“Ninguém Muda Ninguém” abre o baú do quadrinista André Dahmer e marca a estréia da nova editora Flâneur, no mercado editorial

Todos nós temos aquela caixa embaixo da cama ou no fundo do armário onde guardamos papéis com frases soltas, fotografias, desenhos, cartas e outros pedaços da vida. Uma espécie de baú de memórias que, sem frequência, revisitamos atrás de bons momentos, e outros nem tão bons assim, mas que fazem parte da nossa história.

A estreante Editora Flâneur resolveu abrir – claro, com autorização do próprio – o baú do quadrinista André Dahmer para lançar “Ninguém Muda Ninguém”, um livro com tiragem de 600 unidades, onde Dahmer pintará cada capa à mão. Uma por uma, todas diferentes. O lançamento será no dia 10 de novembro, no Boteco Salvação.

O livro é uma espécie de autobiografia artística em que o autor, desta vez, deixa de lado o universo dos quadrinhos que o revelou para apresentar registros criativos coletados ao longo dos últimos dez anos de vida artística. Quem conhece a série “Os Malvados”, de Dahmer, encontrará neste novo trabalho a mesma acidez habitual do autor na hora de observar o cotidiano.

Mas, agora, ele usa outras formas para manifestar seu olhar: a fotografia, a poesia, a pintura e o desenho. “Sou o mesmo de Os Malvados, apenas usando formas diferentes de expressão”, revela o múltiplo Dahmer.

Depois de uma abertura onde traços contornam homens e mulheres em ilustrações eróticas, as páginas seguem por poesias e desenhos, que se completam e caminham lado a lado. Na sequência, enquanto versos como “vamos enforcar mil poetas e fazer das pracinhas masmorras” dão o tom do poeta, um outro Dahmer surge entre cartas e telegramas de ex-namoradas e até em bilhetes com reclamações de vizinhos.

A paixão pela fotografia aparece na sequência batizada como “Tributo aos Guarda-chuvas Perdidos”, onde Dahmer, durante um passeio de bicicleta pela zona sul carioca, clicou desconhecidos em um dia de chuva. Outras imagens registram frases escritas por ele em locais públicos, como, por exemplo, uma barra de exercícios com a máxima “os fracos vencerão” e um corrimão com “arte inofensiva para ricos violentos”. Essas sequências destacam o viés urbano que costura todo o material reunido no livro.

Passar as páginas de “Ninguém Muda Ninguém” nos coloca em contato com o perfil artístico de um observador nato, que enxerga o mundo com outros olhos, que vê sempre um algo a mais. É um Dahmer intenso, livre, que não se censura e vai além dos limites. Com traços toscos, personagens esquisitos, poesias cortantes e imagens desconfortáveis, o autor sabe cutucar quem está com o livro à mão. “É o triunfo do caos sobre a ordem”, resume André Dahmer.

Sobre André Dahmer
Formado em design pela PUC do Rio de Janeiro, o quadrinista André Dahmer, 36 anos, ganhou expressão com a série “Os Malvados”, sucesso na internet, com site chegando a ter 12 mil acessos únicos diários. Jornais de grande circulação do Rio de Janeiro e de São Paulo e revistas especializadas, atentos aos talentos revelados pela internet, convidaram o cartunista para publicar suas mordazes tirinhas também em seus veículos. Dahmer tem ainda três livros publicados: “O Livro Negro de André Dahmer” (2007), “Os Malvados” (2008) e “A cabeça é a ilha” (2009), todos pela editora Desiderata.

Sobre a Editora Flâneur
Em 2009, Guilherme Tolomei, depois de estudar o mercado editorial e juntar todo o material referente a esse universo durante anos, convidou Renato Amado para formar a Editora Flâneur, com base no Rio de Janeiro.

O termo Flâneur, usado pelo poeta Charles Baudelaire, se refere ao indivíduo que tem uma visão diferenciada das coisas que estão à sua volta. E esse é o mote do projeto: valorizar autores e leitores com novas idéias e iniciativas. “O objetivo é tratar o livro como um item artesanal e cuidadosamente elaborado, que se distancie daqueles feitos em linha de produção buscando a etiqueta de best-sellers”, define Renato Amado.

_________________________________

O lançamento será no dia 10 de novembro, às 20h, no Boteco Salvação, em Botafogo, Rio de Janeiro. As imagens que ilustram este post são algumas das capas que o quadrinhista está produzindo para a publicação.

Ninguém Muda Ninguém
André Dahmer
Editora Flâneur
21X21cm
138 páginas
R$79,00

Renato Lebeauagenda“Ninguém Muda Ninguém” abre o baú do quadrinista André Dahmer e marca a estréia da nova editora Flâneur, no mercado editorial Todos nós temos aquela caixa embaixo da cama ou no fundo do armário onde guardamos papéis com frases soltas, fotografias, desenhos, cartas e outros pedaços da vida. Uma espécie...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe