Em 1995, eu tinha 14 anos e jogava muito RPG. Tipo, todo sábado e domingo (e uma ou outra partida numa noite no meio da semana). Fantasia Medieval, o D&Dzão da Grow mandava no pedaço, mas numa certa feita, decidimos nos aventurar pelas genéricas regras do sistema GURPS para matar a vontade de interpretar nossos heróis preferidos nas histórias em quadrinhos. Assim, teve início uma das mais bizarras e divertidas aventuras que já joguei até hoje (mas talvez eu tenha jogado pouco).

Fingindo que estávamos entendendo aquele burocrático sistema de regras que só usa D6 (sim, sou daqueles que acredita que quem gosta de RPG não gosta de GURPS), cada um dos jogadores escolheu seus personagens. Decidi jogar com o Gambit, pois era grande fã da série animada dos X-MEN.

Meus amigos escolheram Batman (claro), Superman (naturalmente), Thor (inusitado, eu diria) e… Predador (sim, ninguém escolheu o Wolverine, mas o alien mais barra da galáxia… pra integrar um grupo de super-heróis)! Embora o GM (Game Master) tenha tentado os argumentos possíveis para impedir o jogador de usar um personagem tão… tão… Ah, você entende! O mestre tinha vontade fraca e foi vítima de uma espécie de charm person (só pode ter sido isso, poxa).

A bizarrice, de fato, começa agora, com nossa história: todos éramos pupilos do jovem Batman. Por algum motivo, Bruce Wayne achou que seria interessante ter um alienígena super-poderoso, um deus mitológico e um ladrão mutante ao seu lado já nos primórdios de sua carreira.

Por nossa vez, contávamos todos com os vastos recursos do Homem-Morcego. Então, após breve descrição da histeria anti-mutante que tomava as ruas e as enchia da caos, Magneto (sempre ele) dá início a um polpudo ataque numa siderúrgica (what?)… Você deve estar se perguntando por onde anda o Predador a essa altura, né mesmo? Eu não me lembro, mas estranhamente pareceu-lhe interessante dirigir-se ao local da batalha.

Nós não entendíamos as regras. Nem mesmo havíamos feito às fichas. Diante das escolhas, o mestre foi pra casa com seu GURPS e voltou com tudo pronto… A gente partiu pra cima do Mestre do Magnetismo aparentemente sem conseguir fazer nada de eficaz contra ele. Ficamos rolando D6s por horas nos divertindo com as descrições e tomando atitudes meio loucas (mas absolutamente lúcidas pra RPGistas).

Thor e Superman apanharam feito boi ladrão. O Batmóvel virou uma bola de aço retorcida. Minhas cartas não venciam o campo magnético ao redor do terrorista mutante. E o Predador? Bem, ele ataca com aquele laser invocado do ombro, sabe?!

Lá pras tantas, Magneto deu sinais de cansaço… Começamos a virar a mesa! Mas eis que surgiram duas Sentinelas pra ninguém botar defeito! Se o mestre do jogo tava roubando pro Magneto arrebentar a gente antes, nesse momento, a coisa descambou. Fui o primeiro a ser levado pro interior dos robôs aprisionado por tentáculos metálicos. A coisa ficou feia. Os robôzões cor de rosa tinham até kryptonita. Superman foi me fazer companhia na cela estomacal… Quando o Predador (ele… novamente ele…) sacou os rumos da coisa, decidiu explodir tudo com a bomba em seu braço.

Nisso, o mestre, temendo pelos rumos da campanha, deu um jeito de capturar o resto grupo abruptamente e deixou o jogador do sanguinário alien levar sua ideia a cabo. A nuvem de cogumento subiu na hora! Uma das sentinelas foi derrotada enquanto a outra fugiu levando a patota de super-heróis DC/Marvel em seu ventre de metal… Infelizmente, nunca demos continuidade a essa divertida partida, embora ela seja lembrada constantemente (dada sua quantidade quase que ilimitada de patacoadas e bizarrices)…

Atualmente, pra quem quer se divertir interpretando um de seus personagens prediletos, existem RPGs com sistemas de regras muito mais apropriados e específicos, como, por exemplo, Mutants and MasterMinds (não como ficou o título em português).

Enfim, quando você tem 14 anos, algo como o que jogamos é o supra-sumo da diversão! Bizarro ou não, divirta-se!

Dennis RodrigoartigosD&D,DC Comics,GURPS,Marvel,Mutants and MasterMinds,RPGEm 1995, eu tinha 14 anos e jogava muito RPG. Tipo, todo sábado e domingo (e uma ou outra partida numa noite no meio da semana). Fantasia Medieval, o D&Dzão da Grow mandava no pedaço, mas numa certa feita, decidimos nos aventurar pelas genéricas regras do sistema GURPS para...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe