quadrinhos_teoria_parte3

Mas alguns ótimos livros da Marca de Fantasia.

Algumas Leituras de Príncipe Valente: Uma das principais HQs da História dos quadrinhos mundiais – Príncipe Valente de Hal Foster – publicada nos jornais norte-americanos a partir de 1937 é o alvo do volume 10 da Coleção Quiosque. O autor do texto, o mineiro Edgard Guimarães analisa vários aspectos da obra de Foster: o texto literário, a pesquisa histórica, o humor, o lirismo, a fantasia, a criatividade, a censura e os problemas com a tradução. A forma como Guimarães escreve, nos leva para dentro da obra de Foster e nos faz ter interesse em conhecer melhor esta saga.

O livro ainda inclui o texto “O Maior Roteirista de Quadrinhos”. Neste texto ficcional Edgard Guimarães apresenta praticamente todos os personagens criados na década de 1930 em ordem cronológica, faz uma analise dos quadrinhos no Brasil e aborda o famoso Método Marvel de Fazer Histórias em Quadrinhos e seu criador Stan Lee. Um texto escrito com leveza e muita criatividade.

Uma obra de ficção, mas com profunda base teórica e historiográfica.

Watchmen e a Teoria do Caos: Uma das mais premiadas séries de quadrinhos, Watchmen de Alan Moore (roteiro) e Dave Gibbons (desenhos) tem sua estrutura de criação feita a partir da “teoria do caos”, em especial o “efeito borboleta”. Partindo desta premissa o jornalista e escritor Gian Danton teve seu texto “Watchmen e a Teoria do caos” publicado na Coleção Quiosque como o volume 13.

Danton inicia o texto apresentando seus autores, principalmente o roteirista Alan Moore e sua ligação com questões políticas e sociais abordadas em suas HQs. Depois, o autor, apoiado por obras filosóficas como as de Edgar Morin faz uma bela analise da obra de Moore e sua relação com a “teoria do caos”.

Gian Danton nos mostra como uma HQ pode ser muito bem construída a partir do estudo e pesquisa de seu autor. Ao analisar página a página uma das edições da série Watchmen, fica clara a intenção de Moore em trazer para os quadrinhos tal teoria. Danton ainda caracteriza Watchmen como um exemplo de obra pós-moderna.

O Escudo Manchado – Um Herói em Tempo de Guerra: O volume 18 da Coleção Quiosque traz como centro de estudo o super-herói da editora Marvel Comics, Capitão América. Tendo então, como pano de fundo a própria história dos Estados Unidos e sua relação com a guerra, Daslei Bandeira acompanha a trajetória do Capitão desde sua primeira aparição, em 1941 até os dias atuais com a deflagração da guerra contra o terror. Mas Daslei não faz apenas uma biografia do personagem, ele discute o conceito de herói, a relação do Capitão América com as diversas guerras em que os EUA estiveram envolvidos e/ou estão – segunda Guerra Mundial, Guerra do Vietnã, os conflitos armando atuais.

Daslei trabalha ainda o conceito de quadrinhos como meio de comunicação de massa dentro de uma sociedade de consumo como a norte-americana. Nas analises o autor mostra que o “Sentinela da Liberdade” foi criado exclusivamente para a guerra, mas teve que sobreviver em tempos de paz.

Denilson ReisindependentesAlan Moore,Capitão América,Daslei,Dave Gibbons,Denilson Reis,Edgard Guimarães,Gian Danton,Hal Foster,História dos quadrinhos,HQs,Marvel,Príncipe Valente,realidade alternativa,WatchmenMas alguns ótimos livros da Marca de Fantasia. Algumas Leituras de Príncipe Valente: Uma das principais HQs da História dos quadrinhos mundiais – Príncipe Valente de Hal Foster – publicada nos jornais norte-americanos a partir de 1937 é o alvo do volume 10 da Coleção Quiosque. O autor do texto,...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe