coprolitosJá escrevi em outro artigo que o FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos é o paraíso das publicações independentes. Na 9º edição do FIQ, que ocorreu dias 11 a 15 de novembro de 2015, tivemos nada mais nada menos do que 122 mesas, onde em cada uma tínhamos pelo menos dois autores. Além dessas mesas tínhamos os estandes de coletivos. Dessa forma o festival abrangeu uma grande parte da produção nacional independente de quadrinhos.

Neste artigo vou relacionar o que trouxe em minha bagagem e que agora fazem parte de minha coleção. Importante colocar que é impossível trazer tudo que nos salta aos olhos por dois motivos: falta de espaço e de grana.

Minha primeira passeada foi pelos estandes dos coletivos de quadrinhos independentes. Logo na chegada fui até a UGRA/Marcatti (ugra.com.br), pois fui levar a edição do Brakan, de Mozart Couto que tinha acabado de publicar. Aproveitei para adquirir o “Panorama das Publicações Independentes 2015” e um clássico do Marcatti, “Coprólitos”, uma edição com a coletânea das HQ’s do Mestre do Underground, publicadas entre 1986 e 1992.

retrogeneseO pessoal do quadrinho poético-filosófico também montou um estande com suas publicações. Além de rever e bater um papo com amigos que nos conhecemos desde a época dos fanzines, também coloquei algumas publicações na mochila. “Retrogênese”, de Edgar Franco ([email protected]) e Al Greco é uma fantástica, e me colocou novamente em contato com a arte de Greco, desenhista que acompanhei muito nos fanzines durante os anos 1980/90.

Danielle Barros ([email protected]) que tem produzido fanzines muito bacanas, esteve no evento lançando a revista “Sibilante”, com uma série de HQ’s e HQforismos de sua autoria. Guilherme Silveira ([email protected]) também lançou dois quadrinhos autorais: “Estudo Sobre Pessimismo” e “Zoom”. Uma coletânea de quadrinhos já consagrada é “Camiño di Rato” de Matheus Moura ([email protected]), e Matheus aproveitou o evento para lançar a edição número 8.

Devido a generosidade de Antônio Éder, levei algumas publicações da editora Quadrinhópole (quadrinhopole.com). “Turma da Tribo” é um gibizinho de Gian Danton com arte de Ricardo Manhaes, o cara desenha muito! “Entre 4 Linhas” é uma coletânea onde o tema é futebol, e foi lançada em 2014 aproveitando a Copa do Mundo do Brasil.

sequestro-em-tres-buracosA série “Sequestro em Três Buracos” de Leonardo Melo (roteiro) e André Caliman (desenhos) ganhou uma edição encadernada e imperdível. Mas a edição mais bacana foi “Um Rock para Caçador”, trazendo HQ’s com a temática do rock, mas se passando em uma cidade do interior de Santa Catarina, Caçador. Um importante projeto apoiado pela Fundação Municipal de Cultura daquela cidade.

Outro estande que visitei foi o dos amigos da Petisco (petisco.org). Lá encontrei uma galera muito bacana e totalmente rock’n’roll. Entre as publicações que adquiri destaco “Morphine” de Mario Cau (mariocau.com). Cau tem um traço leve e suave e escreve histórias muito bacanas. Um desenhista que tem feito ótimos desenhos é Juliano Oliveira. Em parceria com o roteirista Cadu Simões eles lançaram “Nova Hélade” (novahelade.com). Cadu também fez parceria com Will no gibi “Homem-Grilo & Sideraman. Todos imperdíveis!

questao-de-karmaUma mesa repleta de quadrinhos da melhor qualidade foi a mesa da Quadro Imaginário (estudiobandadesenhada.com.br) dos amigos Laudo Júnior e Omar Viñole. Laudo estava lançando “Questão de Karma”, uma HQ sobre o cotidiano onde ele escreve e Alexandre Santos desenha. Laudo também fez uma fantástica parceria com Marcatti. Em “Dedos Mágicos”, Marcatti empresta seu texto para Laudo fazer uma obra-prima. Já Omar trouxe para o FIQ o segundo número da coletânea das tiras do Coelho Nero.

Passando pelas mesas foi possível trocar uma ideia com antigos amigos e fazer novas amizades. Claro que também trouxe algumas publicações. Na mesa da Red Door HQ’s (reddoorhqs.com) o destaque foram os volumes 1 e 2 do coletivo formado pelos desenhistas Bruno, Daniel e Rafael. Do Tocantins veio a graphic novel “Mugambi”, de Geuvar Oliveira ([email protected]), misturando ficção e terror em desenhos primorosos.
Há 30 anos trocava fanzines em papel xerox com uma galera, entre eles estava um desenhista que curtia o universo dos super-heróis. Estou falando de Marcelo Salaza! O tempo foi passando, Salaza tornou-se um baita desenhista e, mesmo com projetos a mil, editados nos Estados Unidos, mantém uma produção nacional com a revista “Ultra Mix” ([email protected]), já no número três. O mais bacana é que, depois de 30 anos, finalmente conheci esta fera pessoalmente. Ainda na linha dos super-heróis conheci “Gladiadores & Justiceiros” de Henrique Kifer ([email protected]).

O-Monstruoso-FrankFábio Turbay, figura tradicional nos quadrinhos independentes que conheci pessoalmente no FIQ, com ele adquiri a coleção de três números do “Almanaque Gótico” ([email protected]), publicação com um time de colaboradores de primeira linha. Da Darcel Comics ([email protected]) fiquei com os números 1 e 2 de “O Monstruoso Frank”, que Rodrigo Costa imprimiu no formatinho que consagraram os gibis de super-heróis da Editora Abril. Dois artistas que conheci no evento foram Vi Cardoso (vicardoso.com), que estava distribuindo seu quadrinho “Contra o Tempo” e Adriano Loyola ([email protected]), que publicou “Sossego”, uma adaptação do conto A Nova Califórnia, de Lima Barreto.

Por fim, grandes amigos e parceiros que costumo manter intercâmbio de publicações estiveram divulgando e lançando seus quadrinhos. Wellington Santos lançou pelo Projeto Chroma (projetochorma.net.br) a edição comemorativa dos 25 anos de seu personagem Vulto. Também do Chroma de Tiago Silva, tivemos o número 3 de “Bandeirinha”. O personagem Salomão Ventura ([email protected]), de Giorgio Galli, ganhou nova aventura e revista, em “Arquivos Secretos”. Uma das aventuras mais bacanas é a de “Solar”, de Wellington Srbek (texto) e Abel (arte), pela Mais Quadrinhos (maisquadrinhos.com.br). Eberton Ferreira ([email protected]) que toca o projeto Fanzieston, escreveu o roteiro de “Xamã, O Espírito da Terra”. Finalizo com os quadrinhos mudos do Botamen ([email protected]), do camarada Felipe Assumpção.

Que venha o próximo FIQ!

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/01/fiq-independentes.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/01/fiq-independentes-300x300.jpgDenilson ReisindependentesFestival Internacional de Quadrinhos,FIQJá escrevi em outro artigo que o FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos é o paraíso das publicações independentes. Na 9º edição do FIQ, que ocorreu dias 11 a 15 de novembro de 2015, tivemos nada mais nada menos do que 122 mesas, onde em cada uma tínhamos pelo...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe