O Motoqueiro Fantasma foi criado pelo escritor Gary Friedrich e pelo desenhista Mike Ploog e surgiu na revista bimestral Marvel Spotlight nº 5, em agosto de 1972, que dedicava suas páginas para apresentar novos personagens dentro do universo Marvel de super-heróis.

Coincidência ou não, a revista Marvel Spotlight acabou apresentando os personagens ligados ao gênero terror (sem esquecer que também poderiam ser heróis) dentro da Marvel. Em suas páginas surgiram, por exemplo, o Lobisomem (que se tornava um herói eventual, apesar da maldição), o Filho de Satã e o já citado Motoqueiro Fantasma.

Essa onda de personagens que abordavam esse tema se devia a crescente onda de filmes de terror da década de 70. Na verdade, a Marvel Comics já publicava histórias do gênero, da mesma forma que publicou contos de ficção científica no passado. Mas a novidade ficava por conta de encaixar tais personagens num universo onde conviveriam com Homem-Aranha, Capitão América e outros heróis da casa.

A origem do Motoqueiro Fantasma pouco tem de aventura de super-herói. Por outro lado, sua primeira história era muito longa para ser apenas um conto de terror, dando a ideia de que o escritor Gary Friedrich (com ajuda do editor Roy Thomas) tinha planos futuros para o personagem.

Johnny Blaze era um garoto que vivia com seu pai em uma espécie de circo, onde o destaque eram os malabaristas que se utilizavam de motocicletas e faziam show pelo país afora (tipo aqueles em que o motoqueiro saltava de uma plataforma sobre uma fileira de carros). Tudo ia bem até o dia em que o pai de Johnny morre ao sofrer um acidente no show.

O garoto passa a ser criado por Crash Simpson (dono do show) e, obviamente, ele começa a treinar malabarismos desde cedo. Em um desses treinos, Johnny tenta se desvencilhar de uma motocicleta que pega fogo, consegue livrar Roxanne (filha de Crash) e a si mesmo. Mas a motocicleta explode justo quando a esposa Crash vai verificar se Johnny está ferido. Em seu leito de morte, ela pede para que o garoto prometa que nunca irá participar dos shows. Johnny sela a promessa.

Anos depois, o show de Crash chega ao seu auge e está diante de uma apresentação importante em Nova Iorque. Isso seria motivo de comemoração, não fosse o fato de que Crash recebeu a notícia de que estava com câncer e que teria por volta de um mês de vida. Apesar de continuar treinando secretamente, Johnny não ousa quebrar sua promessa e participar do show. Esta atitude é vista como covardia tanto por Crash quanto por Roxanne (que começava a se apaixonar por Johnny).

O jovem Johnny tenta, então, uma saída inusitada. Nas horas vagas, lia muitos livros. Alguns deles, relacionados à magia negra e satanismo. Usando os conhecimentos destes, tenta fazer um pacto com Satã (sim… o Tinhoso, o Cão, o Diabo…) para que o câncer não mate Crash. O demônio aceita o pedido do jovem, mas deixa claro que essa dívida será cobrada em breve.

Crash Simpson realmente não morre. E, sentindo-se melhor, irá tentar um salto considerado suicida. De fato, não consegue completar o show e morre acidentalmente. Johnny se vê ludibriado pelo Demônio. Ele realmente não deixou que Crash morresse devido ao câncer, mas não imaginava que seu pai adotivo pudesse morrer em um acidente (tal qual seu pai verdadeiro). Enraivecido, acaba quebrando sua promessa e termina o salto que matou Crash.

Apesar disso, essa não era a cobrança de dívida do qual Satã havia clamado. Ele ainda queria a alma de Blaze. Na noite em que isso iria ocorrer, Johnny é salvo no último momento por Roxanne. A garota declara seu amor pelo motociclista e a força desse sentimento é suficiente para espantar Satã. Roxanne ficou sabendo do pacto que seu amado fez, pois encontrou os livros de magia negra que ele lia.

No entanto, Johnny agora carrega uma maldição. Quando a noite chega, sem que ele possa controlar, se transforma em uma caveira flamejante. Ele mantém sua personalidade, mas ganha o poder de disparar rajadas de fogo infernal. Quando amanhece, o Motoqueiro Fantasma (como a imprensa começou a chamá-lo) volta a sua forma humana.

A temática das primeiras aventuras do Motoqueiro Fantasma parte daqui. Satã foi frustrado por uma mulher, apenas com a força do amor. E não iria deixar barato. No decorrer das histórias, o demônio tenta de várias maneiras pegar o que Johnny lhe deve.

Na próxima semana, o Motoqueiro cai na estrada.

Marcos Darkprata da casaGary Friedrich,Johnny Blaze,Marvel,Marvel Spotlight,Mike Ploog,Motoqueiro Fantasma,Roy ThomasO Motoqueiro Fantasma foi criado pelo escritor Gary Friedrich e pelo desenhista Mike Ploog e surgiu na revista bimestral Marvel Spotlight nº 5, em agosto de 1972, que dedicava suas páginas para apresentar novos personagens dentro do universo Marvel de super-heróis. Coincidência ou não, a revista Marvel Spotlight acabou apresentando...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe