Um dos elementos mais divertidos utilizados na Era de Prata eram os vilões temáticos. Inimigos que por um motivo dramático ou não, tinham fixação por alguma coisa (objeto, animal, cor…) que pudessem tornar ameaçadora. Isso porque nem sempre o tema utilizado era tão ameaçador assim e, verdade seja dita, nem todo vilão daquela época poderia ser considerado ameaçador também.

Um vilão temático aplicava o objeto de sua fixação nas mais absurdas situações que pudessem lembrar sua marca, sua assinatura. O primeiro item a trazer essa simbologia, claro, era seu visual (uniforme). Já seu nome, não era exatamente uma regra, mas não havia muito sentido em se adotar um tema e não ter o nome do mesmo. Se bem que adotar um tema para ser um gênio do mal já não era algo com muito sentido. Enfim…

O herói Falcão Negro, da DC Comics, é um exemplo de HERÓI temático. Seu nome já surge de um caminho inverso ao se escolher um tema. Afinal, “falcão” era um bom apelido para um exímio aviador, caso do herói. Mas a coisa não pára por aí. O tema é aplicado em praticamente todos os equipamentos utilizados pelo personagem, que até mesmo chega a adotar um falcão (de verdade) como mascote. Mas não era algo tão chamativo.

Era natural, portanto, que esse herói temático também tivesse um inimigo temático. Não cabe aqui usar a lógica óbvia de o tema ser o inimigo natural dos falcões (seja lá qual ele for). O segredo é parecer ameaçador (destaque no “parecer”).

Seguindo essa regra, surge, em janeiro de 1957, o vilão Tubarão (Killer Shark no original). Como o Falcão Negro era um personagem criado para atuar no ar, Tubarão era um vilão que cuidava dos mares em tempos pós-guerra.

O vilão não se limitava a utilizar equipamentos que lembravam tubarões. Sua temática, na verdade, era utilizar tudo que fosse ameaçador e do mar. Seu primeiro ataque, por exemplo, é feito por uma espécie de submarino gigante em forma de baleia. Gigante a ponto de engolir navios inteiros e capaz de engolir o herói e seu grupo.

A fixação em utilizar uma temática, como sempre, chegava a beirar o ridículo e nem sempre mostrava muita praticidade onde era utilizado. Sentado em seu trono que simulava uma enorme mandíbula de tubarão, o vilão força o Falcão Negro a pular num tanque cheio de tubarões. Fim da história? Que graça teria?

Os tubarões do tanque, pasmem, eram apenas bonecos colocados na água! Então pra que raio jogar o herói em um tanque cheio de bonecos boiando inofensivamente? Apenas para humilhá-lo como covarde, caso não pulasse. Essa era a ideia vinda de alguém que construía submarinos gigantescos, capaz de engolir barcos.

Nesse encontro, especificamente, o maior dano que o herói consegue fazer ao Tubarão é roubar e destruir o tal submarino gigante. Mas, claro, eles iriam se encontrar várias e várias vezes nas histórias seguintes e o Tubarão, enfim, se tornaria um “inimigo natural” do Falcão.

Marcos Darkprata da casaDC Comics,Era de Prata,Falcão Negro,Killer Shark,TubarãoUm dos elementos mais divertidos utilizados na Era de Prata eram os vilões temáticos. Inimigos que por um motivo dramático ou não, tinham fixação por alguma coisa (objeto, animal, cor...) que pudessem tornar ameaçadora. Isso porque nem sempre o tema utilizado era tão ameaçador assim e, verdade seja dita,...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe