De fato, Stan Lee chutou o pau da barraca em se tratando da criação de alguns dos personagens Marvel Comics. Um desses tiros no escuro foi dado com o Homem Aranha. Afinal, todos achavam aranhas repugnantes e nada heroicas e o fato de um homem ter as capacidades delas, de início, não teria lá muito futuro, mas teve!

Essa linha de criar heróis pouco convencionais talvez tenha alcançado o cúmulo com o Demolidor, um herói cego. Criado em abril de 1964, os traços do desenhista Bill Everett (co-criador, juntamente com Lee) mostram um personagem fantasiado tipicamente como em décadas passadas. Mas, no decorrer do roteiro, ele se mostra bem mais que isso.

Matt Murdock sofre por não poder seguir a carreira do pai, um lutador de boxe que prefere que o filho fique longe da decadência dos ringues e estude para ser alguém na vida. Mas este pai herói inspira o filho o bastante para que ele treine secretamente sem largar os estudos e tirar ótimas notas, é claro.

Um acidente muda o rumo dessa história, quando Matt salva um cego de ser atropelado por um caminhão, que deixa cair sua carga (supostamente radioativa) que atinge o rosto do rapaz e o deixa cego. A estranha substância, no entanto, desenvolve os outros sentidos do jovem a níveis sobre-humanos a ponto dele nem precisar enxergar para poder se locomover. Tato, gustação, audição e um estranho sentido de radar dão a Matt capacidades que ele percebe serem vantajosas até mesmo em uma briga.

Desesperado para conseguir dinheiro para operação dos olhos de seu filho (e ignorando as novas capacidade do rapaz), Jack Murdock aceita uma luta comprada onde receberá por perder propositalmente. Sua dignidade fala mais alto quando percebe que o filho está no meio da plateia e seria feio envergonhá-lo com uma derrota (ainda mais sendo comprada). Jack, contrariando seus empregadores, vence a luta. Estes, por sua vez, agindo no submundo do boxe, dão fim a carreira e a vida do lutador para o desespero de Matt.

Auxiliado por seu melhor amigo, Foggy Nelson, Matt termina os estudos e se forma advogado, atuando como sócio no escritório financiado pelo pai do amigo. Lá também ele conhece a secretária Karen Page. A empatia entre todos é imediata e sinaliza para um futuro triângulo amoroso a ser resolvido.

Matt não consegue esquecer o crime cometido contra seu pai e cria um uniforme, para perseguir os assassinos. Com cores bem mais berrantes que o costumeiro uniforme vermelho pelo qual é conhecido hoje (afinal, ele era cego!), usa-o com a desculpa de que seria “outra pessoa” a brigar, e não ele, uma vez que era do desejo de seu pai que ele ficasse longe das lutas.

Usando o apelido que lhe deram em sua adolescência, Demolidor, consegue encontrar o chefão do boxe e o assassino que executou seu pai. Para o espanto de todos, sua desenvoltura em combate é excepcional. O que ninguém imaginava é que isso se devia a seus sentidos super desenvolvidos. Matt consegue prender o assassino e o chefão mandante que, assustado com a perseguição do herói, tem um ataque cardíaco.

O mundo ganhava assim um novo herói para combater o crime. Demolidor, mais um incomum herói criado para se tornar um mito no futuro.

Marcos Darkprata da casaBill Everett,Demolidor,Marvel,Matt Murdock,Stan LeeDe fato, Stan Lee chutou o pau da barraca em se tratando da criação de alguns dos personagens Marvel Comics. Um desses tiros no escuro foi dado com o Homem Aranha. Afinal, todos achavam aranhas repugnantes e nada heroicas e o fato de um homem ter as capacidades delas,...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe