Carl Lucas cresceu na vizinhança pobre e violenta do Harlem, onde a vida marginal o levou a cometer pequenos delitos. Apesar de estar cada vez mais envolvido na vida bandida, foi preso e condenado por um crime que não cometeu. Como se não bastasse, no presídio era alvo constante de um sádico guarda chamado Rackham.

Sem nenhuma perspectiva, Lucas aceitou ser cobaia em um experimento onde seria banhado com um produto químico em um moderno maquinário. Mas Rackham (que já havia sido advertido pelos maus tratos aos presidiários), invade o laboratório e sabota o experimento. Como resultado, o equipamento começa a cozinhar Lucas vivo dentro do banho químico até que explode com ele dentro. No entanto, ele não só sobrevive como parece ter adquirido força sobre-humana.

Força o suficiente para abrir caminho pelas paredes do presídio apenas com seus golpes. Na fuga, é alvejado pelos guardas, que pensam tê-lo matado. No entanto, ainda como efeito colateral do experimento, a pele de Lucas tornou-se resistente como o aço.

Fugindo para a cidade, Lucas acidentalmente impede um assalto e recebe uma pequena recompensa pelo seu ato heroico. Isso lhe dá uma ideia: já que tem poderes sobre-humanos, decide usá-los e ganhar dinheiro com eles. Dessa forma, cria um codinome, uma vestimenta colorida como se fosse um super-herói e oferece seus poderes para defender os fracos e oprimidos como Luke Cage, o herói de aluguel.

Luke Cage foi um dos primeiros super-heróis negros de destaque no mundo dos quadrinhos, a ponto de ter sua própria revista, chamada “Luke Cage, Hero For Hire”, criado pelo escritor Archie Goodwin e pelo desenhista George Tuska, em Junho de 1972, já no finzinho da Era de Prata.

Surgiu aproveitando a “Onda Black” conhecida como blaxpoitation, sem esquecer a origem pobre e a própria discriminação que sofriam. Interessante notar como Luke Cage não era exatamente um alienado no que diz respeito aos seus “irmãos” do Harlem. Cresceu e se entregou ao mundo do crime como muitos dos seus amigos, sem que, em momento algum, demonstrasse desejo de mudar o modo de pensar da população.

O máximo de “herói” que o personagem apresentava no início era uma independência em relação aos outros criminosos, não se envolvendo em crimes mais violentos ou mesmo em planos mirabolantes de seus colegas presidiários.

Mesmo após ganhar sua pele dura e sua força extra, ainda assim pensou em ganhar dinheiro com o “heroísmo” que iria praticar.

Para os mais puritanos, Cage poderia estar agindo como um mero picareta, uma espécie de agiota que emprestaria suas capacidades. Mas a experiência dessa nova vida como super-herói lhe traria muitas outras lições.

Para quem conhecia a dura realidade dos guetos, no entanto, era algo mais que isso. Era um simples desejo de sobreviver a qualquer preço, dentro de um mundo que o marginalizava apenas pela cor de sua pele, utilizando aquilo que tinha a mão ou que sua experiência de vida poderia lhe trazer.

O nome inclusive, soa irônico para o personagem, já que Cage, em inglês, remete a prisão, gaiola. E Luke “engaiolado” não deixaria esquecer que, de uma forma ou de outra, o herói era alguém cumprindo uma espécie de pena alternativa.

Curiosidade: o nome Luke Cage também serviu de inspiração para que Nicholas Kim Coppola, sobrinho do diretor Francis Ford Coppola, escolhesse seu nome artístico. Querendo que sua carreira fizesse sucesso sem que isso tivesse influência do sobrenome do famoso tio, Nicholas, fã confesso de quadrinhos, passou a se chamar Nicholas Cage.

Marcos Darkprata da casaArchie Goodwin,George Tuska,Hero For Hire,Luke Cage,MarvelCarl Lucas cresceu na vizinhança pobre e violenta do Harlem, onde a vida marginal o levou a cometer pequenos delitos. Apesar de estar cada vez mais envolvido na vida bandida, foi preso e condenado por um crime que não cometeu. Como se não bastasse, no presídio era alvo constante...IMPULSO HQ é um site que se propõe a discutir histórias em quadrinhos e assuntos derivados como cinema, games e cultura pop em geral.