Se estiver esperando um filme com excelentes atuações, roteiro complexo, tramas e subtramas bem resolvidas e uma possível indicação ao Oscar, Rampage: Destruição Total não é para você. Aqueles que acompanharam a campanha de marketing sabe que o longa foi criado para ser um blockbuster e agradar os fãs de Dwayne “The Rock” Johnson. E com isso, o filme vai te deixar satisfeito até o fim.

O diretor Brad Peyton mostra a que veio já no início. Cenas de ação improváveis e exageradas, que mais pareciam cópias similares de filmes famosos da sétima arte. O desenrolar da ação segue esse ritmo e com algumas cenas do terceiro ato sendo extremamente semelhantes a batalha final de Os Vingadores (2012), desde jogadas de câmera a poses dos personagens, onde o gorila George representa o Hulk, Okoye o Capitão América e Chicago representa Nova Iorque.

Com personagens subdesenvolvidos e “estereotipados”, alguns atores parecem estar ali apenas pelo cachê, por exemplo: Joe Manganiello, que tem uma entrada marcante e um desfecho decepcionante, e Jake Lacy, que atua em modo “automático” ao interpretar um vilão fraco. Já Jeffrey Dean Morgan é um caso diferente, que acaba conquistando o público com seu carisma e sarcasmo já característico e acabamos prestando um pouco mais de atenção quando o vemos em cena.

A estrela do filme, Dwayne Johnson se mostra mais The Rock do que nunca. Com total liberdade e confortável com o filme, Johnson aparece cerca de 97% do longa, com seus trejeitos marcantes, como seu sorriso a cada viradinha, olhar penetrante, e é claro, seus músculos, que se torna piada recorrente durante a película. Porém, mesmo muito carismático, The Rock não consegue passar emoção nas partes comoventes do longa.

Sobre os colossos do filme, apenas George possui uma carga dramática, que é mostrada em uma ótima cena. O convívio de George e Davis é bem explorado durante a trama e convence, mesmo sendo desnecessário Okoye traduzir George a todo momento até quando eles estão sozinhos se comunicando.

Para os “porradeiros”, vale ressaltar a produção dos animais, que mesmo não tão convincente no CGI, apresenta o potencial criativo da equipe e mostra que ainda podemos esperar certas surpresinhas no cinema, com ponto a mais para o Ralph (o lobo) e Lizzie (o réptil). Efeitos especiais muito competentes e poucas vezes nos tira do filme.

A adaptação cinematográfica do clássico jogo oitentista segue uma fórmula comum: trama previsível, objetos e pessoas surgindo do nada apenas para movimentar a trama, muitas explosões, animais gigantes lutando e destruindo uma cidade, frases de efeitos a cada cinco minutos, cenas clichês, mortes criativas e, claro, muito The Rock!

O incomodo é que, mesmo a cidade toda sendo destruída, nenhum personagem parece se preocupar ou mesmo correr risco de morte, assim fazendo o espectador não se preocupar nenhum pouco com suas vidas.

Rampage: Destruição Total completa muito bem seu objetivo de fazer rir, empolgar e até (por que não?), sair lágrimas dos olhos. Poderia ser melhor, mesmo assim é um bom filme para ver com os amigos no final de semana. Para ser um completo blockbuster só faltou uma trilha sonora marcante para você sair assobiando do cinema.

Rampage: Destruição Total
Direção: Brad Peyton
Roteiro: Ryan Engle, Carlton Cuse, Ryan J. Condal e Adam Sztykiel
Fotografia: Jaron Presant
Trilha Sonora: Andrew Lockington
Elenco: Dwayne Johnson, Naomie Harris, Malin Akerman, Jeffrey Dean Morgan, Jake Lacy, Joe Manganiello, Marley Shelton, P.J. Byrne, Demetrius Grosse, Jack Quaid, Breanne Hill, Matt Gerald, Will Yun Lee
Empresas: WWE Studios, New Line Cinema, Weta Digital
Distribuição Nacional: Warner Bros.

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2018/04/rampage-destruicao-total.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2018/04/rampage-destruicao-total-150x150.jpgLucas AssiscinemaNós assistimosAdam Sztykiel,Andrew Lockington,Brad Peyton,Breanne Hill,Carlton Cuse,Demetrius Grosse,Dwayne Johnson,Jack Quaid,Jake Lacy,Jaron Presant,Jeffrey Dean Morgan,Joe Manganiello,Malin Akerman,Marley Shelton,Matt Gerald,Naomie Harris,P.J. Byrne,Rampage,Ryan Engle,Ryan J. Condal,Warner Bros,Will Yun LeeFacebook Twitter Instagram Youtube Se estiver esperando um filme com excelentes atuações, roteiro complexo, tramas e subtramas bem resolvidas e uma possível indicação ao Oscar, Rampage: Destruição Total não é para você. Aqueles que acompanharam a campanha de marketing sabe que o longa foi criado para ser um blockbuster e agradar os...O Impulso HQ é um site e canal no YouTube dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe