Cartunista autorizou a transposição do seu universo para o teatro, um formato até então inédito para seus personagens

Em espetáculo criado especialmente para a vigésima segunda edição do Festival de Teatro de Curitiba, os comediantes do grupo teatral Parlapatões encenam personagens do cartunista Angeli como Rê Bordosa, Meia Oito, Bob Cuspe, Bibelô, Moska e Os Escrotinhos, entre outros.

Entre outros destaques, a produção conta com trilha sonora do titã Branco Mello e direção do parlapatão Hugo Possolo. Angeli irá conferir a estreia de ‘Parlapatões Revistam Angeli’, no dia 27 de março, uma peça que é uma revista rock’n roll que homenageia um artista mais ativo, criativo, polêmico, político, constante e muito importante da história recente do humor no Brasil.

Em um palco livre, com telão para projeções ao fundo, atores recriam as situações das famosas tiras de Angeli. O roteiro geral desse teatro de revista roqueiro foi desenvolvido por Hugo Possolo a partir das tiras, charges e textos de Angeli.

Quadros curtos, de grande eficiência cômica, são dedicados a cada criação do artista, que também é representado em cena, com um personagem permanente em cena, quase um narrador, o Angeli em Crise. De seus pensamentos nascem as cenas que desfilam as famosas personagens. Cada uma das cenas se alterna com projeções de desenhos do Angeli, que funcionam como cenário e também com os quais as personagens em cena dialogam.

O cartunista, que autorizou a transposição do seu universo para o teatro, um formato até então inédito para seus personagens, também abriu seu estúdio para a pesquisa do diretor dos Parlapatões, Hugo Possolo. Angeli, no entanto, preferiu acompanhar o processo de adaptação à distância. Em Curitiba, será o primeiro contato de Angeli com a transposição para os palcos.

A trilha roqueira de Branco Mello é composta de músicas que visam sintetizar a obra e os personagens que há mais de 30 anos ocupam as páginas de grandes jornais brasileiros, especialmente a Folha de São Paulo.

A pesquisa para o roteiro se pautou no arquivo pessoal de Angeli, nas publicações para jornal e revistas, onde as histórias dos personagens ganham contornos de trama, o que permite ser passado à cena teatral. Um formato que tem uma estrutura narrativa mais próxima da dramaturgia, por conter situações que se expandem além dos tradicionais três quadros das tiras diárias.

Da mesma forma, a encenação faz o percurso inverso, onde se reproduz o clima de HQ, seja no texto, seja no aspecto visual, mas principalmente nos ambientes de identidade própria, urbanos e viscerais que marcam a obra de Angeli.

Também não faltará a visão crítica sobre a política nacional, impressa no estilo marcante de Angeli de encarar as contradições brasileiras, no qual faz mais que a mera caricatura de determinadas personalidades políticas, mas sim o retrato distorcido da falta de personalidade e caráter da política brasileira.

Os Parlapatões, com seus 22 anos de estrada, pretendem cruzar as influências desse artista, que coincide com seu humor direto e irreverente, para criar um espetáculo vivo, alegre, crítico fazendo uma festa com a alma ácida e divertida do homenageado.

A 22ª edição do Festival de Teatro de Curitiba acontece entre os dias 26 de março e 7 de abril.

As fotos que ilustram este post são de Camila Possolo.

Renato LebeauagendaAngeli,Branco Mello,Festival de Teatro de Curitiba,Hugo Possolo,ParlapatõesCartunista autorizou a transposição do seu universo para o teatro, um formato até então inédito para seus personagens Em espetáculo criado especialmente para a vigésima segunda edição do Festival de Teatro de Curitiba, os comediantes do grupo teatral Parlapatões encenam personagens do cartunista Angeli como Rê Bordosa, Meia Oito, Bob...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe