Livro de Gonçalo Junior faz revelações surpreendentes sobre a repressão a editores, artistas gráficos e de quadrinhos e jornalistas no período mais obscuro da história do país no século 20

No dia 26 de agosto, quinta-feira, das 19h às 23h, na Comix Book Shop será lançado “Maria Erótica e o Clamor do Sexo”, escrito pelo jornalista Gonçalo Júnior, que estará presente autografando exemplares do livro.

Com 496 páginas e mais de 500 imagens sobre os 21 anos de militarismo que dominou o Brasil, Maria Erótica e o Clamor do Sexo é uma publicação da Editora Peixe Grande que tem como slogan “um mergulho na história da pornografia, imprensa, do humor e dos quadrinhos”.

Muitos livros já foram escritos sobre a ditadura militar brasileira. Centenas. Talvez milhares. Mas nenhum pelo inusitado ângulo tratado por Maria Erótica e o clamor do sexo – Imprensa, Pornografia, comunismo e censura na ditadura militar – 1964-1985, do jornalista Gonçalo Junior, autor de livros como A Guerra dos Gibis (Companhia das Letras) e Enciclopédia dos Monstros (Ediouro).

“Levei duas décadas para levantar a história desses pequenos editores quase anônimos que enfrentaram a censura e a repressão policial quando os militares achavam que eles eram comunistas que usavam a pornografia para introduzir o regime de Moscou no país”, diz Gonçalo.

O autor mostra que, entre 1964 e 1985, período em que o poder no Brasil esteve nas mãos dos militares, a Revolução Sexual deflagrada pela pílula anticoncepcional e a contracultura do pós-guerra transformou o sexo num problema de segurança nacional prioritário.


Combater as revistas de “mulher pelada” se tornou uma forma de conter o avanço do comunismo no País, pois os dois assuntos supostamente andavam de mãos dadas. A partir das histórias das editoras Edrel (São Paulo) e Grafipar (Curitiba), Gonçalo relata como a perseguição a esses artistas foi importante ferramenta para combater a subversão no País.

A trajetória dos editores Minami Keizi e Claudio Seto é o mote para um não dimensionado retrato da ditadura, quando donos de editoras, distribuidores, jornaleiros, escritores e desenhistas de histórias em quadrinhos foram perseguidos também em nome da moral e dos bons costumes e em defesa da família brasileira.

Uma história que envolveu grandes grupos editoriais como Abril, Três e Bloch, que, na década de 1970, peitaram a censura para lançar revistas como Playboy, Nova, Status, Ele Ela e outras. Resultado de árdua pesquisa, este livro fartamente documentado é uma fonte de pesquisa para quem quer entender os bastidores da censura no País e a vida sexual do brasileiro nos últimos 50 anos.

Maria Erótica e o Clamor do Sexo
Imprensa, Pornografia, comunismo e censura na ditadura militar – 1964-1985
Autor: Gonçalo Junior
Editora: Peixe Grande
16 x 23 cm
496 páginas
R$ 69,90

Comix Book Shop
Alameda Jaú, 1998 – Jardins
São Paulo – SP
(11) 3951-5037 / 3951-5029

Renato LebeauagendaCláudio Seto,Comix Book Shop,Edrel,Gonçalo Junior,Grafipar,Maria Erótica,Minami Keizi,Peixe GrandeLivro de Gonçalo Junior faz revelações surpreendentes sobre a repressão a editores, artistas gráficos e de quadrinhos e jornalistas no período mais obscuro da história do país no século 20 No dia 26 de agosto, quinta-feira, das 19h às 23h, na Comix Book Shop será lançado 'Maria Erótica e o...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe