ana-luizaContinuando a nossa cobertura da Comic Con Experience 2015, iremos falar agora de um dos painéis que discutiu a Representação de gênero na cultura pop. A discussão de estereótipos foi proposta por Ana Luiza Koehler, Luiz Carlos, Cecília Favo de Mel e Jarid Arraes no auditório Prime no primeiro dia do evento.

Este ano a CCXP não teve apenas painéis sobre Mulheres na Cultura Pop e Geek, mas foi muito mais além discutindo a fundo todo o tipo de diversidade de gênero à etnia. Foi um bate-papo extremamente construtivo formado, em muitos momentos, por apenas mulheres.

Um mercado tão grande abrangente como o de entretenimento, precisa entender mais a fundo o reflexo que estereótipos femininos marcados tem em Ns campos da cultura pop. A discussão com as experientes autoras, buscou salientar os problemas que o preconceito nesta mídia pode causar para o público e para o constante aumento da diversidade dentro do universo nerd.

Ana Luiza e Ceci Honey nos contaram vários pontos da luta diária em busca de igualdade e de um olhar mais sério em questões éticas de trabalho. É muito interessante ver como elas conseguem, dia após dia, superar a opressora barreira machista que se formou nos últimos anos.

Quando foi relembrado o acontecimento recente que infelizmente levou ao fechamento do blog Pink Vader, veio à tona o momento que estamos vivendo. A maior parte do público nerd elege como correto vários pré-padrões, e se você fala um “isso” fora do script, é a justificativa para receber mensagens bem horríveis pelos próximos anos.

Um assunto muito discutido também foram as etnias não-brancas. Cada vez mais é necessário a representação de heróis que simbolizem raças diversas, como o Falcão ou Pantera Negra, que não perdem espaço frente aos outros no mercado, como podemos ver Miles Morales no papel de novo e oficial protagonista negro de Homem-Aranha, um surto no início, hoje já encarado com naturalidade.

Quando falamos de quadrinhos, as mulheres encontram muito mais dificuldades ainda na concepção, produção e distribuição em um mercado onde existem poucas novelizações negras, gays ou com minorias significativas. As diferenças entre “masculino” e “feminino” se dão de N formas na hora de escrever e desenhar os personagens.

O debate proporcionou uma perspectiva profissional para os fãs que querem conhecer mais do mercado e situação profissional do quadrinista.

Você impulsivo leitor que não ficou ligado, o Impulso HQ fez uma cobertura fotográfica e com as notícias dos painéis durante os quatro dias da Comic Con Experience. Para conferir, acesse o nosso Instagram, clicando aqui.

http://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/12/ccxp.jpghttp://impulsohq.com/wp-content/uploads/2015/12/ccxp-300x250.jpgVini Moreiracobertura de eventosAna Luiza Koehler,CCXP,Cecília Favo de mel,Jarid Arrais,Luiz Carlos,omic Con ExperienceContinuando a nossa cobertura da Comic Con Experience 2015, iremos falar agora de um dos painéis que discutiu a Representação de gênero na cultura pop. A discussão de estereótipos foi proposta por Ana Luiza Koehler, Luiz Carlos, Cecília Favo de Mel e Jarid Arraes no auditório Prime no primeiro...O Impulso HQ é um site dedicado à cultura geek e traz, diariamente, novidades sobre quadrinhos, cinema e games, além de conteúdo em vídeo. Somos nerds a serviço do seu entretenimento. Bem-vindo!
Compartilhe