Por Alex Doeppre*

Olá, leitores! Sou Alex Doeppre, parceiro de empreitadas quadrinhísticas do Denilson Reis, que abriu espaço na Realidade Alternativa para a publicação de uma série de textos sobre HQs produzidas na Argentina.

Lá elas são chamadas de historietas e, em nossa estréia, falaremos do clássico de ficção-científica El Eternauta, lançado em 4 de setembro de 1957, no número 1 de Hora Cero Suplemento Semanal (Editorial Frontera). Saíram três páginas semanais até a conclusão no número 106, em 1959, todas escritas por Héctor Germán Oesterheld e desenhadas por Francisco Solano López.

A história começa numa noite fria de 1957, quando um escritor de histórias em quadrinhos (o próprio Oesterheld, que faz-se personagem da HQ) vê materializar-se diante dele um homem que apresenta-se como navegante do tempo, viajante da eternidade, peregrino dos séculos… Ou, simplesmente, o Eternauta!

O estranho visitante relata os eventos que o transformaram no Eternauta, começando em 1963, quando era apenas Juan Salvo e morava em Buenos Aires com sua esposa Elena e sua filha Martita e como o horror precipitou-se sobre suas vidas com a chegada de estranhos flocos fosforecentes que começaram a cair do céu noturno, matando qualquer ser vivo pelo simples contato. Juan, sua famíla e seus amigos Favalli, Lucas e Polsky, reunidos em sua casa para um jogo de cartas, ficam sitiados, ouvindo pelo rádio que o fenômeno repete-se pelo mundo.

A nevada mortal não dá sinais de parar e cresce a necessidade de sair às ruas para buscar mantimentos. A solução é encontrada por Favalli, inventivo professor de Física que, com recursos caseiros, monta trajes isolantes.

Fora de casa, morte e desolação são o cenário comum e reina a anarquia. Esferas luminosas aterrisam em pontos da cidade, fornecendo aterrador indício da origem extraterrena da nevada mortal, que se confirma quando os sobreviventes, junto à resistência militar, confrontam-se com seres alienígenas semelhantes a besouros (los cascarudos), enormes encouraçados de quatro patas (los gurbos) e humanóides com muitos dedos (los manos).

Mas descobre-se que todos não passam de fantoches controlados por Eles (Los Ellos), inimigos que nunca aparecem.

A saga do Eternauta não termina aqui e será assunto de nossos próximos encontros. Até lá!

*Designer gráfico, desenhista e fanzineiro
Contato: [email protected]
Ilustração: Francisco Solano López

Denilson ReisindependentesEl Eternauta,Eternauta,Francisco Solano LópezPor Alex Doeppre* Olá, leitores! Sou Alex Doeppre, parceiro de empreitadas quadrinhísticas do Denilson Reis, que abriu espaço na Realidade Alternativa para a publicação de uma série de textos sobre HQs produzidas na Argentina. Lá elas são chamadas de historietas e, em nossa estréia, falaremos do clássico de ficção-científica El Eternauta,...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe