A obra de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata foi um fenômeno de vendas no Japão e acabou estourando no mundo, virando sucesso instantâneo na Alemanha, França, Itália, EUA, entre outros países. A série foi publicada no Brasil em tankobon pela Editora JBC em 2007, caiu nas graças do público, e agora volta em um formato inédito que agradará aos fãs e também a quem nunca leu esse mangá.

A publicação de Black Edition vem para contemplar um segmento pouco explorado do mercado nacional de mangás: os colecionadores. Por isso esta edição mais do que especial será lançada em livrarias e lojas especializadas.

Em seis edições de luxo que compreendem dois tankobons em cada volume, Death Note BE virá com oito páginas coloridas no começo da edição, papel especial, capa envernizada e acabamento diferenciado, além de revisão da tradução.

Para quem ainda não conhece a história, Death Note mostra como o acaso faz com que o estudante Light Yagami se torne dono de um misterioso caderno de capa preta com os dizeres “Death Note”. Em pouco tempo, o rapaz se dá conta do incrível poder daquele objeto: ao escrever ali o nome de qualquer pessoa que escolha, ela acaba morta!

Filho do chefe de polícia da cidade e dono de um forte senso de justiça, o jovem decide utilizar o caderno para punir aqueles que ferem a sociedade e passa a escrever ali o nome de criminosos. A morte de tantas pessoas chama atenção das autoridades e, em uma medida extrema, o grande detetive L é contratado para solucionar o caso.

O sagaz L será capaz de resolver esse mistério? Como Light irá lidar com essa oposição à sua cruzada por justiça? Reviravoltas e muito suspense fazem parte desta fantástica história.

Tsugumi Ohba, roteirista de Death Note, sua vida pessoal é um mistério. Muitos especulam que o autor trabalhe com um pseudônimo. O que nós sabemos de fato sobre este misterioso roteirista: Ohba coleciona xícaras de chá e senta-se com os pés sobre a cadeira enquanto trabalha, atividade que transmitiu ao personagem L.

Takeshi Obata nasceu em fevereiro de 1969 e é um desenhista muito elogiado. Seus trabalhos mais famosos são Death Note, Hikaru no Go e Blue Dragon – Ral Grad. Entre seus assistentes estão grandes nomes da indústria como Nobuhiro Watsuki, autor de Rurouni Kenshin.
A dupla também trabalhou no mangá Bakuman. A obra explora os bastidores do mercado editorial japonês e mostra o percurso que um jovem mangaká deve cursar. A série foi publicada na íntegra no Brasil pela Editora JBC.

Death Note – Black Edition foi lançado na última sexta-feira, 8 de junho, no evento Henshin+ na Livraria Cultura do Shopping Bourbon, em São Paulo, e estará disponível em outras livrarias e lojas especializadas a partir das próximas semanas. O mangá virá ao preço de R$39,00 terá 6 volumes, com algumas páginas coloridas no começo de cada edição, cerca de 400 páginas, papel e acabamento especiais e periodicidade mensal (como a distribuição será para livrarias e lojas especializadas, o mangá não será recolhido ao final de cada mês).

Renato LebeaumanganimeDeath Note,JBC,mangá,Takeshi Obata,Tsugumi OhbaA obra de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata foi um fenômeno de vendas no Japão e acabou estourando no mundo, virando sucesso instantâneo na Alemanha, França, Itália, EUA, entre outros países. A série foi publicada no Brasil em tankobon pela Editora JBC em 2007, caiu nas graças do público,...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe