Diferente dos fãs da DC que detonam praticamente todos os filmes da Warner, os Marvetes parecem dividir a crença de que a mais recente película de sua empresa preferida sempre é o melhor filme de Super-heróis de todos os tempos. Thor: Ragnarok é o melhor? Sim e não.

Podemos dizer que eles acertaram ao deixar o tom Shakespeariano de lado e partir para a comédia. Não é uma inovação, Guardiões da Galáxia veio antes, mas podemos dizer que assumir a paternidade do filho bastardo da comédia rasgada com os conceitos visuais de Jack Kirby foi um grande feito.

Mesmo não se levando tão a sério e se auto ironizando em muitas cenas, Ragnarok nos traz o primeiro vilão realmente perigoso da cinessérie. Hela (Cate Blanchet) é uma vilã sexy e segura de si que não precisa de exageros para demonstrar que é um perigo real e imediato para os personagens; um perigo tão inevitável quanto a morte poderia ser.

Já o Grão-Mestre...

O personagem de Jeff Goldblum parece um vilão dos Trapalhões bem produzido. Mais do que um planeta, Sakaar foi escada para diferentes piadas, muitas divertidas, outras nem tanto... Korgo (Taika Waititi), por exemplo, parece um comediante de uma piada só.

Felizmente, nem só de piadas vive o planeta que nos apresenta o renascimento de uma Valquíria (Tessa Thompson) caída.

Num filme que usa a música tema de A Fantástica Fábrica de Chocolate como elemento narrativo, até o Hulk (Mark Ruffalo) tem falas que deixam claro o quanto ele se sente só e deslocado entre seus pares, o que explica sua rápida adaptação ao mundo dos gladiadores.

Taika Waititi soube como dosar os tons sem derrapar criando um filme que tem tanto momentos extremamente coloridos, beirando o neon quanto sombrios e sem esperança extremamente críveis. Muitas vezes não parece o mesmo filme, mas tudo se encaixa na narrativa e no crescimento de um personagem que tem sua principal arma destruída e precisa reaprender a lutar sem ela.

Thor (Chris Hemsworth) e seu irmão Loki (Tom Hiddleston) evoluem e são arremessados numa situação nova e interessante cujo desdobramento poderia gerar (pelo menos) mais um filme.

Se você for Marvete, este será o melhor filme de todos os tempos (da última semana), mas a verdade é que este foi o filme do Thor que não errou a mão.

Thor: Ragnarok
Direção: Taika Waititi
Roteiro: Eric Pearson, Craig Kyle e Christopher Yost
Direção de fotografia: Javier Aguirresarobe
Trilha sonora: Mark Mothersbaugh
Elenco: Chris Hemsworth, Tom Hiddleston, Cate Blanchett, Idris Elba, Jeff Goldblum, Tessa Thompson, Karl Urban, Mark Ruffalo, Anthony Hopkins, Benedict Cumberbatch, Taika Waititi, Rachel House, Clancy Brown, Tadanobu Asano, Ray Stevenson, Zachary Levi
Produção: Marvel Stuidos
Distribuidora: Walt Disney Studios Motion Pictures

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2017/10/thor-ragnarok-7.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2017/10/thor-ragnarok-7-150x150.jpgAlexandre DassumpcaocinemaNós assistimosAnthony Hopkins,Benedict Cumberbatch,Cate Blanchett,Chris Hemsworth,Christopher Yost,Clancy Brown,Craig Kyle,Eric Pearson,Idris Elba,Jeff Goldblum,Karl Urban,Mark Ruffalo,Marvel,Rachel House,Ragnarök,Ray Stevenson,Studios Marvel,Tadanobu Asano,Taika Waititi,Tessa Thompson,Thor,Tom Hiddleston,Zachary LeviDiferente dos fãs da DC que detonam praticamente todos os filmes da Warner, os Marvetes parecem dividir a crença de que a mais recente película de sua empresa preferida sempre é o melhor filme de Super-heróis de todos os tempos. Thor: Ragnarok é o melhor? Sim e não. Podemos...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe