Hype lá em cima, expectativa sem tamanho e o desafio de superar o seu antecessor. Essas são algumas emoções que envolvem Guardiões da Galáxia Volume 2 que estreia no dia 27 de abril de 2017 e que mais uma vez conta com a direção e roteiro de James Gunn. E será que o volume 2 é realmente um “awesome mix” e supera o longa de 2014?

Se tratando de uma continuação, é que não há como evitar essa pergunta, e James Gunn sabia que esse seria o seu maior desafio. A questão era como deixar o volume 2 melhor se agora a surpresa de ter uma equipe desconhecida e desajustada já não é mais a sua maior arma secreta? A resposta: ajustar os desajustados e transformá-los em uma família.

Sim, essencialmente, Guardiões da Galáxia Volume 2 é um filme sobre família e sobre querer encontrar o seu lugar nessa família. Tudo gira em torno disso, desde o pequeno Baby Groot e a sua interação com os Guardiões, Yondu Udonta e sua relação com Stakar Ogord, o Águia Estelar, e, é claro, o Senhor das Estrelas com o seu pai, Ego, o Planeta Vivo.

E aqui temos que dar todos os méritos para James Gunn. Seu roteiro é simples e ao mesmo tempo bem amarrado. A sensação que passa é que a história foi escrita ao mesmo tempo em que o primeiro filme tomou vida. Situações que estão contidas no primeiro longa são bem amarradas e até resolvidas nesse volume 2 dando um ritmo narrativo perfeito. São personagens que crescem tão rápido e em poucas cenas que há sensação que dá é que o diretor já contou várias aventuras dos Guardiões e por isso estamos tão familiarizados com a situação de cada um.

Difícil imaginar que Gunn escreveu o roteiro do volume 2 um tempo depois do primeiro longa, e mais difícil ainda é pensar que quase tudo foi por água abaixo quando o personagem Ego quase não pode ser usado no longa, afinal, os seus direitos cinematográficos pertenciam à FOX. O personagem se enquadra tão bem no contexto que não tem como imaginar outro pai para Peter Quill nos cinemas. Ainda bem que houve um acordo entre os estúdios.

Sim, apesar da diferença entre os quadrinhos e o cinema, é totalmente aceitável que o pai do Senhor das Estrelas seja um Planeta Vivo. Mais uma vez, aqui entra a habilidade de Gunn de trabalhar com bons argumentos e tramas coerentes, amarrando pontas soltas do primeiro filme e dando personalidade e profundidade para os personagens.

Falando em personagens, há bastante nesse volume 2, mas apesar disso, não há nenhum sobrando. As novas adições para a equipe foram naturais e com cargas emocionais bem dosadas. Nebulosa, por exemplo, enfim pode ser compreendida e sua raiva pela sua irmã Gamora ser até justificável. O que esperar delas duas, quando o seu pai adotivo é Thanos? Uma relação familiar ruim é claro.

São os desajustes que acabam guiando a trama. Querer se encontrar não significa fazer sempre a coisa certa e os Guardiões acabam encaram essa realidade de frente. Seja para reorganizar o grupo como família, ou até mesmo para enfrentar o vilão da vez, que sim, quer dominar a galáxia.

São nos desajustes que temos as melhores cenas com as melhores piadas. Sim, o humor se mantém presente o tempo todo. Não há como não esperar sempre uma piadinha ou situação engraçada, seja com Drax ou com o fofinho Groot. Os palavrões estão lá para mostrar o quanto eles são desajustados e para fazer um humor ácido e para provocar. Quem nunca provocou um membro da família?

O filme guarda muitas surpresas. Ayesha, Drax e Yondu são apenas três exemplos de boas surpresas. Ayesha por não ser a vilã que você espera, sim a alienígena se considera superior, e inferioridade é a sua principal motivação. Drax proporciona as cenas mais bizarras com o humor “idiota” principalmente quando encontra com Mantis, mas que guarda um profundo amor e dor pela sua família perdida e Yondu que, enfim tem o seu segredo revelado: porque ele não entregou Peter Quill para quem encomendou o serviço de raptá-lo da Terra como mostrado no primeiro filme.

Sim, entre as surpresas estão as cinco, isso mesmo CINCO, cenas extras que se espalham pelos créditos. Algumas são apenas para divertir e outras para fazer a ponte com os próximos filmes. Aliás, a Marvel reinventou o jeito de se ver os créditos. Em Guardiões da Galáxia Volume 2, além de eles terem movimentos, ainda escondem personagens de outros filmes da Marvel que estão por vir.

Guardiões da Galáxia Vol.2 realmente é um “awesome mix” porque consegue misturar humor, ação, cores, alienígenas, naves, pirataria, mercenários e ainda emocionar. Peter descobre quem é seu pai e ao mesmo tempo, nós expectadores, também descobrimos quem é o pai de Peter. E como toda família guarda os seus segredos e surpresas, nós torcemos que no fim, todos fiquem reunidos.

E no fim, torcemos também que o volume 3 de “awesome mix” não demore a chegar.

Trailer:

Guardiões da Galáxia Vol. 2
Direção e roteiro: James Gunn
Direção de fotografia: Henry Braham
Música composta por: Tyler Bates
Duração: 2h 18m
Elenco: Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Vin Diesel, Bradley Cooper, Michael Rooker, Karen Gillan, Pom Klementieff, Elizabeth Debicki, Chris Sullivan, Sean Gunn, Tommy Flanagan, Laura Haddock, Kurt Russell.
Distribuidora: Walt Disney Studios Motion Pictures

Renato LebeaucinemaBradley Cooper,Chris Pratt,Chris Sullivan,Dave Bautista,Elizabeth Debicki,Guardiões da Galáxia,James Gunn,Karen Gillan,Kurt Russell,Laura Haddock,Marvel,Michael Rooker,Pom Klementieff,Sean Gunn,Tommy Flanagan,vin diesel,Zoe SaldañaHype lá em cima, expectativa sem tamanho e o desafio de superar o seu antecessor. Essas são algumas emoções que envolvem Guardiões da Galáxia Volume 2 que estreia no dia 27 de abril de 2017 e que mais uma vez conta com a direção e roteiro de James Gunn....IMPULSO HQ é um site que se propõe a discutir histórias em quadrinhos e assuntos derivados como cinema, games e cultura pop em geral.