Brakan-mozart-coutoNo início da década de 1980 comecei a trilhar os caminhos do rock e do cinema e num final de domingo fui assistir a reprise nos cinemas do filme Conan, O Bárbaro. Exatamente, a reprise foi no cinema, afinal era uma época que aparelhos de DVD era ficção científica e aparelhos de VHS ainda era artigo de pouquíssimos privilegiados, rever um filme que saiu de cartaz só era possível nas reprises.

Saí de dentro da sala de cinema extasiado com o universo ali apresentado. Nunca havia visto nada tão fantástico e marcante como aquele filme. Não era um universo pré-histórico, nem medieval, era algo que nunca tinha imaginado e fiquei fissurado na temática do barbarismo, espada e magia.

Brakan-mozart-couto-2O filme abriu minha cabeça para os quadrinhos, primeiramente com a revista “A Espada Selvagem de Conan”, editada pela editora Abril a partir do material produzido pela Marvel Comics. Na sequência travei contato com quadrinhos de todos os cantos do mundo, em especial o quadrinho nacional. Aqui entra o desenhista Mozart Couto que, na década de 1980/90 do século passado produziu uma infinidade de HQ’s dos mais diversos gêneros, com uma grande quantidade de HQ’s de terror, para editoras como Grafipar, Press e D-Arte.

Como disse, os quadrinhos de Conan me encaminharam para ser um leitor/colecionador. Quando coloquei os olhos nos quadrinhos de Mozart Couto foi como se eu tivesse folheando uma edição brasileira de “A Espada Selvagem de Conan”. Mozart tornou-se para mim um dos principais quadrinhistas brasileiros, tão ou mais competente quanto os “gringos” da Marvel. Mozart colocava o barbarismo mesmo fazendo HQ’s onde o tema fosse o terror, a ficção-científica e até mesmo o erótico, e isso era fantástico.

O álbum “Brakan”, publicado pela Atomic Book em parceria com a Quadrante Sul Comics mostra uma das mais fantásticas produções do Mestre Mozart dentro do gênero “espada e fantasia”.

Brakan-mozart-couto-3Há muito tempo atrás, um bárbaro de nome Brakan perambulou pelas terras chamadas “conhecidas” e tornou-se uma lenda. Sua verdadeira origem ele mesmo mantinha em segredo. Alguns diziam era um mago guerreiro, outros, que era um espectro ou demônio. Temido e adorado por muitos era odiado pelos poderosos, pois, frequentemente reunia grupos de mercenários para atacar e saquear seus domínios, além de matá-los pelo puro prazer de fazer “justiça a seu modo”. Essa história se passa nas terras geladas do norte. Morada de homens cruéis, belicosos e também de criaturas assassinas, filhas de uma época de magia e trevas.

A obra Brakan foi totalmente reformulada por Mozart Couto, que escreveu o roteiro e fez os desenhos. A tiragem foi limitada, por isso, uma verdadeira edição de colecionador. Formato 21×30, 188 páginas, capa triplex 300g color com verniz, miolo offset 90g, acabamento em lombada PUR.

A Atomic ainda publicou outras duas obras do Mestre Mozart que valem ser conferidas: Depois da Escuridão e Samurai. A primeira, é um suspense psicológico envolvendo vidas passadas, já a segunda, é um verdadeiro vídeo-clip em quadrinhos com cenas de uma luta de samurai. Clássicos!

Solicite seu exemplar através dos e-mails: [email protected] ou [email protected].

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/06/Brakan-mozart-couto-1.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/06/Brakan-mozart-couto-1-300x300.jpgDenilson ReisindependentesBrakan,Conan,Mozart CoutoNo início da década de 1980 comecei a trilhar os caminhos do rock e do cinema e num final de domingo fui assistir a reprise nos cinemas do filme Conan, O Bárbaro. Exatamente, a reprise foi no cinema, afinal era uma época que aparelhos de DVD era ficção científica...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe