FIQ2015-(56)O FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos – chegou a sua 9ª edição neste ano de 2015. Após 17 anos, já que o evento é bi-anual, finalmente conheci o festival, muito comentado por todos que eu encontrava nos eventos em Porto Alegre/RS. Sempre que conversava com amigos que vinha de outros estados para a ComicConRS e visitavam minha mesa, a pergunta era a mesma: vais ao FIQ?

FIQ2015-(2)Por muitos anos fiquei me organizando para conhecer o festival e agora em 2015 finalmente consegui viajar até Belo Horizonte/MG – cidade que sedia o FIQ – para travar meu primeiro contato e poder ver pessoalmente aquilo que me era relatado por todos.

O FIQ aconteceu na Serraria Souza Pinto, no centro da cidade, numa estrutura bastante grande e dividida em vários espaços, entre os dias 11 e 15 de novembro. Logo na entrada somos recebidos por algumas mostras, sendo a principal delas, uma homenagem ao mestre do quadrinho nacional, falecido em 2014, Antônio Cedraz.

Uma justa homenagem a uma figura que batalhou para produzir quadrinhos num país que não tem uma tradição de reverenciar os grandes mestres nascidos aqui. A comissão organizadora está de parabéns pela lembrança.

FIQ2015-(32)No meio do prédio teve nada mais nada menos que 122 mesas com quadrinhos independentes vindos dos quatro cantos do País. Não é a toa que o FIQ é conhecido por valorizar a produção independente, e este ano ela foi o destaque do festival.

É importante ressaltar que em cada mesa tínhamos no mínimo dois autores, o que faz o número subir para 244, mas em algumas mesas havia até três autores. Em volta das exposições e dos autores independentes encontrávamos stands de editoras e coletivos, onde mais produção independente estavam à disposição. Este foi o meu caso, não tive uma mesa, mas os quadrinhos da Quadrante Sul Comics ficaram expostos no stand da Ugra Press/Marcatti.

Num segundo espaço montado com lonas ficavam as mesas de autógrafos, uma gibiteca e o palco das palestras e debates. Nas mesas de autógrafos tivemos grandes mestres do quadrinho nacional e estrangeiro autografando ao lado dos independentes que foram lançar novos trabalhos. Embora a procura por autores como Howard Chaykin, Jeff Smith e a galera da série Graphic MSP tenha tido filas imensas, os independentes também foram prestigiados pelo público.

FIQ2015-(63)O FIQ mostrou que é um evento para reunir a todos que produzem e curtem quadrinhos. Foi possível rever muitos amigos, mas principalmente para mim, que estava indo pela primeira vez, conhecer pessoalmente um pessoal que só temos contatos pelas redes sociais e algumas amizades que cultivo desde as décadas de 1980/90, onde trocávamos cartas e fanzines, foi muito gratificante.

Para mim, ficou a impressão de um grande evento congregador onde o foco principal é o quadrinho e seus autores. Preparem suas malas, nos vemos novamente em 2017.

Vida longa ao FIQ!

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/11/FIQ2015-56.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/11/FIQ2015-56-300x300.jpgDenilson Reisrealidade alternativaFestival Internacional de Quadrinhos,FIQO FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos – chegou a sua 9ª edição neste ano de 2015. Após 17 anos, já que o evento é bi-anual, finalmente conheci o festival, muito comentado por todos que eu encontrava nos eventos em Porto Alegre/RS. Sempre que conversava com amigos que vinha...IMPULSO HQ é um site que se propõe a discutir histórias em quadrinhos e assuntos derivados como cinema, games e cultura pop em geral.