Nas Livrarias: A Guerra dos Botões

Por Floreal Andrade | 30 outubro de 2013


Domingo, tarde de 1970 ou 71. Assisti na televisão o filme “A Guerra dos Botões” de Yves Robert. Seis anos mais tarde, em outro domingo à tarde, vi o longa-metragem no Cine Bijou. Agora tenho o DVD que sempre revejo com prazer.

2013. Outra tarde de domingo. Agora leio a bonita versão para os quadrinhos do romance de Louis Pergaud, onde duas turmas de garotos de aldeias vizinhas sempre se enfrentam em guerras travadas com paus e pedras nos bosques. Felizmente a publicação chegou até o Impulso HQ graças aos nossos parceiros da Comix Book Shop.

Lançado em agosto desse ano pela Salamandra, divisão editorial da Editora Moderna, A Guerra dos Botões é o mais novo volume da Coleção Ex-Libris, série europeia que adapta para os quadrinhos grandes obras literárias mundiais.

Originalmente lançada pela editora francesa Delcourt, a obra foi adaptada para os quadrinhos por Philippe Thirault, Aude Soleilhac e Isabelle Merlet e apesar de começar com humor e inocência, à medida que avança, torna-se mais sombrio, até ficar difícil distinguir entre a brincadeira e a realidade.

Na história, se depois das lutas algum garoto chega em casa com a roupa rasgada ou faltando algum botão, suspensórios ou colchetes é sinal de que vai levar uma surra dos pais. Com essa situação, Lebrac, líder dos meninos de Longevernes tem a ideia de lutar pelados, assim não vão correr o risco com suas roupas.

Com o passar das aventuras duas meninas vão mais além e dão a ideia para os meninos que criem um fundo de guerra, assim podem comprar botões, linhas e agulhas e não vão mais chegar em casa literalmente “com as calças nas mãos”. As batalhas entre os de Longevernes e Velrans continuam, até que entra em cena um traidor.

Para alguns, Guerra dos Botões é uma sátira à guerra dos adultos ou simplesmente ao comportamento que passa de geração para geração. Lembro-me de quando era garoto havia as guerras de mamona, torrão de barro ou pedras mesmo. Quando passava algum filme sobre a idade média era comum às lutas de espada feitas com cabo de vassoura.

Esse é o grande trunfo dessa adaptação. O trio Philippe Thirault (que assina o roteiro), Aude Soleilhac e Isabelle Merlet (respondem pela arte), conseguiram representar o humor, inocência e zombarias que estão no texto original de Louis Pergaud que se passa na França em 1912, com figurinos e cenários de época bem ilustrados e uma narrativa bem executada.

2013. Hoje as disputas são nos jogos de videogame. A reflexão de Louis Pergaud no final vale até os dias atuais. Afinal, os garotos sabem que tudo é só uma brincadeira:

“pensar que quando adultos seremos estúpidos como eles!”

O autor desse romance sempre atual morreu na Primeira Guerra Mundial. Uma guerra estúpida dos adultos.

A Guerra dos Botões

Editora Salamandra – Coleção Ex-Libris
Texto original: Louis Pergaud
Roteiro: Philippe Thirault
Arte: Aude Soleilhac e Isabelle Merlet
Tradução: Luciano Vieira Machado
Colorido
Lombada quadrada
22 x 29 cm
48 páginas
R$ 41,90

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Tags: , , , , , , ,

Posts relacionados


  1. [...] Por Floreal Andrade, do site parceiro Impulso HQ. [...]

Deixe o seu comentário