one-punch-manTodos os anos rola aquela expectativa para saber qual editora brasileira vai pegar AQUELA série queridinha da estação. Foi assim com Ataque dos Titãs (ponto para Panini), Magi: O Labirinto da Magia (ponto da JBC) e Madoka Magica (esse gol foi da Newpop). E quando rolou o espolio de guerra, após a Conrad oficialmente dar seus últimos suspiros, tanto a JBC quanto a Panini abocanharam os títulos arrasa quarteirões (Saint Seiya, One Piece e Dragon Ball).

Em 2015, a menina dos olhos dos fãs de animação japonesa era One-Punch Man e foram abertas as apostas para qual das três principais editoras iria ser o lar tupiniquim do mangá. A questão foi respondida na edição daquele ano da Comic Con Experience, quando a editora chefe Beth Kodama anunciou que o titulo seria lançado pela Panini.

one-punch-man-3Confesso, sem nenhuma vergonha, que dentro os últimos lançamentos nacionais poucos me empolgaram tanto quanto o anuncio de OPM (One-Punch Man). Graças ao Tumblr (e a quantidade de BL que ele joga na minha cara todos os dias) Saitama, Genos e todos os heróis e vilões que sempre vagão pelas ruas desertas da Cidade Z tornaram-se uma de minhas produções favoritas dos últimos tempos.

A Panini também se empolgou com sua nova aquisição e em parceria com a livraria FNAC Pinheiros, em São Paulo, organizou um evento de lançamento para OPM, com distribuição de brindes, palestras e anunciou de outros títulos para 2016 e até uma maquina de socos para que os visitantes testassem sua força. Depois da JBC e da Newpop, é bacana ver que a filial brasileira da Panini resolveu se aventurar em eventos próprios, e não depender apenas das grandes convenções para dialogar diretamente com seus leitores.

one-punch-man-2OPM começou como uma descompromissada HQ online lançada em 2009, escrita e ilustrada por One (um desenhista por hobby) e que acabou caindo nas graças do publico (mesmo o traço sendo mais feio que o Freeza depois de apanhar do Super Saiyajin). Em 2012, o mangáka Yusuke Murata (desenhista de Eyeshield 21) começou a produzir o remake do mangá, publicado na revista digital Young Jump Web Comics da editora Shueisha.

E é essa versão que chega agora ao Brasil.

Tá, beleza, depois de tudo isso, como ficou a edição?

one-punch-man-4Sendo sincera, estava apreensiva com a versão brasileira do quadrinho. O traço de Murata é incrivelmente detalhado, que perderia detalhes num papel de qualidade baixa e transparente, a tradução e adaptação dos nomes e honoríficos, além do detalhe da orelha da edição japonesa, que faz um efeito 3D que eu tinha certeza que seria deixado de lado na edição brasileira.

Mas a Panini me surpreendeu. A edição está com um acabamento incrível, papel offset com boa gramatura, ótima impressão, tem um marcador de paginas de brinde e manteve não apenas os nomes originais e honoríficos como também as orelhas da capa! Panini sua linda! Retiro todas as ofensas que disse desde que vocês colocaram Zone-00 na geladeira!

one-punch-man-5Há também algumas ilustrações e o tradicional glossário que a editora inclui em todos os seus títulos, que sempre vale uma consulta.

No quesito tradição e adaptação, a qualidade segue a média da editora, com ressalva apenas a escolha do lema de Saitama, mas nada que comprometa a leitura. (Ok, eu fiquei mimizando porque gostava de “sou um herói por diversão” em vez de “por hobby” como está no volume. Sou uma marmota dramática).

O preço da edição pode assustar a primeira vista (R$ 16,90), mas compensa cada centavo de investimento e como a publicação é bimestral (que em linguagem nacional quer dizer que sai quando Deus permite) não vai ficar tãaaaao pesado no bolso no fim do mês.

O mangá não perde muito tempo em explicações e contextualizações. O mundo vive em perigo, devido a ameaças de monstros que criam caos, morte e destruição por onde passam. Para combatê-los existe toda uma associação de heróis, das mais diversas habilidades e forças.

one-punch-man-6Dentre esses salvadores está Saitama, um cara careca, de uniforme amarelo e capa e uma eterna expressão de tedio/tô nem aí pra vida em seu rosto. Apesar da aparência, ele é o herói mais poderoso conhecido, podendo derrotar qualquer inimigo com um único soco, o que só aumenta a depressão do cara, que devido a sua força absurda não sente mais as emoções das batalhas.

Nesse primeiro volume acompanhamos esses dilemas e a rotina de Saitama, e a chegada de Geno, um cyborg de 19 anos que quer vingar sua família e insiste em ser trenado pelo careca da capa. Para quem assistiu o anime (abençoada seja a internet ilimitada), o mangá tem uma história extra, que não foi adaptada para as telas, com a infância de Saitama antes de se tornar o herói de um único soco. Vale a pena conhecer!

One-Punch Man – Vol. 01
Editora Panini
Série bimestral
Autores: ONE e Yusuke Murata
208 páginas
13,7×20 cm
R$ 16,90

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/06/one-punch-man-1.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/06/one-punch-man-1-300x300.jpgLily Carrollmanganimemangá,ONE,One-Punch Man,Panini,Yusuke MurataTodos os anos rola aquela expectativa para saber qual editora brasileira vai pegar AQUELA série queridinha da estação. Foi assim com Ataque dos Titãs (ponto para Panini), Magi: O Labirinto da Magia (ponto da JBC) e Madoka Magica (esse gol foi da Newpop). E quando rolou o espolio de...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe