Antes de publicar seus heróis, a Marvel Comics publicava histórias contendo monstros de tudo quanto é tipo que os desenhistas e escritores podiam imaginar, não havendo no roteiro o foco do bem contra o mal. No máximo, uma história com reviravoltas e um final que pudesse dar uma lição de moral para a humanidade. Hulk começou nessa categoria!

Um monstro nascido de um trágico acidente com um cientista que cria armas para o exército. Ou seja, a lição de moral ao cientista aqui se chama redenção. Suas primeiras histórias, criação de Jack Kirby e Stan Lee, começaram a ser publicadas em quatro edições de uma revista que trazia seu próprio nome, a partir de maio de 1962. Mas, a onda de novos super-heróis da Marvel já havia contagiado os leitores e o personagem foi pego na explosão desse novo universo.

O brilhante cientista Bruce Banner cria a Bomba Gama baseada em seus estudos dessa energia radioativa. No dia do teste, que seria feito no deserto, um adolescente (que ficamos conhecendo como sendo Rick Jones, futuramente o mais importante personagem coadjuvante da Marvel) entra na área de explosão apenas para provar sua coragem aos amigos. Banner o avista e corre para salvá-lo.

Apesar de se arriscar, o cientista conta com o auxiliar Igor, ao qual pediu que impedisse a contagem regressiva. Igor, no entanto, é um espião russo e deixou que a contagem continuasse para que Banner morresse e ele tivesse caminho livre para roubar os projetos. Banner consegue salvar o jovem jogando-o em uma vala, mas a explosão o atinge em cheio.

Sobrevivendo milagrosamente, Banner é levado pelo adolescente à enfermaria do exército. Mas algo acontece! Ao anoitecer, seu corpo começa formigar e crescer, transformando-o numa grotesca criatura, de força descomunal. Seu intelecto também é afetado e ele se torna incontrolável, mesmo de uma forma ingênua, como se fosse um animal assustado.

O jovem Rick Jones, que se sente culpado pelo que aconteceu a Banner (e única testemunha da transformação), segue o monstro a fim de ajudá-lo de alguma forma. Lembrem que Banner está em uma instalação do exército. Os soldados, comandados pelo truculento General Ross, se vêem na obrigação de capturar tal monstro, que é apelidado de Hulk.

As histórias iniciais do Hulk se desenvolvem em um ambiente mais militar do que os outros personagens da Marvel. Logo, é mais do que natural que ele também pregue sua mensagem americana em época de Guerra Fria. Além dos comunistas indiretamente serem culpados por sua origem, eles também estão presentes nas formas mais inusitadas.

Histórias de invasões alienígenas, naquela época, eram alusões à invasão comunista na América. Nas aventuras do Hulk isso acontece de forma mais discreta, quando ele impede a invasão de estranhos alienígenas com cara de sapo e quase que de forma literal, em uma história em que os “vermelhos” simulam uma invasão de um ditador de outro planeta para dominar os Estados Unidos da América. Apesar de impedir os planos do “inimigo”, o Hulk, monstro que é, acaba sendo culpado pelos eventos desse ataque.

Semana que vem veremos porque Rick Jones pagou todos os pecados que cometeu (ou venha a cometer) tornando-se o mais humilhado capacho dos quadrinhos.

Marcos Darkprata da casaHulk,Marvel Comics,Rick JonesAntes de publicar seus heróis, a Marvel Comics publicava histórias contendo monstros de tudo quanto é tipo que os desenhistas e escritores podiam imaginar, não havendo no roteiro o foco do bem contra o mal. No máximo, uma história com reviravoltas e um final que pudesse dar uma lição...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe