Fig. 4-LeProcessus-Mathieu-p3

Figura 4

Antes de continuar a narrativa, deve ser lembrado que na página inicial desta HQ, no prólogo, o mecanismo de um relógio que é mostrado apresenta uma variação “ínfima”, que pode ter, como pergunta o texto no 6o. quadrinho, como se verá, uma influência no destino do personagem (fig. 4).

No capitulo 2, em meio ao trânsito “aéreo” surrealista de bicicletas sobre fios, o motorista vai conduzindo Jacquesfacques através de diversos recintos e locais, dentre os quais, ressalta-se na pág. 16, a sala onde se dão as cotações das bolsas de valores da cidade. Mas nesse caso, as “bolsas” estão em baixa (fig. 5), e são outras diferentemente das que são reconhecidas no mundo capitalista: aqui elas são a vontade, cotação (-) 8, lealdade (-) 0,3, sinceridade (-) 6, e por aí vai, numa crítica contumaz do autor às qualidades humanas, perdidas talvez em meio à burocratização da vida.

Afinal, Jacquesfacques chega ao destino: a usina dos sonhos, local que controla o único espaço vital que subsiste: o sonho. É mais uma crítica ao sistema social que cerceia os passos inusitados do destino do homem. Nosso personagem, que lá tinha uma consulta marcada, é confundido com outro, e não consegue se desvencilhar dos médicos que prontamente o operam (algo relacionado à mente).

Fig.5-LeProcessus-Mathieu-trechop16

Figura 5

Em meio a várias passagens, surgem elementos espirais: jogos, desenhos etc, como que para demonstrar um padrão, tal qual o da ciência fractal.

No capítulo seguinte (fig. 6), vemos Jacquesfacques despertar em seu apartamento, que, encafifado com a ausência do teto, se pendura na parede e verifica que sua visão se estende até os outros apartamentos, em uma configuração similar aos quadrados do xadrez, numa perspectiva visual infinita (ele está num sonho).

Enquanto isso, de volta à sala onde foi operado, surge o mesmo personagem, mas de pijama, e avisa aos médicos que era ele que deveria ter sido operado e não seu outro eu, que se encontra ainda preso à cama.

Estabelecida a explicação, os médicos mostram por uma escotilha, os sonhos do paciente e dizem que agora é tarde: eles já o perderam no sonho.

Fig. 6-LeProcessus-Mathieu-p24

Figura 6

No 4o. capítulo, enquanto Jacquesfacques caminha por cima dos vãos dos apartamentos, ele vai passando por quartos em que são demonstradas cenas já passadas na própria HQ (e talvez cenas “futuras”). Na caminhada ele encontra pessoas que o aconselham a ter cuidado ao se encontrar com o “vortex”, e também se depara com um serviço de informações, e um bibliotecário além de uma vasta biblioteca. Travam diálogo, e o bibliotecário descreve em que posição ele se encontra no setor (como se estivesse demonstrando o posicionamento de uma estrela em um mapa celeste abobadado).

De repente, despenca outro personagem (Jacquesfacques também de pijama) que derruba vários livros. Embora o outro Jacquesfacques se surpreenda, ele é reprimido pelo bibliotecário, por causa da bagunça causada (é como se o bibliotecário não tivesse feito distinção dos dois outros personagens, encarando-os como um só).

Fig. 7a-MarcAMathieu-HQ1

Figura 7

Enfim, o que caiu, retorna para cima, e o outro se despede do bibliotecário e sai, seguindo as indicações a ele dadas. Mas enquanto anda novamente por sobre os muros divisórios dos apartamentos, ele começa a ver uma distorção, até que as paredes parecem se encurvarem como numa espiral: Jacquesfacques acabara de encontar o vórtex (que sinaliza ser um meio para outro universo paralelo)…

Fig. 7b-MarcAMathieu-HQ2

Figura 7b

E no quinto capítulo ele é engolido pela espiral arquitetônica. A página 37, que abre o capítulo, e se intitula “O infra-sonho ou a ultra-realidade” merece destaque, pois é mais uma ousadia editorial: o autor concebeu a espiral numa concepção gráfica destacada da página (é difícil imprimir um tipo de página assim, pois requer facas especiais nas máquinas industriais gráficas). Assim quando o leitor puxa a página, a espiral se abre num buraco central, vazando até a folha seguinte do álbum, onde surge uma imagem diferente: em vez de desenho, o autor se utilizou de areia e de esculturas do personagem, numa foto impressa. Na mesma espiral, “correm” os quadrinhos da HQ até sumirem de vista (fig. 7ª, 7b, 7c).

Fig. 7c-MarcAMathieu-HQ3

Figura 7c

Continua no próximo post…

Gazy Andrausconsciência e quadrinhosJacquesfacques,Julius Corentin,Le Processus,Marc-Antoiune MathieuFigura 4 Antes de continuar a narrativa, deve ser lembrado que na página inicial desta HQ, no prólogo, o mecanismo de um relógio que é mostrado apresenta uma variação “ínfima”, que pode ter, como pergunta o texto no 6o. quadrinho, como se verá, uma influência no destino do personagem (fig....O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe