram a integrar o cotidiano, e a obra tornou-se livro de cabeceira e guia da arte de viver para gerações de japoneses.

Por ocasião dos 10 anos de Musashi no Brasil, da marca de 100 mil exemplares vendidos dos dois volumes da edição anterior e do centenário da imigração japonesa, a Estação Liberdade traz aos leitores uma edição comemorativa – caixa contendo a obra em três volumes e livreto ilustrado com representações do grande samurai nas gravuras ukiyo-e – à altura da importância desse fenômeno editorial.

A elogiada tradução é de Leiko Gotoda, e abriu caminho para toda uma safra de traduções diretamente do japonês no Brasil. A edição brasileira de Musashi é a primeira versão integral da obra no Ocidente, e o projeto como um todo marcou o destino de nossa editora.

O autor

Eiji Yoshikawa nasceu em 1892 na província de Kanagawa, perto de Tóquio, numa família de antigos samurais empobrecidos. Iniciou sua carreira literária aos 22 anos, quando, paralelamente ao jornalismo, começou a escrever contos e romances históricos, muitas vezes publicados nos jornais de maior prestígio do Japão.

No ano de sua morte, em 1962, era um dos mais conhecidos e populares escritores do país. Com Musashi, publicado inicial¬mente no Asahi Shimbun entre 1935 e 1939 em 1.013 episódios, Yoshikawa ficou nacionalmente famoso, alcançando depois tiragens monumentais na história japonesa.

MUSASHI
Eiji Yoshikawa
Tradução de Leiko Gotoda
1800 páginas
16 x 23 cm
Edição comemorativa – caixa com a obra em 3 volumes,
Volume 1: A Terra – A Água – O Fogo
Volume 2: O Vento – O Céu
Volume 3: As Duas Forças – A Harmonia Final
mais livreto ilustrado.
Preço promocional de lançamento: R$ 218,00
Lançamento comercial: 3/12/2008

Renato LebeauquadrinhosEiji Yoshikawa,Estação Liberdade,Leiko Gotoda,MusashiQuem gosta de quadrinhos sabe a importância e a influência dessa obra literária que nos apresenta um mito, e o herói, que já foi representado em mangá, animes, comix, filmes e por várias linguagens visuais. Para os 10 anos de Musashi no Brasil, e comemorando 100 mil exemplares vendidos, a...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe