esquadro_suicida-4Fui incumbida de falar da mais nova polêmica cinematográfica da DC, Esquadrão Suicida. Em Batman Versus Superman o público se dividiu entre os que gostaram e os que não gostaram do filme, e veremos novamente essa divisão, pois apesar do filme ter sido muito mal recebido pela crítica, tem tudo para ser bem aceito pelo público.

Desde o primeiro trailer exibido de Esquadrão Suicida, a Warner Bros. prometia mostrar algo diferente, irreverente e que não havia sido feito até o momento: os vilões, os ignorados, os desprezados, esses seriam os caras que salvariam o dia enquanto os heróis se digladiavam.

Infelizmente não foi bem isso que chegou aos cinemas. Muitas cenas (muitas mesmo) inclusive várias delas do Coringa, do casal Flag e Moone e de conflitos internos foram cortadas, tirando a irreverência do palhaço, romantismo e drama. O que deu um tom completamente diferente para o longa, não trazendo então o material tão incomum, caótico e ‘dark’ quanto esperado.

esquadro_suicida-3Engana-se quem vai às salas de cinema para ver Batman ou Coringa, afinal eles não são o foco do filme, e pelo que foi liberado nos vídeos promocionais e trailers, já sabíamos que eles estariam no longa e teriam participações pequenas, mas muitas das cenas, para a tristeza geral, não sobreviveram ao corte final do filme. Talvez as veremos em uma versão estendida novamente. Quem sabe?

Por outro lado, a presença dos dois personagens não direciona o filme para alguma direção específica. No caso do Coringa, se mantivesse apenas sua última cena, talvez o impacto fosse maior, mas a DC não conseguiria explorar seu objetivo com o Palhaço que falarei mais pra frente.

O filme, no geral, é regular. Não é surpreendente e nem desaponta. Todos os personagens foram bem representados pelos seus respectivos atores, acredito que o Capitão Bumerangue pudesse ter abusado mais do sotaque e figuras de linguagem, mas nada que atrapalhe o desenvolvimento do personagem.

esquadro_suicida-2Desenvolvimento esse que todos os personagens têm ao longo do filme. Eles crescem a medida que o filme passa, ganham identidade, personalidade e características individuais e do grupo; isso para todos os envolvidos. Atenção especial para a incrível Viola Davis (Histórias Cruzadas, 2011) que cumpriu o que prometeu em suas entrevistas e trailers com uma ótima atuação (como de costume) trazendo uma Amanda Waller incrível muito forte, com muita personalidade, assim como todos esperavam.

O início do filme é bom e a história ocorre logo após Batman Vs Superman, diferente dos boatos anteriores. Os personagens são apresentados logo no começo, o que ambienta o público que conhece pouco dos personagens do Esquadrão, assim como é feito na animação Batman: Assault on Arkham (Batman: Ataque Ao Arkham), que recomendo assistir antes do filme se você quiser saber um pouco mais sobre os personagens que vai encontrar nas telonas.

esquadro_suicida-1Depois do início da trama e da seleção dos vilões que farão parte do Esquadrão, o espectador já consegue criar um vínculo com os heróis-de-um-dia, o que se faz necessário, porque se o público não estiver cativado por eles e suas histórias, o filme não funciona. A única personagem que acredito ter sido prejudicada no corte final é a Katana que poderia ter sido melhor aproveitada.

O longa começa a criar um hype muito grande que não chega a concretizar. A primeira cena de ação do grupo de vilões é boa no começo, mas não consegue manter o padrão e depois de um tempo, fica repetitivo.

O filme conta com alguns erros bobos de continuidade, mas que não atrapalham no desenvolvimento da trama, que prefiro não dar muitos detalhes para não acabar dando nenhum spoiler, porque essa não é a intenção. A trilha sonora é incrível e conta com músicas clássicas do Pop e Rock o que com certeza ajuda no crescimento do filme.

esquadro_suicida-6A cenas de humor estão lá, mas não são tantas, o que nos leva a acreditar no boato sobre as refilmagens que teriam sido realizadas só para deixar o longa mais engraçado, mas que foi desmentido algumas vezes.

O diretor David Ayer repete a fórmula usada em Corações de Ferro (2014) acrescentando um personagem que não aceita matar ou no caso, se entregar ao seu poder, que acaba sendo surpreendente.

A sequência final dá impressão que ao término das gravações a equipe criativa estava “cansada” e acabou reproduzindo um clichê com um a luta que tinha tudo para ser incrível, mas não passou de regular.

esquadro_suicida-5As fichas da Warner e DC estão todas nesse filme, por dois motivos: primeiro que o Coringa não passa de uma boa estratégia, o público amou a atuação de Ledger como Coringa então, para acrescentar o palhaço em seus filmes, seria necessário ver a recepção do personagem em uma participação menor.

O estilo mais gangster do palhaço do crime ajudou a não levar o público traçar paralelos entre os personagens. Jared Leto rouba a cena em cada momento na pele do vilão mais amado da DC Comics, com uma atuação impecável, gostando ou não dos adereços acrescentados nessa versão do Coringa.

esquadro_suicida-7A segunda é porque a DC/Warner está tentando encontrar seu tom (algo que a Marvel já fez há um tempo), e caso Esquadrão Suicida seja bem aceito pelo público no geral, a DC pode manter o tom ou mudar caso seja necessário nos filmes de seu universo expandido que vêm aí (Liga da Justiça e Mulher Maravilha). Além do mais, já existem boatos sobre realizar filmes solo do Capitão Bumerangue, Arlequeina e Coringa, mas tudo, dependendo do sucesso desse filme, o que particularmente, acho possível que arrecade boa bilheteria e caia no gosto do público.

Apesar de tudo que apontei, ainda acho Esquadrão Suicida um filme bom, jamais concordaria com uma nota 2 como vi por aí. É um filme mais próximo ao cartunesco e ao que o público espera, o que pode sim, trazer bons resultados para DC, agora só basta aguardar

Dica #1: leia as críticas, assista o filme, tire suas próprias conclusões e bom filme (:

Dica #2: A DC pela primeira vez insere uma cena pós-crédito e está de cair o queixo e bagunçar sua linha do tempo.

Trailer:

Esquadrão Suicida
Direção e roteiro: David Ayer
Fotografia: Roman Vasyanov
Elenco: Will Smith, Margot Robbie, Viola Davis, Jared Leto, Common, Jai Courtney, Jay Hernandez, Adewale Akinnuoye-Agbaje, Cara Delevingne, Joel Kinnaman, David Harbour, Ike Barinholtz, Alain Chanoine, Adam Beach, Karen Fukuhara, Scott Eastwood, Ezra Miller e Ben Affleck
Trilha sonora: Steven Price
Produção executiva: Zack Snyder, Deborah Snyder e Geoff Johns
Produção: Charles Roven , Richard Suckle
Empresas: DC Entertainment e Warner Bros.
Distribuição nacional: Warner Bros.

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/08/esquadro_suicida.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2016/08/esquadro_suicida-300x300.jpgMarina CiconelicinemaNós assistimosAdam Beach,Adewale Akinnuoye-Agbaje,Alain Chanoine,Ben Affleck,Cara Delevingne,Common,David Ayer,David Harbour,DC Comics,Esquadrão Suicida,Ezra Miller,Ike Barinholtz,Jai Courtney,Jared Leto,Jay Hernandez,Joel Kinnaman,Karen Fukuhara,Margot Robbie,Scott Eastwood,Viola Davis,Warner Bros,Will SmithFui incumbida de falar da mais nova polêmica cinematográfica da DC, Esquadrão Suicida. Em Batman Versus Superman o público se dividiu entre os que gostaram e os que não gostaram do filme, e veremos novamente essa divisão, pois apesar do filme ter sido muito mal recebido pela crítica, tem...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe