Já tem algum tempo que Hollywood vem retomando antigos sucessos e os repaginando para um novo público. Algumas vezes funciona bem, como em Star Wars, e às vezes é pavoroso, como em Indiana Jones. Agora chegou a vez de revisitarmos os Homens de Preto, franquia amada pelos fãs de Will Smith.

Nesta nova versão, a agência MIB continua protegendo a Terra da escória do universo, porém, os aliens se espalharam e foi preciso espalhar os agentes dos Homens de Preto também por todo o globo. É nesse contexto que conhecemos a jovem Molly (Tessa Thompson) que, depois de vivenciar uma experiência com um alien quando era criança, tenta de todas as maneiras descobrir a agência e ser um homem (ou no caso, mulher) de preto.

Enviada em experiência para Londres ela conhece o agente H (Chirs Hemsworth) um dos mais experientes agentes da organização. As circunstâncias que aproximam os dois para trabalhar juntos são interessantes e agora é necessário descobrir um traidor entre os Homens de Preto.

Alguns atores visivelmente funcionam como dupla de comédia e este é o caso de Tessa e Chris. Os dois tiveram uma boa dinâmica em Thor: Ragnarok, então nada mais natural que fazerem outro filme juntos. Reformulando a dinâmica do policial certinho e o que foge às regras, os dois encontraram sua própria forma de funcionar como brothers, o que não dá muito certo quando o roteiro de Matt Holloway e Art Marcum tenta levá-los para um lado mais romântico.

Juntando essa dupla de protagonistas aos elementos já conhecidos da franquia, armas iradas e aliens diferentões, parecia que nada poderia fazer o filme dar errado certo? Afinal, os dois primeiros atos retomam a sensação dos filmes anteriores e até contam com easter eggs bacanas. Mas a trama começa a desandar quando se aproxima da resolução e o roteiro parece se perder se tornando previsível e deixando no ar algumas coisas.

A ameaça maior no desfecho rouba um espaço da história, que poderia ter desenvolvido melhor os personagens e motivações de Riza (Rebecca Ferguson), por exemplo, ou dos aliens gêmeos que somem em um determinado ponto da história.

Ao tentar construir o quebra-cabeça como no original de 1997, a história deixa pontas soltas e não explora o que já foi entregue. Fica parecendo que o final foi resolvido de forma corrida. Mas, apesar de todas essas ressalvas, o filme mantém aquela aura de Sessão da Tarde: um filme divertido que distrai e entretém!

MIB: Homens de Preto – Internacional
Direção: F. Gary Gray
Roteiro: Matt Holloway e Art Marcum
Fotografia: Stuart Dryburgh
Trilha sonora: Chris Bacon, Danny Elfman
Elenco: Chris Hemsworth, Tessa Thompson, Kumail Nanjiani, Rebecca Ferguson, Rafe Spall, Emma Thompson, Liam Neeson, Laurent Bourgeois, Larry Bourgeois, Kayvan Novak, Spencer Wilding, Anatole Taubman, Bern Collaco, John Kamau, Kumail Nanjiani, Larry Nicolas
Produção: Sony Pictures, Columbia Pictures Corporation, Amblin Entertainment, Parkes / MacDonald Productions
Distribuição nacional: Sony

Nós Assistimos: MIB: Homens de Preto – Internacionalhttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2019/06/mib-international.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2019/06/mib-international-150x150.jpgLaís TigrecinemaNós assistimosAnatole Taubman,Art Marcum,Bern Collaco,Chris Bacon,Chris Hemsworth,Danny Elfman,Emma Thompson,F. Gary Gray,Homens de Preto,John Kamau,Kayvan Novak,Kumail Nanjiani,Larry Bourgeois,Larry Nicolas,Laurent Bourgeois,Liam Neeson,Matt Holloway,MIB,Rafe Spall,Rebecca Ferguson,Sony,Spencer Wilding,Stuart Dryburgh,Tessa ThompsonFacebook Twitter Instagram Youtube Já tem algum tempo que Hollywood vem retomando antigos sucessos e os repaginando para um novo público. Algumas vezes funciona bem, como em Star Wars, e às vezes é pavoroso, como em Indiana Jones. Agora chegou a vez de revisitarmos os Homens de Preto, franquia amada pelos fãs de...O Impulso HQ é um site e canal no YouTube dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe