Foto: Nikko Fotografia
Foto: Nikko Fotografia

O anúncio da visita do criador de Rurouni Kenshin (também conhecido em nossa terrinha como, arg, Samurai X) foi o bastante para fãs de anime e mangá voltarem sua atenção para 21º edição da Fest Comix, onde Nobuhiro participaria de uma palestra e sessão de autógrafos.

Sem tanto alarde, também foi confirmada a presença do autor e sua esposa, a escritora Kaworu Kurosaki, no Centro Cultural São Paulo como parte da programação especial da Fundação Japão em comemoração aos 120 Anos de Amizade Japão-Brasil. E foi para lá que me dirigir na tarde de sexta, dia 17, para acompanhar não apenas a palestra, mas também a coletiva de impressa organizada pelo evento.

Pessoalmente Watsuki é sério e tranquilo, respondendo tudo de forma educada e gentil. Devido ao tempo limitado para a coletiva, ela se resumiu a um rápido bate-papo onde cada um dos presentes poderia fazer uma pergunta ao autor, que durante toda a conversar nos observava com interesse.

Foto: Nikko Fotografia
Foto: Nikko Fotografia

As perguntas variavam sobre carreira, obras, passatempo e a visita ao nosso país. Dentre as séries que acompanha atualmente está o mangá Hyouge Mono, de Yoshihiro Yamada, e o anime Steins; Gate. Confessou que durante a criação e desenvolvimento de Rurouni Kenshin, em nenhum momento planejou seu sucesso internacional. A série foi escrita pensando nas coisas a sua volta e na melhor forma de divertir seus leitores. Recentemente terminou Embalming, série publicada na Jump Square e totalizou 10 volumes e sua próxima obra tem previsão de estreia para a primavera no Japão, mas não revelou detalhes.

O autor deu duas dicas importantes para quem deseja trabalhar no mercado de mangás: a primeira é que mangáka não deve desenhar apenas o que quer, mas ouvir o que seu público deseja acompanhar. A segunda é manter-se saudável e brincou que desde que se tornou desenhista havia engordado muito e que nos últimos anos passou a cuidar mais da saúde e frequentar a academia. Nesse instante Kaworu Kurosaki se juntou a nós e relembrou que durante a produção do ultimo arco de Kenshin, ela passou meses sem ver o marido, e quando o reencontrou ele estava bem “crescido para os lados”. Brincado ela disse que a beleza do Watsuki foi sacrificada aos deuses em troca do sucesso da série. Quem diria que aquela senhora delicada de quimono poderia ser tão troll com o maridão, hein?

Nobuhiro Watsuki 018
Foto: Nikko Fotografia

Kurosaki já esteve no Brasil em 2014 para uma série de palestra também organizados pela Fundação Japão onde conversou sobre sua carreira como escritora e roteirista.

Um dos presentes relembrou as inúmeras bandas cuja carreira foram alavancadas quando suas musicas se tornaram temas do anime de Kenshin, entre elas o The Yellow Monkey. Watsuki comentou que não conhecia a maioria delas antes do anime, mas que a escolha dos interpretes das músicas não foi ao acaso, uma vez que a série animada era produzida pela Sony que obviamente desejava promover seus artistas.

Sobre as impressões do nosso país, o mangáka não pode deixar de mencionar a alegria e receptividade dos brasileiros. Segundo ele, o Brasil parece viver na era Showa, nos tempos de paz e harmonia. Watsuki e Kurosaki contaram um fato engraçado durante sua visita ao Rio, enquanto passeavam pelo Jardim Botânico e de repente ouviram um grande barulho. Era um lagarto do parque que andava livremente pelo lugar e que para os dois autores era algo inusitado que eles nunca veriam no Japão fora do zoológico.

Nobuhiro Watsuki 019
Foto: Nikko Fotografia

Para aqueles que sonham em publicar mangás no mercado japonês, Watsuki sugeriu que o artista deva se mudar para o Japão e como qualquer aspirante conquistar seu espaço no competitivo mercado. No entanto, a alternativa mais viável para o autor é buscar o sucesso em seu próprio país. Watsuki sabe das dificuldades do mercado brasileiro, mas que tem certeza que um artista talentoso ganhará destaque e irá chamar a atenção dos japoneses. Ele fica na expectativa desses artistas e seus trabalhos!

Quando o assunto mudou para o período em que foi assistente de Takeshi Obata, o desenhista de Death Note, entendemos um pouco mais porque Watsuki é tão focado na diversão em suas obras. Quando conheceu Obata, Watsuki não acreditava que pudesse existir alguém tão fera no desenho quanto seu sensei, e que por mais que se esforçasse não conseguiria alcançar suas técnicas, por isso resolveu focar em detalhes e em tudo que pudesse tornar seus personagens e historias divertidos e interessantes, e buscou passar isso para seus próprios assistentes quando conquistou sua primeira série. Ainda no assunto, o mangáka não esconde a pontada de orgulho ao falar do sucesso de Eiichiro Oda, que foi seu assistente na época da produção de Kenshin e hoje é autor do sucesso de One Piece.

Nobuhiro Watsuki 022
Foto: Nikko Fotografia

A Palestra
Para os fãs que esperaram pacientemente o horário do evento, Watsuki e Kurosaki fizeram questão de cumprimentar o público em português antes de dar início a palestra. De forma descontraída e com uma apresentação exibida no telão do local, o casal mostrou fotos do estúdio do mangaká, além das salas de reuniões, mesa de trabalho, as coleções de action figure do autor e o “sensual” gato do casal. Também apresentaram o puxado cronograma de trabalho de Watsuki além de explicar sobre o processo de criação de suas HQs, do plot inicial a página finalizada. O artista fez questão de frisar que cada mangáka tem seus próprios métodos de produção, não existindo nenhuma fórmula definida para todos os desenhistas.

Houve um rápido bate-papo dos convidados com a professora Sonia M. Bibe Luyten, autora do livro Mangá: o poder dos quadrinhos japoneses, e Francisco Sato, presidente da ABRADEMI. O evento fechou com um divertido quiz de conhecimentos gerais de personagens históricos japoneses que já deram as caras nos trabalhos de Watsuki, e as tradicionais perguntas dos fãs que aproveitaram a chance para saber mais sobre o autor e acabar com antigas polemicas: afinal quem é mais forte, Hajime Saitou ou Shinomori Aoshi?

Para o criador da série a resposta é difícil. Saitou sem duvida é mais forte por ter mais técnicas, mas se a Misao estiver em perigo, Aoshi não perderia!

Realmente esse foi um dia que não será esquecido por todos que participaram dessa palestra!

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/07/Nobuhiro-Watsuki-001_destaque.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/07/Nobuhiro-Watsuki-001_destaque-300x268.jpgLily Carrollcobertura de eventosKaworu Kurosaki,Nobuhiro Watsuki,Rurouni Kenshin,Samurai XO anúncio da visita do criador de Rurouni Kenshin (também conhecido em nossa terrinha como, arg, Samurai X) foi o bastante para fãs de anime e mangá voltarem sua atenção para 21º edição da Fest Comix, onde Nobuhiro participaria de uma palestra e sessão de autógrafos. Sem tanto alarde, também...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe