Retomando a parceria com o diretor Antoine Fuqua (Dia de Treinamento e O Protetor) o novo filme do ex-agente vivido por Denzel Washington (em sua primeira sequência na carreira), “The Equalizer 2”, chegou aos cinemas com o título “O Protetor 2”. Apesar de manter muitas coisas da trama original, produção peca pelo ritmo arrastado e falta de um vilão convincente.

Desta vez, Robert McCall (Denzel Washington) vê o mal chegar à sua amiga mais antiga. Ao mesmo tempo em que vemos Robert vivendo uma vida tranquila como motorista de aplicativo, Robert tenta ajudar as pessoas a sua volta, entre eles o jovem Miles, interpretado por Ashton Sanders (Moonlight – Sob a Luz do Luar).

Filme explora mais sobre sua viuvez e seu passado do personagem na agência de inteligência. Um assassinato faz com que sua amiga Susan Plummer (Melissa Leo) inicie uma investigação que leva ao seu assassinato. Com a morte de sua única amiga, Robert se vê obrigado a encontrar antigos contatos para descobrir os assassinos e fazê-los pagar.

Apesar de aprofundar um pouco mais no passado de Robert a trama parece perdida em tantos fatos. Com várias cenas mostrando a rotina de Robert e uma cena final corrida, o filme tem um ritmo desigual. Partes iniciais da trama poderiam ter ficado de fora para dar mais tempo para a resolução do caso.

O mistério central do roteiro de Richard Wenk tem viradas previsíveis e motivações pouco convincentes. Com o resultado final na tela, fica um sentimento triste, pois a sequência de O Protetor poderia facilmente ser o segundo episodio de uma série e tudo no filme lembra uma no maior estilo policial.

A trama secundária da relação de Robert e Miles chega a ser mais interessante que o caso principal, além de render cenas mais interessantes entre os dois personagens e questionamentos interessantes sobre quem vive perto da criminalidade e tem a possibilidade de ter uma vida melhor.

Ainda que Antoine explore bem as cenas mais dramáticas, as cenas que mais chamam atenção são, sem dúvida, as de ação que, desta vez, contém mais sangue e são ainda mais explicitas, já vistas logo de cara em um prólogo dentro de um trem a toda velocidade.

Com uma grande atuação de Washington, que agrada pelo carisma e o modo como traz ao personagem trejeitos próprios, “O Protetor 2” tem uma história que não empolga, mas merece ser vista pela direção e pelo próprio Denzel.

O Protetor 2
Título original: The Equalizer 2
Direção: Antoine Fuqua
Roteiro: Richard Wenk
Fotografia: Oliver Wood
Trilha sonora: Harry Gregson-Williams
Elenco: Denzel Washington, Pedro Pascal, Bill Pullman, Melissa Leo, Jonathan Scarfe, Orson Bean, Ashton Sanders, Caroline Day
Duração: 121 minutos
Produção: Sony Pictures, Columbia Pictures, Mace Neufeld Productions, Escape Artists
Distribuição nacional: Sony Pictures

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2018/08/o-protetor-2-1.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2018/08/o-protetor-2-1-150x150.jpgLaís TigrecinemaNós assistimosAntoine Fuqua,Ashton Sanders,Bill Pullman,Caroline Day,Columbia Pictures,Denzel Washington,Escape Artists,Harry Gregson-Williams,Jonathan Scarfe,Mace Neufeld Productions,Melissa Leo,O Protetor,Oliver Wood,Orson Bean,Pedro Pascal,Richard Wenk,Sony PicturesFacebook Twitter Instagram Youtube Retomando a parceria com o diretor Antoine Fuqua (Dia de Treinamento e O Protetor) o novo filme do ex-agente vivido por Denzel Washington (em sua primeira sequência na carreira), “The Equalizer 2”, chegou aos cinemas com o título “O Protetor 2”. Apesar de manter muitas coisas da trama...O Impulso HQ é um site e canal no YouTube dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe