100-OS-SUPER-RIVAIS-AUm dos clichês recorrentes das histórias da Era de Prata era alguma confusão causada por conta de ciúmes das “partners” dos super-heróis. Tudo era muito casto, muito comportado, e os heróis, por mais que parecesse evidente que tinham algum envolvimento com “suas” garotas, jamais assumiam isso. Beijo na bochecha já era algo escandaloso e ousado demais para os padrões da época.

Fora uma escapadela ou outra, era como se todos vivessem na “friend zone”. Apenas bons amigos e amigos não namoram, certo? Nem tanto para as garotas. É bem verdade que os heróis também tinham lá seus momentos de ciúmes, fazendo-os agir fora no normal. Mas quando se tratava das “indefesas mocinhas”, elas chegavam a arquitetar planos tão mirabolantes que nem mesmo super vilões teriam capacidade de colocar em prática. E, verdade seja dita, chegavam muito mais perto do sucesso do que qualquer inimigo. Só falhavam mesmo por estarem tão cegas de ciúmes.

Mas as garotas tiveram lá seus motivos quando a princesa Varina, futura regente do reino da Balkânia, decidiu visitar a América. E a América, para receber adequadamente tão célebre visita, destacou seus dois maiores campeões para acompanhá-la: Superman e Batman. Acontece que, além de aceitarem o papel de segurança da monarca (e danem-se os problemas do resto do mundo), os heróis simplesmente não desgrudavam da princesa, deixando desconfortável não só o Capitão Stefan, ajudante da princesa, como também Vicki Vale e Miriam Lane, que sentiam seus respectivos cotovelos começarem a doer pouco a pouco.

100-OS-SUPER-RIVAIS-BCelebridade é celebridade e logo a Princesa Varina começava a exigir certos presentes como flores e outros mimos. Batman e Superman, indo… digamos… um pouquinho além da simples tarefa de protegê-la, utilizavam seus conhecimentos e poderes para o que parecia ser meramente a intenção de chamar a atenção.

Batman usava de sua inteligência para sempre estar a um passo à frente de seu “rival”, que utilizava da super força para… hã… exagerar um pouquinho. Superman, inclusive, chegou a ser tão indiscreto ao ponto de escrever “S. ama V.”, rodeado por um coração, em uma montanha. E Batman só não se destacou mais porque havia um problema nos bastidores bem comum ao que ele enfrentava: ladrões planejavam roubar as joias reais.

A coisa já começava a sair tão do controle, que as meninas (Vicki e Miriam) foram ter com a Princesa Varina, para saber com qual herói ela iria se casar, afinal (sim, a coisa chegou a ficar “grave” a esse ponto). O que descobriram, no entanto, é que a danadinha da Princesa estava usando aquela visita à América para fugir com seu grande amor: o Capitão Stefan. Elas, tocadas por tão linda história de amor (ou com a grande chance de tirar a rival de seu caminho) decidem ajudar o casal de pombinhos reais.

100-OS-SUPER-RIVAIS-CÉ aqui que os planos de nossas duas pseudo super vilãs começa a dar errado. Os heróis, na verdade, sabiam dos planos da Princesa Varina, só que através do Conde Zitu, conselheiro que temia por essa fuga, que faria com que o reino da Balkânia ficasse sem sua futura rainha, correndo o risco de afundá-los em uma guerra civil. O super-cortejo, na verdade, não passava de uma forma de marcação cerrada para que a princesa safadinha não desse a sua escapulida.

O coitado do Capitão Stefan, mais vítima do que todos nessa história, realmente era apaixonado pela Princesa e tinha lá suas boas intenções. Só não tinha o sangue real suficiente para assumir o compromisso. Os acontecimentos é que auxiliaram o Capitão, já que os caminhos se cruzaram quando Superman e Batman tentavam impedir a fuga do casal e, sem querer, os levou até um confronto com os bandidos.

A situação com os ladrões de joias leva os heróis a agirem mais rápido e, no caminho, está o heroico Capitão Stefan, ao qual eles acabam ajudando e, aos olhos do mundo, tornando-o o grande herói que derrotou os criminosos. No saldo final, ninguém viu que os heróis conseguiram impedir o roubo, Capitão Stefan ficou com a fama de salvador e de ser digno o suficiente para casar-se com a Princesa e Superman e Batman tiveram que engolir a fama de assanhados, conforme suas amigas “segura-vela” tanto queriam.

World’s Finest Comics 85
DC Comics – novembro de 1956
Escrita por Edmond Hamilton | Desenhada por Dick Sprang
Publicada no Brasil pela Ebal, em Superamigos n° 12

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/05/jigzy1p0.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/05/jigzy1p0-300x253.jpgMarcos Darkprata da casaBatman,DC Comics,Dick Sprang,Edmond Hamilton,Superman,World’s Finest ComicsUm dos clichês recorrentes das histórias da Era de Prata era alguma confusão causada por conta de ciúmes das “partners” dos super-heróis. Tudo era muito casto, muito comportado, e os heróis, por mais que parecesse evidente que tinham algum envolvimento com “suas” garotas, jamais assumiam isso. Beijo na bochecha...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe