Seguindo o sucesso da primeira edição da revista do Quarteto Fantástico, a segunda edição mostra a estreia da raça alienígena belicosa conhecida como Skrulls. Na época, eram até caricatos, com suas caras de sapo de olhos esbugalhados, mais parecendo mamulengos do que ameaças. No entanto, o futuro mostraria que essa raça daria muita dor de cabeça aos heróis da Marvel Comics.

Por trás de uma aparência até franzina, os skrulls tinham a perigosa capacidade de se transformar em qualquer coisa ou pessoa. Tinham suas limitações quanto a imitar os poderes de quem copiavam, mas já era o suficiente para se infiltrarem com as feições de qualquer pessoa. Além disso, sua sede de conquistar outros planetas lhes deu experiência em táticas de dominação e um senso militar que era questão de honra para toda a raça.

Na história onde aparecem pela primeira vez, escrita por Stan Lee e desenhada por Jack Kirby, em janeiro de 1962, cada um dos integrantes do Quarteto Fantástico começa a cometer atos ilícitos e até de terrorismo. Teriam eles enlouquecido? O exército, temeroso por tão poderosas pessoas terem se virado para o mal, dão um jeito de capturá-los. Na verdade, tratam-se dos skrulls que estão se passando pelos integrantes do Quarteto Fantástico. Para simular os poderes dos heróis, os alienígenas usam dispositivos tecnológicos que imitam tais capacidades.

Johnny Storm, o Tocha Humana, consegue se infiltrar entre os imitadores e, para sua surpresa, descobre que eles são alienígenas que tencionam humilhar o Quarteto, antes de por em prática seus planos de invasão da Terra. Os heróis derrotam os invasores e os convencem a mostrar como chegar à nave mãe desta missão.

O interessante é que a nave que os transporta tem o formato de uma caixa d’água e se mistura perfeitamente a paisagem urbana, estando segura em cima de um edifício (quem imaginaria que aquela caixa d’água poderia ser uma nave alienígena?).

Lá chegando, fingem serem os espiões que estão na Terra e convencem seu líder a desistir da ofensiva. Reed Richards usa revistas em quadrinhos de monstros – na época, publicadas pela própria Marvel, especificamente as revistas Journey Into Mystery e Strange Tales – para mostrar aos skrulls que a Terra é um local cheio de aberrações e ameaças. Ruim de se invadir, enfim. A “pegadinha” funciona e os alienígenas mudam de ideia quanto a invadir a Terra.

Ao retornar, o grupo é recepcionado novamente pelo exército, que está ali para capturá-los. Uma novidade: na volta receberam outra pequena carga de raios cósmicos (os mesmos que lhes deram superpoderes) e O Coisa voltou momentaneamente a sua forma humana. Por pouco tempo. Reed leva os militares até o seu apartamento, onde os skrulls espiões permaneceram presos. Os alienígenas, capazes de mudar de forma, tornam-se monstros, mas são facilmente recapturados. Para impedi-los, Reed hipnotiza e os obriga a se transformares em algo inofensivo: vacas, que ficam pastando em um campo.

As “vaquinhas skrull” seriam lembradas pelo escritor e desenhista John Byrne décadas depois, em uma história que mais parece um conto de terror B, mostrando que as mirabolantes ideias da Era de Prata contaminaram mesmo gerações, tanto quanto tomar leite de vaca alienígena poderia fazer.

Marcos Darkprata da casaJack Kirby,Marvel,Quarteto Fantástico,Skrulls,Stan LeeSeguindo o sucesso da primeira edição da revista do Quarteto Fantástico, a segunda edição mostra a estreia da raça alienígena belicosa conhecida como Skrulls. Na época, eram até caricatos, com suas caras de sapo de olhos esbugalhados, mais parecendo mamulengos do que ameaças. No entanto, o futuro mostraria que...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe